Srs.Policiais, Amanhã- 4a. – 31/10- Lançamento em Sampa, do livro ‘Não Existe Crime Perfeito” – de Marcos Linhares 35

Este livro humaniza o trabalho dos policiais mostrando os bastidores de grandes investigações.

Abaixo, o convite virtual do lançamento que farei em São Paulo, amanhã, 4a. feira, no dia 31 de outubro, na livraria Cultura, no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, a partir das 19h. Seria uma honra poder contar com vossa presença.

    Abraço de Brasília ,
    Marcos Linhares
Lançamento do livro "Não existe crime perfeito - Laerte Bessa e os crimes que abalaram a capital do Brasila"
Lançamento do livro “Não existe crime perfeito – Laerte Bessa e os Crimes que abalaram a capital do Brasil
  • Chegou a vez de São Paulo receber o lançamento deste livro, depois do sucesso dos lançamentos em junho em Portugal e em Nova Iorque (em inglês com o título “Crime in the heart of Brazil”), na XVI Feira Pan-Amazônica do Livro (26 de setembro), e em Brasília (dia 10 de outubro). Em, novembro, será novamente em Portugal, na famosa livraria Lello (da cidade do Porto, tida como a melhor do mundo pelo site “Trip Advisor”) no dia 16 de novembro.
    Segundo o prefaciador da obra, o Vice-presidente da República, Mi

    chel Temer, ”o leitor tem nas mãos um relato fascinante, que o captura desde o início. Lidas as primeiras páginas, é difícil interromper a leitura. Existem trechos que insinuam a ficção, mas são reais. é possível vivenciar os bastidores das investigações e deixar-se dominar pela mesma emoção que premiou a equipe de Laerte Bessa, revivida nas páginas desta obra, no instante da elucidação do caso. Como sua crença lidará com a carta psicografada de Leandro para Leonardo, após o acidente? O peso da mão da justiça esmagando malfeitores, mais cedo ou mais tarde (…)”
    Na primeira edição, o livro possuía o título Dossiê Bessa, mas com as atualizações e revisões da segunda edição, resolveu-se alterar também o título.

Livraria Cultura Conjunto Nacional
Av. Paulista, 2073 – Bela Vista, 01311-940 São Paulo

  • r

 

 


 

 


— Um abraço,
Marcos Linhares Diretor de redação Revista Mais Capital

  1. ESSE AINDA NÃO LI, MAS EU JÁ LI O PRIVATARIA TUCANA. BOM HEIM. ALI SIM MOSTRA O QUE É SABER FAZER MARACUTAIA.

    Curtir

  2. Em almoço, PMDB defende candidatura de Lula ao governo de São Paulo em 2014
    30/10/2012
    Destaque, Política
    almoço candidatura governo Lula PMDB São Paulo skaf
    por Guilherme Barros
    Em almoço nesta terça-feira 30 em Brasília, uma ala do PMDB defendeu a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao governo de São Paulo em 2014 para enfrentar o atual governador Geraldo Alckmin, do PSDB.
    No almoço, estavam presentes, entre outros membros do partido, o presidente nacional do PMDB, Valdir Raupp.
    A ideia defendida no almoço é de Skaf ser vice de Lula na chapa para o governo de São Paulo.
    fonte: terra

    Curtir

  3. Discordo do título do livro.
    Existem sim, crime perfeito.
    Se alguem comete um crime e não e descoberto esse crime, não seria ele perfeito ?

    Curtir

  4. 30/10/2012 19h56 – Atualizado em 30/10/2012 20h15
    Ministério rebate secretário e diz que governo ofereceu ajuda na segurança
    Pela manhã, secretário disse que governo federal não ofereceu ajuda.
    Pasta afirmou que ministro propôs plano conjunto contra criminalidade.
    Do G1, em Brasília

    Comente agora

    O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, em
    reunião nesta terça (30) na Secretaria de Direitos
    Humanos; segundo nota, ele ofereceu plano em
    junho ao governo estadual
    (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)
    O Ministério da Justiça divulgou nota nesta terça-feira (30) rebatendo críticas do secretário de Segurança Pública de São Paulo sobre a participação do governo federal no combate à violência no estado. Mais cedo, ao comentar o aumento de homicídios na capital paulista, Antônio Ferreira Pinto disse que não recebeu ajuda do governo federal na área de segurança.
    Na nota, o Ministério da Justiça diz que o governo federal ofereceu apoio ao governo estadual em “diversas oportunidades”. “Essa proposta foi reiterada, inclusive, em reunião do ministro da Justiça com o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, em junho deste ano, em que questões da área de inteligência policial foram debatidas”, diz o texto.

    Pela manhã, Pinto disse que a visita foi de “cortesia”. E disse que não foi oferecida ajuda. “Ele fez uma visita de cortesia a mim no dia 29 de junho. Nada foi oferecido. E, aliás, o que o governo federal pode oferecer é inteligência. Inteligência nós já temos um relacionamento há muito tempo”, afirmou o secretário.
    “Fora isso, convenhamos: o que o governo federal pode oferecer? Ajuda da polícia? Nós temos uma Polícia Civil aqui altamente especializada, com mais de 30 mil homens e a Polícia Federal tem 10 mil para o país inteiro”, completou em seguida o secretário.

    O Ministério da Justiça afirmou que o apoio consistia na “elaboração de um plano conjunto de ações voltadas ao combate do crime organizado e da criminalidade violenta, a exemplo do que vem sendo executado por outros estados brasileiros, como o Rio de Janeiro e Alagoas, cujos índices de criminalidade, nas áreas focadas, reduziram drasticamente”.
    A nota informa que o ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, encaminhou nesta terça ofício ao governador Geraldo Alckmin manifestando a intenção de selar um pacto, com colaboração na área de inteligência e oferecimento de vagas em presídios federais.
    O governo de São Paulo divulgou uma nota na noite desta terça dizendo que “não recebeu o ofício”. “Assim que o receber, adotará todas as providências para intensificar a cooperação no combate ao crime, inclusive no intercâmbio de informações para o aperfeiçoamento do controle das fronteiras. O governador Geraldo Alckmin reitera que toda colaboração do governo federal na Segurança Pública é bem-vinda. E lembra que parcerias de sucesso já ocorrem no combate à miséria, em grandes obras de infraestrutura e na habitação popular.”
    saiba mais
    Secretário da Segurança Pública nega toque de recolher em SP
    Polícia registra pelo menos 8 mortes em SP na madrugada desta segunda
    SP tem pelo menos 12 baleados e 5 mortos na madrugada deste domingo
    Em quase 3 horas, 11 são mortos e 4 ficam feridos na capital e Grande SP
    Recursos
    No texto, o ministério diz ainda que não pode “ser um mero repassador de recursos financeiros para substituir o custeio ordinário de ações na área de segurança pública”. “O orçamento do Estado de São Paulo é um dos maiores do país e, por isso, a proposta de apoio federal sempre foi feita na perspectiva da elaboração de um plano integrado de ações, com uma matriz de responsabilidades recíprocas definidas”, diz a nota.

    Em outro trecho, a nota rebate críticas, reiteradas durante a campanha eleitoral, sobre a atuação no governo federal nas fronteiras. A nota chama a atenção para o Plano Estratégico de Fronteiras, executado pela Polícia Federal em conjunto com o Exército. Segundo a pasta, desde junho do ano passado, as operações já desarticularam 50 organizações criminosas, apreendeu mais de 227 toneladas de drogas, 9 milhões de pacotes de cigarro, 145 mil garrafas de bebida e 1.171 armas de fogo, além de prender mais de 7,5 mil pessoas em flagrante.
    “No mesmo período em que a violência sobe no Estado de São Paulo, em outros, o nível de violência caiu, como no caso de Alagoas, que teve redução de 10% de crimes violentos, sendo 20% somente em Maceió, e 83% de resolução dos inquéritos, em apenas quatro meses da atividade conjunta entre o governo do Estado e o Ministério da Justiça”, conclui o texto.

    Curtir

  5. O PINTO É FIRME, O PINTO É FORTE, O PINTO É DURO, DURÍSSIMO COM OS LEGUMES, O PINTO É O CARA, O PINTO É FODÃO, O PINTO É A MELHOR COISA QUE ACONTECEU NOS ÚLTIMOS 500 ANOS PARA A POLÍCIA !
    O PINTO É CARNÍVORO E SÓ COME UM TIPO DE LEGUME, MACHUCHUS AMEDRONTATIS QUE SÓ NASCE NOS JARDINS DE PALÁCIOS…..KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK !

    Curtir

  6. O PINTO TAMBÉM É GUERREIRO, ELE ESCREVEU A ARTE DA GUERRA !
    O PINTO É FOOOOOOOOODA !

    Curtir

  7. Não acredito que o Lula vá disputar as eleição de 2014 para o governo do estado de SP.
    Lula não é bem aceito em SP ,está se recuperando de um problema de saúde E ELE SABE QUE A SUA VITÓRIA não é certa ainda, portanto, ele não vai se arriscar!
    Entendo que o Haddad tem que fazer um bom trabalho na PREF de SP, e se candidatar só em 2018, aí sim eu acredito que possa destronar o PSDB do governo do estado!

    Curtir

  8. Olha, não sou mãe Dinah, mas estou prevendo o futuro, se este partido de bandidos ganhar em 2014 é o fim da Policia Militar e da Policia Civil, pois somos a última pedra no sapato desta turma, quando forem esterminadas, inicia-se o processo ditatorial que é a grande intenção deste chefe de quadrilha.
    Vamos abrir os olhos e que apareçam homens de justifiquem os selos nacionais, pois estão todos adormecidos

    Curtir

  9. Galera, acabei de assistir um video de um programa da Band.O programa recebeu um convidado, o General Adriano Pereira Júnior,comandante militar que coordenou a operação de pacificação do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, no final de 2010, e esse general rasgou elogios à PM do estado de SP!
    O elogio veio de uma pessoa de bem e trata-se de uma excelencia, então não desanimem policiais militares, o jeito é se unirem e esperarmos 2014 e ter fé!
    Parabéns!

    Curtir

  10. Toma vergonha na cara, ex- servidor.. tem PM e PM, fico com o soldado que quer ser policia….

    Curtir

  11. Ex-servidor :
    Não acredito que o Lula vá disputar as eleição de 2014 para o governo do estado de SP.
    Lula não é bem aceito em SP ,está se recuperando de um problema de saúde E ELE SABE QUE A SUA VITÓRIA não é certa ainda, portanto, ele não vai se arriscar!
    Entendo que o Haddad tem que fazer um bom trabalho na PREF de SP, e se candidatar só em 2018, aí sim eu acredito que possa destronar o PSDB do governo do estado!

    Então pense só perdeu em Diadema, mas ganhou em São José dos Campos, Mauá e ABC, fora a cidade de São Paulo e você ainda acha que o PT, digo LULA é rejeitado no Estado, acho que você pode se surpreender com o LULA. Acabou o medo, o que existe é a vontade de mudança e quem mais faz bem ao coletivo.

    Curtir

  12. Ministério: culpar controle das fronteiras por violência em SP é inaceitável
    30 de outubro de 2012 • 19h25 • atualizado às 20h52

    O Ministério da Justiça divulgou nota nesta terça-feira rebatendo as afirmações do secretário de Segurança Pública de São Paulo Antonio Ferreira Pinto, que disse ao jornal Folha de S. Paulo que o governo federal não ofereceu ajuda ao Estado para conter o avanço da violência. O ministério diz que “em diversas oportunidades” ofereceu apoio ao governo de São Paulo na área de segurança pública e afirma que “é inaceitável, além de inverídica, a afirmação de que a elevação da violência em São Paulo deriva do descontrole nas fronteiras”.
    Em declarações recentes, Ferreira Pinto negou que tenha recebido oferta de ajuda para na área da segurança pública. Antes, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) havia dito que o governo federal não cumpre seu papel de policiar as fronteiras e isso seria um dos fatores agravantes para o aumento da violência no Estado.
    Na nota, o ministério afirma que “para que não exista qualquer dúvida sobre a proposta”, o ministro José Eduardo Cardozo enviou “mais uma vez” ofício ao governador Geraldo Alckmin nesta terça-feira propondo um plano integrado de segurança pública. A ideia, segundo a pasta, é que haja o “compartilhamento de dados de inteligência e oferecimento de vagas nos presídios federais, para que possam ser abrigados líderes de organizações criminosas que de dentro de presídios estaduais estejam comandando ações do crime organizado”.
    Em tom mais elevado, a nota enumera cinco pontos: no primeiro, ressalta que Cardozo reiterou a oferta de auxílio em reunião com o secretário de Segurança Pública de São Paulo realizada em junho deste ano; no segundo ponto, afirma que a proposta constitui na elaboração de um plano conjunto de combate ao crime organizado, como existe no Rio de janeiro e em Alagoas; no terceiro, o ministério diz que não é “um mero repassador de recursos financeiros para substituir o custeio ordinário de ações na área de segurança pública”; no item quatro, a nota reforça o envio de ofício a Alckmin nesta terça-feira; e, no quinto ponto, ressalta os avanços que o governo brasileiro conquistou no controle das fronteiras através de um plano estratégico coordenado pelo vice-presidente da República.
    “No mesmo período em que a violência sobe no Estado de São Paulo, em outros, o nível de violência caiu, como no caso de Alagoas, que teve redução de 10% de crimes violentos, sendo 20% somente em Maceió, e 83% de resolução dos inquéritos, em apenas quatro meses da atividade conjunta entre o governo do Estado e o ministério da Justiça”, diz a nota.
    O governo do Estado de São Paulo, também em nota, divulgada na noite de hoje, diz que não recebeu o ofício do Ministério da Justiça. “Assim que o receber, adotará todas as providências para intensificar a cooperação no combate ao crime, inclusive no intercâmbio de informações para o aperfeiçoamento do controle das fronteiras”.
    No comunicado, o governador Geraldo Alckmin esclarece ainda que “toda colaboração do governo federal na Segurança Pública é bem-vinda” e lembra que “parcerias de sucesso já ocorrem no combate à miséria, em grandes obras de infraestrutura e na habitação popular”.

    Curtir

  13. hc :
    Ministério: culpar controle das fronteiras por violência em SP é inaceitável
    30 de outubro de 2012 • 19h25 • atualizado às 20h52
    O Ministério da Justiça divulgou nota nesta terça-feira rebatendo as afirmações do secretário de Segurança Pública de São Paulo Antonio Ferreira Pinto, que disse ao jornal Folha de S. Paulo que o governo federal não ofereceu ajuda ao Estado para conter o avanço da violência. O ministério diz que “em diversas oportunidades” ofereceu apoio ao governo de São Paulo na área de segurança pública e afirma que “é inaceitável, além de inverídica, a afirmação de que a elevação da violência em São Paulo deriva do descontrole nas fronteiras”.
    Em declarações recentes, Ferreira Pinto negou que tenha recebido oferta de ajuda para na área da segurança pública. Antes, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) havia dito que o governo federal não cumpre seu papel de policiar as fronteiras e isso seria um dos fatores agravantes para o aumento da violência no Estado.
    Na nota, o ministério afirma que “para que não exista qualquer dúvida sobre a proposta”, o ministro José Eduardo Cardozo enviou “mais uma vez” ofício ao governador Geraldo Alckmin nesta terça-feira propondo um plano integrado de segurança pública. A ideia, segundo a pasta, é que haja o “compartilhamento de dados de inteligência e oferecimento de vagas nos presídios federais, para que possam ser abrigados líderes de organizações criminosas que de dentro de presídios estaduais estejam comandando ações do crime organizado”.
    Em tom mais elevado, a nota enumera cinco pontos: no primeiro, ressalta que Cardozo reiterou a oferta de auxílio em reunião com o secretário de Segurança Pública de São Paulo realizada em junho deste ano; no segundo ponto, afirma que a proposta constitui na elaboração de um plano conjunto de combate ao crime organizado, como existe no Rio de janeiro e em Alagoas; no terceiro, o ministério diz que não é “um mero repassador de recursos financeiros para substituir o custeio ordinário de ações na área de segurança pública”; no item quatro, a nota reforça o envio de ofício a Alckmin nesta terça-feira; e, no quinto ponto, ressalta os avanços que o governo brasileiro conquistou no controle das fronteiras através de um plano estratégico coordenado pelo vice-presidente da República.
    “No mesmo período em que a violência sobe no Estado de São Paulo, em outros, o nível de violência caiu, como no caso de Alagoas, que teve redução de 10% de crimes violentos, sendo 20% somente em Maceió, e 83% de resolução dos inquéritos, em apenas quatro meses da atividade conjunta entre o governo do Estado e o ministério da Justiça”, diz a nota.
    O governo do Estado de São Paulo, também em nota, divulgada na noite de hoje, diz que não recebeu o ofício do Ministério da Justiça. “Assim que o receber, adotará todas as providências para intensificar a cooperação no combate ao crime, inclusive no intercâmbio de informações para o aperfeiçoamento do controle das fronteiras”.
    No comunicado, o governador Geraldo Alckmin esclarece ainda que “toda colaboração do governo federal na Segurança Pública é bem-vinda” e lembra que “parcerias de sucesso já ocorrem no combate à miséria, em grandes obras de infraestrutura e na habitação popular”.

    ,
    AGORA NÃO INTERESSA MAIS SE O PINTO CAI OU NAO CAI, O GOVERNADOR TA COM O C… NA MAO DA UNIÃO DECRETAR INTERVENÇÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO , E SO ESPERAR AS COISAS CONTINUAREM COMO ESTÃO,E O MINISTRO DA JUSTIÇA VAI TER QUE TOMAR PROVIDENCIA, A PRESIDENTE QUER UMA CADEIRA PERMANENTE NA ONU, E O GOVERNO DE SÃO PAULO, COM ESTA POLITICA DE SEGURANÇA, COMEÇOU A ATRAPALHAR, SEGUNDO REUNIÃO COM A CUPULA DO PSDB, CUIDADO XUXU, SEU FUNCIONARIO FERREIRINHA TA FAZENDO BURRADA. E O PAPO QUE ESTA ROLANDO DENTRO DO PARTIDO MALDITO !

    Curtir

  14. Ao senhor Antonio Ferreira Pinto, secretario da segurança publica, acho que esta nota do Ministerio da Justiça e para o senhor, aproveitando a oportunidade………chupa…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Agência de Notícias

    Agência de Notícias

    30/10/2012 – 18:36h

    Nota

    Em face de afirmações de autoridades do Estado de São Paulo no sentido de que a responsabilidade pela violência no Estado seria do Governo Federal em decorrência da suposta falta de fiscalização nas fronteiras, e ainda de que o Governo Federal nunca teria oferecido ajuda ao governo do Estado de São Paulo na área de Segurança Pública, o Ministério da Justiça esclarece:

    1. Em diversas oportunidades o Governo Federal ofereceu apoio ao Governo do Estado de São Paulo na área de segurança pública. Essa proposta foi reiterada, inclusive, em reunião do Ministro da Justiça com o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, em junho deste ano, em que questões da área de inteligência policial foram debatidas.

    2. A proposta de apoio consistiu na elaboração de um plano conjunto de ações voltadas ao combate do crime organizado e da criminalidade violenta, a exemplo do que vem sendo executado por outros estados brasileiros, como o Rio de Janeiro e Alagoas, cujos índices de criminalidade, nas áreas focadas, reduziram drasticamente.

    3. Não cabe ao Ministério da Justiça ser um mero repassador de recursos financeiros para substituir o custeio ordinário de ações na área de segurança pública. O orçamento do Estado de São Paulo é um dos maiores do país e, por isso, a proposta de apoio federal sempre foi feita na perspectiva da elaboração de um plano integrado de ações, com uma matriz de responsabilidades recíprocas definidas.

    4. Para que não exista qualquer dúvida sobre a proposta apresentada ao governo do Estado, o Ministro da Justiça encaminha nesta terça-feira (30/10) ofício ao governador Geraldo Alckmin em que manifesta, mais uma vez, a intenção de que seja pactuado um plano integrado de segurança pública, com compartilhamento de dados de inteligência e oferecimento de vagas nos presídios federais, para que possam ser abrigados líderes de organizações criminosas que de dentro de presídios estaduais estejam comandando ações do crime organizado.

    5. Finalmente, é inaceitável, além de inverídica, a afirmação de que a elevação da violência em São Paulo deriva do descontrole nas fronteiras. O Plano Estratégico de Fronteiras, lançado em junho de 2011, sob coordenação da Vice-Presidência da República, tem resultados positivos mensuráveis: desarticulou mais de 50 organizações criminosas transnacionais, apreendeu mais de 227 toneladas de drogas, 9 milhões de pacotes de cigarro, 145 mil garrafas de bebida e 1.171 armas de fogo, além de prender mais de 7,5 mil pessoas em flagrante. No mesmo período em que a violência sobe no Estado de São Paulo, em outros, o nível de violência caiu, como no caso de Alagoas, que teve redução de 10% de crimes violentos, sendo 20% somente em Maceió, e 83% de resolução dos inquéritos, em apenas quatro meses da atividade conjunta entre o governo do Estado e o Ministério da Justiça.

    Assessoria de Comunicação Social
    Ministério da Justiça

    Curtir

  15. Sinto informar que quem vai continuar chupando é a PC……fudeu, o cara mostra força cada vez que tem um microfone e ninguém peita……já era, só deixa a cadeira quando e se quizer !

    Curtir

  16. No processo DGP-7.470-10-SSP, vols. I a V (CC-87.978-10)
    c/aps. GS-6.472-12 (CC-59.138-12), sobre autorização para o
    provimento de cargos: “À vista dos elementos de instrução do
    processo e da exposição oferecida pelo Secretário da Segurança
    Pública, autorizo a Pasta requerente a adotar as providências
    necessárias visando ao provimento de 157 cargos vagos de
    Delegado de Polícia de 3ª Classe, mediante o aproveitamento
    de remanescentes de concurso público com prazo de validade
    em vigor, observadas as disponibilidades orçamentárias e
    obedecidos os preceitos legais e regulamentares atinentes à
    espécie.”

    DO do dia de hoje 31/10/12.
    Vai aproveitar o pessoal remancescente do concurso Delpol, ainda válido.

    Curtir

  17. A faculdade do ABC que obedeceu ao toque de recolher é conceituada no meio acadêmico.
    Isso ajuda a puxar a “cabeça do pinto”.

    Curtir

  18. O pior é que quanto mais puxa a cabeça do pinto, mais ele endurece.

    Curtir

  19. o resultado de ações judicial ,que tem parte pc o resultado e sempre o mesmo decisão
    improcedente os autores deverão recolher custas e taxas ,recebem salarios acima da media
    dos trabalhadores brasileiros.

    Curtir

  20. A lenda Urbana é literalmente fogo na bomba. Ladrões comuns, Burros pra car… mó boi de desarticular. É só pagar que salario digno e oferecer condições de trabalho.

    Curtir

  21. Não existe crime perfeito, porém nenhum crime poderá ser esclarecido com uma polícia desaparelhada, desestimulada e desamparada pelo governo.

    Curtir

  22. hc, beleza?
    Então, Deus te ouça e faça que o Lula se candidate em 2014 para disputar o governo de SP!
    Espero que o povo de SP faça uma mudança e faxina para tirar os vermes do PSDB do poder de SP!
    O Pt é corrupto, mas o PSDB é bem mais, paga mal os seus servidores e não respeita as greves destes.
    Na família eu tenho um cunhado que é delegado da PF, ele disse que nos tempos do FHC a PF era sucateada, algo que alckimim e serra fizeram e continuam a fazer com a PC de SP.
    Esse meu cunhado delegado enfatiza que o PSDB é o estado mínimo e com razão, hoje, nas mão do PT a PF é outra e com salários melhores, mesmo com a greve do policiais federais!
    O meu pai é coronel da FAB e para o ano que vem os militares federias, no governo do PT, terão 30% de aumento, se fosse com o PSDB no poder, NECAS!!
    Tenho um irmão da PC e em 10 anos de polícia o aumento dele através da iniciativa do governo do estado foi de 100 reais só!
    Já eu, para ganhar mais, tive que pedir exoneração e estudar para um cargo melhor dentro do próprio ESTADO, pois eu nunca fui atendido no que tange a aumento salarial, fora que o ESTADO me deve 3 meses de salários devido a uma cirurgia que eu fiz!
    Portanto, torço com FÉ para que o PT vença a eleição no estado de SP e que seja o LULA, pois esse cara é flexível e coerente!
    Já essa trupe do PSDB nã ovale nem o feijão azedo que deveria comer!!!
    Fica aqui o meu respeito pelos policiais civis e os militares!!

    Curtir

  23. Um policial é assassinado a cada 32 horas no país, revela levantamento feito pela Folha nas secretarias estaduais de Segurança Pública.
    De acordo com esses dados oficiais, ao menos 229 policiais civis e militares foram mortos neste ano no Brasil, sendo que a maioria deles, 183 (79%), estava de folga.
    O número pode ser ainda maior, uma vez que Rio de Janeiro e Distrito Federal não discriminam as causas das mortes de policiais fora do horário de expediente. O Maranhão não enviou dados.
    São Paulo acumula quase a metade das ocorrências, com 98 policiais mortos, sendo 88 PMs. E só 5 deles estavam trabalhando. O Estado concentra 31% do efetivo de policiais civis e militares do país, mas responde por 43% das mortes desses profissionais em 2012.
    Pará e Bahia aparecem empatados em segundo, cada um com 16 policiais mortos.
    Para Camila Dias, do Núcleo de Estudos da Violência da USP, o número é elevado. “Apenas para comparação, no ano de 2010 foram assassinados 56 policiais nos EUA.”
    Segundo ela, a função desempenhada pelos policiais está relacionada ao alto número de mortes, mas em São Paulo há uma ação orquestrada de grupos criminosos, que leva ao confronto direto com a Polícia Militar.
    Os PMs foram as principais vítimas, no Brasil e em São Paulo: 201, ante 28 civis.
    VULNERÁVEL
    Para a pesquisadora da USP, a maioria dos policiais é morta durante a folga porque está mais vulnerável e a identificação dos atiradores é difícil.
    Guaracy Mingardi, ex-subsecretário nacional de Segurança Pública, diz que os dados revelam uma “caça” a policiais.
    Segundo ele, trata-se de um fenômeno recente, concentrado principalmente em São Paulo numa “guerra não declarada” entre PMs e chefes da facção criminosa PCC.
    Cabe à polícia, diz Mingardi, identificar os mandantes e a motivação dos crimes para evitar uma matança após a morte de um policial.
    Muitos dos policiais morrem em atividades paralelas à da corporação, no chamado bico. “A minha responsabilidade é com o policial em serviço”, diz o o secretário de Defesa Social (responsável pela segurança pública) de Pernambuco, Wilsom Sales Damásio, onde morreram 14 policiais neste ano.
    Em vários Estados, os policiais reclamam de falta de assistência. “Já houve o caso de um policial ameaçado que foi viver na própria associação até achar uma nova casa”, afirma Flavio de Oliveira, presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do Espírito Santo.

    fonte: http://www.tribunahoje.com/noticia/44744/brasil/2012/10/31/brasil-tem-um-policial-assassinado-a-cada-32-horas.html

    Curtir

  24. Em respeito ao título da postagem que me induz ao presente comentário, penso que parece óbvia a afirmação emprestada ao título do livro, pois realmente não existe crime perfeito. Parafraseando o autor da obra, ouso externar a seguinte interrogativa: QUAL DESTINO MERECE OS CRIMINOSOS IMPERFEITOS? Já enviei ao Flit o Capítulo III da saga que vivenciei na Polícia Militar do Estado de São Paulo. Ainda é muito precoce a antecipação do desfecho. Não restará omisso, ao cabo da completa descrição, o mais singelo detalhe de como o TÚNEL DA PATIFARIA, iniciado na Rua ilhéus, 61, Santo André, chegou ao lamacento subsolo do nº 285 da Rua Dr. Vila Nova, TJM/SP, onde irrefutavelmente mora o aval da epigrafada PATIFARIA SEM LIMITES.

    Curtir

  25.  Quarta-feira, 31 de Outubro de 2012 | ISSN 1519-7670 – Ano 17 – nº 718
    CADERNO DA CIDADANIA
    SEGURANÇA PÚBLICA
    São Paulo, uma guerra particular
    Por Luciano Martins Costa em 31/10/2012 na edição 718

    Comentário para o programa radiofônico do OI, 31/10/2012

    Agora a informação é oficial: a explosão de violência em São Paulo tem relação com uma guerra entre o crime organizado e a Polícia Militar. Os jornais de quarta-feira (31/10) revelam detalhes que confirmam suspeitas de descontrole das autoridades do estado sobre seus agentes e evidenciam que a causa principal da onda de assassinatos é a própria estratégia de segurança.

    O Estado de S.Paulo informa, com reportagem destacada na primeira página, que a polícia encontrou uma “lista da morte” na favela de Paraisópolis, com nomes e descrições físicas de policiais marcados para morrer. A relação teria sido apreendida numa “central de espionagem” do grupo conhecido como Primeiro Comando da Capital, que, segundo a imprensa, controla presídios, domina o tráfico de drogas e mantém sob seu poder muitas comunidades da periferia da cidade.

    O Estado de S. Paulo reproduz o que seria um fac-símile da ordem para a execução de policiais militares. Sob o título “Salve geral”, o texto convoca os integrantes do grupo a reagir contra flagrantes forjados pela polícia e contra as execuções de seus parceiros.

    Para cada membro do PCC preso sob falsa alegação, a ordem é matar um policial, e para cada integrante do grupo morto em circunstância que eles consideram desigual, sem chance de reação, devem ser mortos dois policiais, sempre da mesma corporação e na mesma região onde ocorrerem os eventos, diz o comando.

    Acusações mútuas

    A se considerar verdadeiro o material divulgado pelo jornal, não há mais como o governo do estado negar que a explosão de homicídios que assusta os paulistas tem uma relação direta com ações questionáveis da Polícia Militar.

    As causas expostas seriam flagrantes forjados de posse de droga e execuções sob a alegação de confronto armado.

    O noticiário vinha dando margem a interpretações perigosas como essa, e já alimentava especulações ainda mais perturbadoras, como, por exemplo, por que esse estado de beligerância não afeta também a Polícia Civil. No entanto, entre os documentos apreendidos havia indícios de que a quadrilha pretendia matar pelo menos dois policiais civis do setor de repressão a roubos e assaltos.

    A apreensão dos documentos só foi possível porque, desde a madrugada de segunda-feira (29/10), a favela de Paraisópolis foi tomada por 600 policiais militares, que mantém barreiras em todos os acessos da comunidade.

    Paralelamente, os jornais relatam desentendimentos entre o secretário da segurança paulista e o ministro da Justiça, envolvendo questões partidárias e acusações mútuas de omissão. O secretário de Segurança afirma que a causa da violência em São Paulo é o descontrole das fronteiras, atribuição federal. O ministro da Justiça diz que ofereceu ao governo paulista apoio nas investigações e vagas em presídios federais para abrigar líderes de organizações criminosas.

    Medo na Avenida Paulista

    Diferente do Estadão, que usou seus repórteres para esclarecer o estado de guerra que assusta a população paulista, a Folha de S. Paulo procura desviar a pauta para o cenário nacional, com uma manchete na qual afirma que “um policial é morto a cada 32 horas no Brasil”.

    O levantamento tem como base relatórios das secretarias estaduais de Segurança Pública e dá a entender que o fenômeno é nacional, mas lá pelo meio da manchete o texto esclarece que quase a metade das ocorrências se concentra em São Paulo, onde 98 policiais foram assassinados neste ano, sendo 88 da Polícia Militar. Só cinco deles morreram em horário de serviço, o que comprova a tese de que os criminosos estão caçando policiais militares em suas casas, executando-os quando estão de folga.

    O esforço da Folha para diluir as atenções que se voltam para São Paulo produz no leitor mais crítico a sensação de que alguém está tentando enganá-lo. Os números da violência contra policiais em São Paulo são esclarecedores: no próprio texto em que procura amenizar a situação paulista, o jornal informa que os estados do Pará e da Bahia, que ficam em segundo lugar no total de policiais assassinados, tiveram cada um apenas 16 casos durante o ano.

    Especialistas citados pelos dois jornais lembram que, acuados pela ameaça constante, os policiais perdem eficiência e aumentam a agressividade, sem contar que muitos deles saem deliberadamente em missão de vingança, o que explica a espiral de assassinatos.

    Segundo o Estadão, a onda de violência tem provocado o fechamento de escolas e casas de comércio em bairros da periferia. “Medo já muda rotina até na [avenida] Paulista”, diz o título de uma reportagem do jornal

    Curtir

  26. Ahhh tá, os recolhas, chefes milionários, as cadeiras a preço de ouro, os acharques nos traficantes, os acertos e ninguém se arromba !!!
    Escreve outro que esse já era !

    Curtir

  27. Desculpem-me pelo erro de concordância verbal. Corrijo-a: QUAL DESTINO MERECEM OS CRIMINOSOS IMPERFEITOS?

    Curtir

  28. Tanto o Governador do Estado de são Paulo Geraldo Alckimim como o Ex- Serra do PASDB, acham que Policiais tem que trocar tiros com bandidos e ganhar uma miséria, estão errados, nenhum Policial vai querer ficar se expondo por um salário miserável e depois a ainda tem que fazer bicos oficial nas Prefeituras para complementar o pão de cada dia. Esses governantes acham que os Policiais são idiotas. Pior é saber que o próprio Geraldo Alckimim foi contra a pec 300 que estabelecia um piso salarial para os Policiais, eu me lembro bem disso, ele falou que era contra a pec 300 por princípios. Que princípios são esses? Os princípios deles é que os Policias tem que ganhar pouquinho, fala sério, tem cabimento um Governador pensar assim? Depois nós vimos nas eleições que o PSDB esta afundando, agora perdeu até a Prefeitura de São Paulo para o Haddad do PT, mais o que poucos sabem é que o Alckimim e Serra acabaram com o nome do PSDB aqui no Estado de São Paulo, eles tem manias de pagar bem pouquinhos para os servidores públicos e assim quem é prejudicado é a população que paga os impostos. Sabe de uma coisa, percebi que eles sucateiam os serviços públicos para favorecerem as empresas privadas que vão muito bem obrigada. É uma vergonha essa maneira de governar, pior que eles ainda tem o descaramento de fazer propagandas na televisão dizendo que estão fazendo isso e aquilo, mas na verdade eles priorizam apenas algumas coisas que dá ibope na mídia e quanto o lado social eles não estão nem ai e que se dane os mais pobres que como sempre são os que mais sofrem. Os ricos não estão nem um pouco preocupados, eles viajam de avião e helicópteros, quando com carrões blindados e escoltas armadas, usam médicos particulares e o Hospital dos ricos é o tal Albert Staem, nem sei falar esse nome Libanês, tem outro que é o tal Sírio Libanês que atende os ricaços também , já os pobres ficam morrendo nos corredores dos Hospitais Públicos, jogados em macas ou pelo chão e mendigado uma consulta pelo SUS, os filhos dos ricos estudam em escolas particulares de alto padrão e Universidades de ótima qualidade e até no exterior, já os pobres precisam da escola pública onde não se aprende nada e por cima tem traficantes viciando as crianças e adolescente dentro e nos arredores das escolas, as estradas estão todas cheias de pedágios e os ricos nem ligam porque aquele dinheirinho que eles pagam é considerado dinheirinho de pingas, já o pobre vai viajar e não sabe se abastece o carro ou guarda o dinheiro para pagar os pedágios. É preciso uma providência do Governo federal para acabar com essa farra com o dinheiro público aqui no estado de São Paulo onde os pobres estão sofrendo bastante. Os Policias trabalham e ganham uma miséria, os Médicos e Enfermeiros trabalham bastante e ganham uma miséria, os Professores trabalham bastante e ganham uma miséria. Assim não dá, é preciso investir nos servidores públicos, ninguém trabalha a troco de bananas. Eu vou repetir uma coisa que muitos andam dizendo por ai, em 2014 o PSDB vai perder o governo do Estado de São Paulo por culpa do Alckimim e do Serra, por pura falta de compreensão com os servidores públicos, principalmente com essas três categorias (segurança, saúde e educação).

    Curtir

Os comentários estão desativados.