Mais um soldado da Tropa de Choque executado no bico ( fita dada) 54

12/11/2012- 16h54

PM é morto durante roubo a banco no centro de SP

DE SÃO PAULO COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Atualizado às 17h19.

Um policial militar foi morto e outro ficou ferido após um roubo na porta de um banco na rua São Caetano, na região central de São Paulo, por volta das 15h desta segunda-feira (12).

Informações preliminares apontam que os policiais prestavam serviço a uma empresa de segurança privada. Eles saíam de uma agência do banco Itaú com malotes quando foram abordados por dois suspeitos armados em uma moto Falcon preta.

Os criminosos dispararam diversas vezes contras as vítimas. Após o ataque, eles levaram os malotes e as armas dos policiais.

O policial que morreu era soldado da Tropa de Choque. A segunda vítima, que ficou ferida, era cabo aposentado do 2º Batalhão da Tropa de Choque.

A Polícia Militar confirmou a ocorrência, porém não soube informar se os baleados prestavam serviço à corporação no momento do crime.

O caso será registrado como latrocínio –quando há roubo seguido de morte– no 12º DP (Pari) e investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa).

João Alkimin: TROPA SEM COMANDO, ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR DA POLÍCIA CIVIL SEM NOÇÃO 23

TROPA SEM COMANDO, ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR DA POLÍCIA CIVIL SEM NOÇÃO.
Estou absolutamente estarrecido com a declaração do Delegado Geral Marcos Carneiro que a informação dada pelo Ministério Público e pela Polícia Federal era mentirosa, e que o documento com o timbre da Polícia Civil dando conta que desde 22 de agosto a Administração superior tinha conhecimento de que ataques seriam perpetrados contra Policiais era falso.
Ora, se o documento é falso a pergunta que não quer calar é a seguinte: O Ilustre Delegado Geral já instaurou o competente inquérito policial para apurar a falsidade documental, se o fez deve vir a público e comunicar o número do mesmo. Se não o fez já esta incorrendo no crime de prevaricação, pois disse com todas as letras que o documento era falso. E se era falso cabe ao Delegado Geral ou ao Secretário da Segurança Pública apurar com o máximo rigor, pois sob minha ótica a falsificação de um relint é absolutamente grave, e desmoraliza a unidade de inteligência policial.
Serão todos mentirosos: O Ministério Público, a Polícia Federal e o único dono da verdade o Delgado Geral. Isso soa estranho.
Ira agora o Senhor Secretário determinar abertura de inquérito policial contra o jornalista Ali Kamel diretor de jornalismo da Rede Globo, e o jornalista César Galvão assim como fez com os jornalistas Fernando Mitre diretor de jornalismo da Rede Bandeirantes e os jornalistas Sandro Barbosa e Fábio Panunzzio, dou o meu pescoço a forca se fizer afinal é como no caso do delegado Conde Guerra, a Globo da a matéria, Guerra repercute, contra a Globo nada se faz e Guerra vai para a rua. Essa é a lógica da administração.
Entendo como cidadão que o Delegado Marcos Carneiro não tem mais condições de gerir os rumos da Polícia Civil e deveria num ato de grandeza entregar o cargo.
Por outro lado a Polícia Militar deu mostras claras e evidentes de que se encontra desgovernada e sem comando e a Rede Globo mostrou com clareza um cidadão sendo morto a tiros dentro da viatura policial. Já disse inúmeras vezes e repito: – Não sou eu que vou chorar a morte de bandidos mas não posso aceitar execuções puras e simples. Isso é no mínimo imbecilidade, pois qualquer um sabe que qualquer telefone celular grava imagens, portanto são acima de tudo despreparados e com isso 5 já se encontram presos e outros 25 investigados, mas também por uma questão de lógica credito isso ao medo que os policiais estão vivendo.
Quando fiz a matéria anterior o Dr. Tovani criticou-a entendendo que Juízes de Direito são superiores a Delegados inclusive referindo-se ao Dr. Frederico disse: ” Já foi tarde”. Tal atitude por parte de um Advogado intrigou-me e curioso como todo jornalista fui buscar respostas e acho que as encontrei. o Dr Tovani antes de advogar era Juiz de Direito nas Minas Gerais e ao que parece mesmo depois da aposentadoria não abandonou a toga do magistrado nem vestiu a beca do advogado, por outro lado hoje advoga para centro social dos cabos e soldados da Polícia Militar e será que se um PM houvesse detido um Juiz embriagado ele não iria defende-lo e iria dizer “já foi tarde” se o mesmo houvesse sido demitido.
Por outro lado, se aquele Promotor de Justiça que atropelou uma família estando bêbado houvesse sido autuado em flagrante com certeza a população acreditaria mais na justiça. Por tal fato transcrevo aqui um e-mail que recebi (sic)
“detalhes …
pecuarista estava praticando racha....bateu no veiculo infelizmente o motorista é filho de um juiz de direito que agora se aposentou.,.. 
o menino esta prontamente recuperado. o promotor que estava fazendo a denuncia. foi o Dr.Wagner, que matou 03.. 
foi condenado pena de l5.000 reais e quatro anos,regime aberto..
o pecuaarista jose antonio escatolinm filho, o erro., pois ficou sabendo que era filho de um juiz fugiu, para se apresentar,
decretaram a preventiva.. encontra-se preso ha mais de 02 anos.. ia pra juri, em araçatuba, os advogados desaforaram....n
ão consegue sair.... entra no google.. você veja detalhes......ele se encontra preso. .ha mais de 02 anos, numa lesão corporal.......
não morreu ninguém o promotor matou 03.. ta solto, recebendo...é brasil... o conde guerra.. transcreveu ta na rua.. 
fui absolvido, inexistência do fato, não volto. Frederico...prendeu juiz, que hoje é desembargador da 2 câmara criminal TJSP"
Portanto, reafirmo existe sim dois pesos e duas medidas e Juiz ou Promotor não são deuses, por outro lado o dr. Tovani t
ambém cometeu outro erro, Delegado de Polícia não é passível da pena de disponibilidade como Promotor e Juiz ou é absolvido ou 
vai para rua sem nenhum salário. Portanto, não pode se beneficiar dessa excrecência que é ser colocado em disponibilidade e c
ontinuar recebendo o salário integral que é pago por nós população. 
Hoje chego a conclusão de que o Delegado Marco Antonio Desgualdo em uma carta que me enviou termina dizendo "
 OS IGUAIS DEVEM SER TRATADOS IGUAIS E OS DESIGUAIS DE MANEIRA DESIGUAL" mais ou menos aquilo que se encontra a 
Revolução dos Bichos do escritor George Orwell que diz:

“Todos os bichos são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros”

João Alkimin

João Alkimin é radialista – http://www.showtimeradio.com.br/

RESULTADO DE COMANDO FANTOCHE E DO DESESPERO DA TROPA – Todo policial tem por obrigação matar quem quis lhe matar: MAS QUE FAÇA QUANDO NINGUÉM VÊ! 48

11/11/2012-22h16

PMs são presos suspeitos de matar homem em SP

DE SÃO PAULO

Um vídeo amador mostrando o servente Paulo Batista Nascimento, 25, sendo encurralado em uma casa, na zona sul de São Paulo, por policiais militares e, em seguida, aparecendo morto, gerou neste domingo (11) ordem de prisão para cinco PMs envolvidos.

Os policiais abordavam um veículo que havia sido roubado quando as cenas foram gravadas por um vizinho da vítima. Houve troca de tiros

No boletim de ocorrência registrado, segundo o programa “Fantástico”, que exibiu as imagens, Nascimento estaria no veículo com outras duas pessoas e teria fugido.

O documento não trazia mais detalhes sobre o homem –que já havia sido condenado por receptação, roubo e falsificação de documentos–, apenas que o corpo havia sido encontrado em uma viela.

Na gravação, porém, o servente aparece vivo quando é cercado. Ele leva tapas e chutes dos policiais e é colocado dentro do carro de polícia. É possível ouvir o barulho de um tiro.

Ainda de acordo com o programa da TV Globo, os PMs afirmaram ter socorrido Nascimento, que deu entrada às 21h40 no hospital.

Outros 25 policiais que participaram da ação, mas não aparecem nas imagens, vão ter de dar esclarecimentos ao Comando da Polícia Militar.

Estrebucha, filho da puta!…Morre, filho da puta!…Governo Alckmin acabou, só lhe resta agora morrer de câncer e ser enterrado com as homenagens prestadas a Mário Covas 28

12/11/2012-08h33

Governo Alckmin acabou

As mortes em série na região metropolitana de São Paulo indicam que o governo Alckmin acabou. Pode até renascer nos próximos dois anos se vencer a guerra contra o crime organizado – mas, neste momento, o governador Alckmin vive uma crise de imagem, carregando nas mãos a pior notícia dos últimos tempos em São Paulo.

A grande vitória tucana (comemorada desde o início nesta coluna) foi a queda da taxa de homicídio em São Paulo, especialmente na região metropolitana e na capital. Saímos do nível epidêmico. Virou a principal marca de uma gestão, apesar de outras modalidades de crime terem se estabilizado ou mesmo aumentado.

O problema de Alckmin é que seu governo, neste momento, nem tem nenhuma marca visível em saúde, educação ou transporte público. Existem avanços, claro – e bons. Mas não suficientes para servir de vitrine.

Mas perdeu-se, por enquanto, a vitrine da segurança. E até deu chance para o PT, cujo sonho é conquistar o Palácio dos Bandeirantes, faturar, oferecendo ajuda ao governo estadual – e podem apostar que isso vai para o horário eleitoral.

O momento, porém, não é de tentar faturar politicamente. O momento é de toda a sociedade apoiar os esforços policiais contra o crime organizado, juntando de sindicatos a empresários, além de todos os níveis de governo.

Qualquer governador eleito, afinal, enfrentará essas mesmas forças.

Gilberto DimensteinGilberto Dimenstein ganhou os principais prêmios destinados a jornalistas e escritores. Integra uma incubadora de projetos de Harvard (Advanced Leadership Initiative). Desenvolve o Catraca Livre, eleito o melhor blog de cidadania em língua portuguesa pela Deutsche Welle. É morador da Vila Madalena
————————————————–
Que fique bem claro: Filho da puta é o governo; não a pessoa do governador!