O Flit Paralisante deseja feliz aniversário ao nosso ilustre Dr. RONALDO TOVANI 41

Grato pelos cumprimentos. Não são todos que chegam aos 63, com 40 de formado em direito. Parece que tudo aconteceu ontem!…E me ajuda ai, ohhhh!!! De Cascais, Portugal, para os viciados no Flit, Brasil

 

 

 

Resultado de imagem para ribalta vinho portugues

 

Muita saúde, Dr.!

  1. Dr. Tovani, do fundo do meu coração, que essa data se renove por muitos e muitos anos de vida. Dr. o que me alegra é que, no último dia 02 p.passado, graças ao bom Deus, consegui formar, também em direito, a minha ” raspa do tacho”, ou seja minha filha de 23 anos de idade, e com um detalhe já aprovada de primeira na O.A.B. Um grande abraço. E, me ajude aí ó !….

    Curtir

  2. K.K.K.K.K.K. Rapaz !, o “fedidinho”, além de exalar aquele odor desagradável, também sente aquela dor de ” cotovelo”. Vai tomar um banho seu sujinho !. K.K.K.K.K.K. E, me ajudem aí ó !….

    Curtir

  3. Rapaz !, Pelo codinome, muito fedido para ser uma Excelência. E, me ajudem aí ó !

    Curtir

    • Nao discuto nick. O seu é blindadao e pelo que consta toma tapa na cara, gosta de tromba e é frequentador do Arouche, então, nao discutamos nick.

      Curtir

  4. Ó !, Seu seboso , você jamais vai me intimidar em dizer que é ou foi juiz. Afirmo que para o Dr. Tovani eu tiro o chapéu e pra você em dou minha chapeleta. Vai tomar banho, seu sujinho . E, me ajude aí ó !…

    Curtir

  5. Parabéns Dr. Tovani, saúde e paz ao Sr. e que curta cada segundo de sua merecida APOSENTADORIA.

    Curtir

  6. Boa Noite!

    Senhoras e Senhores.

    Feliz Aniversário Dr RonaldoTovani! Parabéns!

    A região de Faro e de Cascais são excelentes lugares para morar e possuem ótimos restaurantes.

    Espero voltar breve!

    Abraços!

    Caronte

    Curtir

  7. Ei !, o único juiz que conheci, foi o meu inesquecível colega Wanderlei Boschila, o qual como policial, tinha um pequeno defeito. Lá no 4º D.P. Consolação, expedi uma O.S., a fim de que ele diligenciasse na rua Martinho Prado, distante duas quadras do D.P., no sentido de localizar e apresentar em cartório uma testemunha. Ocorre que se passaram seis meses e nada de relatório daquela O.S., quando não restou-lhe aquele bondão. E, me ajudem aí ó !….

    Curtir

  8. No acima exposto, entenda-se “quando só lhe restou aquele bondão “. Rapaz !, ultimamente eu ando muito alegre K.K.K.K.K.K.K.K.K.K.K.K.K. E, me ajude aí ó !….

    Curtir

  9. Pesquisadora vê troca de favores entre Poderes num jogo para atender interesses corporativistas Gestão tucana e MP estadual contestam conclusões do estudo

    Em abril de 2014, o então presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Renato Nalini, suspendeu uma liminar da primeira instância que garantia a implantação, em até 60 dias, de duas equipes médicas mínimas no Centro de Detenção Provisória de Serra Azul, perto de Ribeirão Preto. O magistrado acatava assim um recurso movido pela Procuradoria do Estado. Em sua justificativa, mencionava o esforço orçamentário que o Estado teria de fazer e argumentava que a carceragem já possuía um enfermeiro, um cirurgião dentista, dois auxiliares de enfermagem, dois psicólogos e dois assistentes sociais. Entretanto, 60 presos haviam morrido no ano anterior por falta de atendimento médico. Esta era uma das principais provas que constavam nos autos da ação movida pelo defensor público Bruno Shumizu, que após a negativa recorreu ao Superior Tribunal de Justiça, em 2015.

    A história acima se repete em grande parte dos 566 casos que passaram pela presidência do TJ entre 2012 e 2015 após o Governo de Geraldo Alckmin (PSDB) entrar com um pedido de suspensão de segurança, que é um instrumento utilizado por entes públicos para questionar uma sentença da primeira instância e pedir, diretamente à presidência do TJ, a anulação de seus efeitos. Os casos foram analisados pela pesquisadora da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Luciana Zaffalon, que chegou ao seguinte panorama: quase metade das resoluções foram favoráveis ao Governo. Dos 15 processos relacionados à segurança pública que chegaram à presidência do TJ, ela constatou que 13 foram suspensos, atendendo aos interesses do Governo Alckmin. A justificativa usada com mais frequência é a de que o Estado teria de fazer um esforço orçamentário, segundo o estudo. Alckmin também foi atendido em 82% dos casos que tratam de licitações, contratos e atos administrativos, segundo a pesquisadora. Ele só foi derrotado em todas as ações que demandavam a aplicação do teto remuneratório para as carreiras públicas.

    Essa tendência favorável ao Governo é um dos efeitos, segundo explica a especialista em sua tese de doutorado em Administração Pública e Governo, da politização da Justiça paulista, rendida à lógica do toma lá, dá cá. Zaffalon, que também foi ouvidora-geral da defensoria, mapeou o processo legislativo que resultava em aumentos de salários e bonificações para os membros da Justiça, Ministério Público e Defensoria paulistas. Ela argumenta que essa política salarial generosa tem impacto sobre as decisões (ou omissões) dos integrantes dessas instituições em relação ao Palácio dos Bandeirantes. A pesquisa, disponível on-line, abarca os anos de 2011 a 2016 e conclui que “diante dos resultados observados, a existência de freios e contrapesos é praticamente ausente no Estado de São Paulo”.

    A conclusão é questionada pelos principais atores analisados no estudo, incluindo o Ministério Público e a Defensoria Pública do Estado. Para o Governo Alckmin, trata-se de uma análise “parcial e equivocada”. Questionado pela reportagem, a gestão paulista diz que não é o Executivo que define as políticas salariais das carreiras. Já o Tribunal de Justiça disse que a tese ainda será analisada e, se for o caso, contrastada.

    Triangulação na Assembleia
    Para a tese, que se transformará em livro em breve, Luciana Zaffalon vasculhou os projetos de lei e propostas legislativas que passaram pela Assembleia entre 2011 e junho de 2016 e que afetavam a Justiça paulista. Constatou que 83% delas resultavam em algum benefício corporativo. Além disso, 47% das propostas previam vantagens como auxílios, gratificações ou bonificações que a serem custeadas. A Assembleia também transferia a Alckmin a palavra final sobre verbas extras, segundo a pesquisadora: “Chama a atenção a Assembleia transferindo pra Governo a possibilidade de negociação orçamentária e as práticas remuneratórias das carreiras. Só o TJ ficou com 21% de todas as suplementações orçamentárias de 2015. É muito dinheiro”, explica a pesquisadora ao EL PAÍS.

    Um dos exemplos da pesquisa é a trajetória salarial do Ministério Público de São Paulo. A pesquisadora concluiu que só 3% dos integrantes da carreira não superava o teto constitucional, equivalente ao salário do ministro Supremo Tribunal Federal, em 2015. Analisando a folha de pagamento, sem considerar décimo terceiro salário e férias, o rendimento mensal médio do MP foi de 46.036 reais — enquanto o teto era de pouco mais de 33.000 reais. Só no MP os complementos remuneratórios, como auxílios, bonificações e outros penduricalhos, representaram um gasto 421 milhões de reais. O Ministério Público, no entanto, contesta e diz que nenhum de seus membros “recebe mais do que o teto”. Argumenta que “pagamentos de natureza indenizatória, em que o promotor de Justiça é ressarcido por despesas que realizou no cumprimento de sua função, não constituem remuneração”.

    Postos no Governo Alckmin
    Zaffalon destaca os vasos comunicantes entre a carreira no Ministério Público e postos de destaque no Governo Alckmin para defender que essas conexões acabam influenciando as condutas dos promotores que deveriam fiscalizar a gestão estadual. “Se a gente olha para o histórico do Estado, os últimos sete secretários de segurança [como Alexandre de Moraes, hoje ministro no STF, e o atual chefe da pasta Mágino Alves] são oriundos do MP. Hoje o secretário de Justiça do Governo também veio de lá”, afirma. O secretário de Educação de Alckmin, Renato Nalini, foi por anos o presidente do Tribunal de Justiça, responsável direto por avaliar os pedidos de suspensão feitos pelo Palácio dos Bandeirantes.

    “Como o Estado tem se comportado, sobretudo nas áreas de periferia? Uma das atribuições do MP é o controle do externo da atividade policial”, questiona a pesquisadora, que critica o alto número de mortes cometidas por policiais e o que vê como falhas na conduta do Ministério Público na hora de investigá-los.

    O MP ressaltou em nota ao EL PAÍS que os convites para que seus membros ocupem secretarias têm “caráter estritamente pessoal” e não impedem que a instituição “cumpra o seu papel”, uma vez que “inúmeros membros do Governo estadual têm sido processados na esfera cível e penal”. A nota ainda diz que “só nas Promotorias do Patrimônio Público há cerca de 1.500 inquéritos e ações civis que envolvem agentes públicos, boa parte deles ligada ao governo estadual”. Já o Governo Alckmin diz que “o quadro de secretários é amplo” e escolhido “de forma a melhor atender ao interesse público”.

    UM JUDICIÁRIO MAIS CARO QUE NA EUROPA
    A remuneração média das carreiras jurídicas em São Paulo não apenas é superior à média nacional como também à de alguns países europeus, segundo o estudo da FGV. Um membro do MP paulista, por exemplo, tem um rendimento anual médio, contanto com décimo terceiro salário e férias, de 157.130 euros. Na França, o rendimento anual para a mesma carreira jurídica é de 113.478 euros; na Alemanha, 73.679 euros; em Portugal, 85.820 euros; na Espanha, 111.932 euros; e na Suécia, 69.318 euros. O dados de São Paulo refletem também o alto custo do Poder Judiciário para os brasileiros e brasileiras de forma geral. Segundo a pesquisa, a despesa anual do Judiciário do país por habitante é de 94,23 euros, enquanto na Suécia é de 66,70 euros; na Holanda, de 58,60 euros; na Itália, de 50 euros; em Portugal, de 43,20 euros; e na Espanha, de 27 euros. Cerca de 89% desse gasto no Brasil destina-se ao pagamento de salários, enquanto que nos países europeus essa média cai para 70%.

    Fonte: El País
    Link da matéria: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/27/politica/1501165558_792710.html

    Curtir

  10. K.K.K.K.K.K. juiz ! K.K.K.K.K. Só se for de briga de galo. E, me ajudem aí ó !….

    Curtir

    • Se me permitir um aparte, esqueça, já está rolando um vídeo na internet onde o Dória indica como será a nova “modalidade” salarial no seu governo, mais uma vez os aposentados vão ficar na mão.
      As associações e sindicatos têm que começarem a se coçar ….

      Curtir

        • Recebi no WhatsApp o Dória fala,fala,….e não diz nada efetivamente, quando um senhor, penso que é o Cel Telhada, questiona, ” Não podemos quebrar a paridade com o aposentados”.
          Quando o Dória retruca,” Vamos ver, temos que agir com responsabilidade fiscal”.
          Dando a entender, melhor deixando claro, que o aposentados não serão contemplados com a lenda que : “Seremos as polícias mais bem paga do país”.

          Curtir

          • Sinceramente acredito que John Dollar Dorian se aumentar o salario muitos vão se aposentar então vem é gratificação pois pode ser “cortada” a qualquer momento.

            Curtir

            • é muito mais fácil dizer que é a polícia mais bem paga quando se trata somente dos que estão na ativa.

              E ele tem certeza que o valor que será dado segurará quem já tem tempo para cair fora…Afinal, com o salário atual, ninguém vai ficar se arrastando por muito tempo.
              E convenhamos: 70% da PC já tem tempo ou está prestes a ter para vazar…

              Curtir

          • Tired
            O que vc recebeu no zap, qual a data????
            Puta que o pariu.
            tem como postar?????

            Curtir

  11. Pelo andar da carruagem, irão voltar aqueles penduricalhos, e quando da aposentadoria, o salário voltará pra menos da metade. Eita PsdBosta da peste. E, me ajudem aí ó !….

    Curtir

  12. Meu Caro Dr. Guerra, muito agradecido pela homenagem do Post.
    E aos colegas fliteiros, que me enviaram seus carinhosos cumprimentos, também agradeço penhoradamente.
    Ohhh, Gerra!!! Essa foto das garrafas de vinho abriu com “chave de ouro” a comemoração.
    E incentivado por essa sua “dica”, convidei uns amigos aqui para casa, comprei uns queijos e vinhos (aqui no mercado ao lado, no Estoril – encontra-se bons queijos e excelentes vinhos, estes por menos de 5 euros a garrafa) e brindamos à vida, à saúde, à felicidade e à paz de todos nós, com destaque agora para a “raspa do tacho” do Blindadão, que se formou e já fez bonito na primeira fase da OAB.

    Curtir

    • Dr. Ronaldo TOVANI, mais uma vez nossas felicitações, o Sr. fez por merecer.
      Assim que receber a minha cidadania retornarei a terrinha, vou lhe fazer uma visita.

      Curtir

  13. Ao Dr. Ronaldo Tovani, que conheci em audiência, profissional que dispensa elogios no exercício da advocacia, sempre cirúrgico na formulação das perguntas às testemunhas e a vítima, aproveitando-se de eventual vacilo de quem preside o ato, meus cumprimentos pela festiva data e que se repita anos afora. É uma persona grata das polícias, de modo especial da Polícia Civil, sendo portanto merecedor de nossos cumprimentos.
    Trocando alhos por bugalhos, conversando com alguns colegas que integram as entidades de classe que nos representam, ouvi um murmurinho sobre a proposta de recomposição salarial que está sendo elaborada pelo nosso “gestor” na qual aventou-se a possibilidade da exclusão dos aposentados.
    Alardeou que as polícias teriam até o final do seu mandato a melhor remuneração do Brasil, com exceção do Distrito Federal, mas esperamos que essa promessa não seja cumprida com o sacrifício dos aposentados já largados à própria sorte pelo governo.
    Ademais, se pretende ser Presidente da República, tem que desde já demostrar obediência irrestrita à Constituição Federal do Brasil, pois quem se aposentou pelo enquadramento legal da EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 47, tem garantido por mandamento constitucional, vencimentos integrais e PARIDADE com os reajustes da atividade.
    Por conta disso, nós policiais civis ficamos pelo menos mais 5 anos na atividade do que os PM’s para assegurar esse direito.
    Vai rasgar a Constituição Sr. Governador?.
    Esperamos que não.
    E, esperamos muito mais dos deputados policiais da nossa Assembléia Legislativa.
    Vamos, todos os policiais civis de todas as carreiras, ficar atentos com o que pode vir por ai Guerra

    Curtir

    • Falou pouco, mas falou besteira.

      Se vier algo, será em forma de gratificação, e não no salário base. Ademais, essa gratificação deve ter uma nomenclatura relacionada à “Policial da Ativa”.

      Quando voce se aposenta, voce perde aquele auxílio alimentação de 120 reais e o vale transporte (sim, são duas mixarias). Se houver gratificação, perde da mesma maneira.

      Curtir

  14. Infelizmente virá em forma de gratificação mesmo. Mas só para escrivão e investigador. Será 2.500,00 pelo Nível Superior. Aí ele dará um percentual comum para todos, mas será em torno de 5% ou 7%. Isso é para que escrivães e investigadores não se aposentem.

    Curtir

    • Não entendi nada. Dificilmente vira algo só para tira e escriba. No máximo pode vir algo diferenciado no valor, mas é só.
      Gratificação? De onde vc tirou isso?

      Curtir

    • Escribapol, não sei de onde vc tirou essa afirmação. Até onde sei, o governador não divulgou indíce de reajuste algum.

      Curtir

  15. Essa turma não sabem de bulhufas nenhuma e ficam falando asneiras. E, me ajudem aí ó !

    Curtir

Os comentários estão desativados.