Jovem diz ter sido estuprada por policial em delegacia: ‘Me obrigou a tocá-lo’ 13

Por G1 Santos

 


Jovem relata que policial a chamou para uma sala dentro da delegacia e chegou a passar a mão nela em Guarujá, SP — Foto: Arquivo pessoalJovem relata que policial a chamou para uma sala dentro da delegacia e chegou a passar a mão nela em Guarujá, SP — Foto: Arquivo pessoal

Jovem relata que policial a chamou para uma sala dentro da delegacia e chegou a passar a mão nela em Guarujá, SP — Foto: Arquivo pessoal

Uma vendedora de 23 anos acusa um policial civil de assedia-la dentro de uma delegacia em Guarujá, no litoral de São Paulo. Segundo a jovem, ela compareceu ao distrito para notificar o encontro do seu celular, que estava perdido, e desbloquear o aparelho. O policial teria acessado fotos íntimas da vítima sem permissão e a obrigou a tocá-lo. O caso é investigado pela Corregedoria da Polícia Civil.

Em entrevista ao G1, a vendedora relatou que havia perdido o celular em uma festa em maio deste ano, registrando boletim de ocorrência para bloqueá-lo. No dia seguinte, conseguiu recuperar o aparelho e compareceu na Delegacia Sede de Guarujá para solicitar o desbloqueio.

No local, teria sido atendida por um policial e relatado o ocorrido. Conforme conta, o agente pediu que ela colocasse a senha no celular e o entregasse. “Ele entrou com o meu celular em uma sala, demorou alguns minutos e voltou, me chamando para entrar na sala”, conta.

A jovem relata que dentro do ambiente o policial afirmou que tinha acessado a galeria de imagens dela e visto suas fotos íntimas. “Ele olhou algo pessoal sem a minha permissão. Me mostrou que olhou e começou a perguntar se eu aguentava ele, se eu queria prová-lo, fez eu passar a mão nele, isso tudo dentro da delegacia e eu fiquei sem reação”, relata.

Vendedora registrou boletim de ocorrência contra policial em Guarujá, SP — Foto: Arquivo pessoalVendedora registrou boletim de ocorrência contra policial em Guarujá, SP — Foto: Arquivo pessoal

Vendedora registrou boletim de ocorrência contra policial em Guarujá, SP — Foto: Arquivo pessoal

O agente teria dito a ela palavras obscenas. “Eu pedia o celular e ele não devolvia. Falava coisas bem absurdas. Em um dos momentos, ele levou a minha mão até o pênis dele e falou: ‘olha como está duro’. Fiquei assustada e quando consegui pegar o celular e sair, ele ainda passou a mão em mim”, diz.

“Eu acho que um cara desse jamais deveria estar em uma posição de policial. Em uma delegacia onde vamos atrás de segurança, da preservação dos nossos direitos, e acontecer algo assim, é muito complicado”, acrescenta.

Denúncia

A vendedora conta que saiu da delegacia abalada e chorando. Ao parar em um ponto de ônibus próximo ao local, encontrou uma amiga que a incentivou a relatar o ocorrido ao delegado.

“Foi quando voltei e registrei um boletim sobre o caso. Após dois meses ele me retornou afirmando que o caso era sério e enviaria à Corregedoria. Mas o caso foi silenciado. Até que, mês passado, depois de eu tanto insistir, eles verificaram e me comunicaram da primeira audiência. Acho que estavam tentando abafar o caso”, afirma a jovem.

Ela conta que o celular foi entregue para perícia e que o policial nega os fatos. “Eu não calei e não vou me calar. Claro que estou com medo, mas quando policiais fazem isso com nós mulheres, não podemos nos calar, temos que ter coragem e encarar. Porque o jeito que ele agiu comigo foi totalmente natural, como se ele estivesse na sala da casa dele e eu não conseguia sair lá de dentro”, relata.

Crime teria ocorrido na Delegacia Sede de Guarujá (SP) — Foto: Solange Freitas/G1Crime teria ocorrido na Delegacia Sede de Guarujá (SP) — Foto: Solange Freitas/G1

Crime teria ocorrido na Delegacia Sede de Guarujá (SP) — Foto: Solange Freitas/G

  1. por isso falo e repito. melhor arma do policial hoje não é uma 9 mm ou 40. é uma câmera que filme todo seu expediente. nessas horas a filmagem salva sua vida e seu emprego. não adianta negar. não adianta nao haver provas. o ônus no caso do policial é invertido. você que tem que provar sua inocência. então meus amigos, utilizem câmeras no seu trabalho. custo beneficio e compensado numa hora dessas.

    Curtir

  2. A polícia civil é a polícia investigativa…
    Espero que o delegado (a) e o escrivão (a) da corregedoria tenham experiência em DP Territorial, pois isso será crucial para a elucidação do caso em tela.
    Hoje temos no concurso lógica, mais experiência que a polícia nos dá, acho que esses dois pontos são no mínimo suficientes para o caso. Afinal na Polícia não sobrevive burros.

    Curtir

  3. Já tem mais 3 notícias-crime contra o Jack do Guarujá. Doravante ficamos assim: Mike é matador e Charlie, estuprador.

    Curtir

    • Nem sempre!
      Se ele for culpado, que apodreça na cadeia. Mas este tipo de crime é especialidade de coxinhas.
      Vc não lembra daquele oficial que foi o primeiro a chegar no apartamento da Isabela Marconi?
      O cara também era tarado e tirou a própria vida.
      O Romão Gomes está cheio de tarados.
      Recentemente dois coxas tarados estouraram uma jovem dentro da viatura no litoral também.

      Curtir

      • E que historicamente, em matéria de sexo, os coleguinhas sem farda incidem amiúde no rufianismo, ou, por outro lado, melhor dizendo, de costas, na mais pura viadagem, a exemplo do Doutor do 2º DP que dava um trato no malabarista de semáforo dentro do seu gabinete, em horário de expediente. Sexo consentido, é certo, mas ilegal e imoral porque dentro da repartição.

        Curtir

          • O marido da soldado esta usando chapéu de touro ja ha algum tempo. Com certeza ja teve outras trepadas.

            Curtir

  4. Já foi o tempo em que polícia podia assediar a mulherada que vai no DP sem nada acontecer. Policial escrachado ficou no passado. É triste que muitos ainda não aprenderam

    Curtir

  5. A COISA TA FEIA, A COISA TA PRETA, QUEM NÃO TIVER NA MÃOS DE DEUS, ESTA NA UNHA DO CAPETA.

    Curtir

  6. Independentemente da cagada que esse policial fez, está na cara e posso estar errado, mas me parece que trabalha solto no DP sem a devida fiscalização de delegados. Acho que vai tomar troletada e deve sobrar para mais alguém.

    Curtir

Os comentários estão desativados.