Coronel Fernando Alencar Medeiros será o novo comandante-geral da PM 5

Doria anuncia novo comandante-geral e tenta afastar mal-estar com cúpula da PM

Coronel Fernando Alencar Medeiros será o novo comandante-geral em substituição a Marcelo Vieira Salles, que entregou o cargo

SÃO PAULO

O governador João Doria (PSDB) anunciou na tarde desta segunda (9) o coronel Fernando Alencar Medeiros, 51, como o novo comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, em substituição a Marcelo Vieira Salles, que entregou o cargo na semana passada.

O nome de novo comandante foi apresentado durante cerimônia de premiação do chamado Policial Nota 10, em discurso no qual Doria fez elogios ao trabalho de Salles e tentou afastar as notícias de mal-estar com a cúpula da Polícia Militar gerado após o episódio de Paraisópolis.

Coronel Alencar, como é conhecido na tropa, já era o subcomandante da PM desde 2018. Foi a primeira vez na corporação que alguém é indicado ao posto máximo da corporação após ter esse papel de adjunto. Em regra, o número 2 vai para a reserva junto com o número 1.

Considerado uma pessoa discreta e econômica com as palavras, Alencar já passou pelo comando de alguns batalhões, entre eles o mais famoso de São Paulo, o 1º de Choque, conhecido como Rota. Também foi instrutor de direitos humanos para forças de segurança.

“Sou um policial militar, filho de um policial militar, que tem como objetivo agora cuidar da Polícia Militar”, resumiu Alencar sobre si mesmo, em entrevista do lado do governador Doria.

    • Caro,Polpobre, se me permitir;
      Se houver mudança, o que eu acha muito difícil, afinal de contas o atual DG é o sonho de consumo de todo governador sendo um completo inútil.Este seria substituído por um inútil completo.
      É tudo o que a carreira dos “cabeças pensantes” têm há oferecer, simples assim.

      Curtir

  1. Se os oficiais superiores estão indo para lá ou para cá para preservar seus direitos ou cuidar dos seus interesses antes disto ou daquilo e blá,blá, blá…..não sei dizer.
    O que eu sei e concordo é com o princípio da carreira militar; “Quem comandou não poderá ser comandado”.
    O cidadão chega ao ápice/topo da carreira e depois tem que sair, simples assim.
    Já na Polícia Servil tem um bando enorme de desocupados ocupando posições de destaque, tendo já ocupado cargos mais altos e importantes do que ocupam agora.
    É um tal de ex-DGP sendo diretor, ex-diretor sendo divisionário, ex-divisionário ocupando chefia, etc, etc, etc…
    Esse bando ex que já foram alguém um dia, e tendo tempo mais que suficiente para aposentar, querem o que?
    Será que eles acreditam nesta balela de que ” Estão loucos para servir” ?
    Não e não!
    Está ma claro que não o que eles estão é loucos para $e $ervirem, querem ace$$os, querem VTR$ com motorita$, querem $ecretárias go$to$as e ga$to$a$ a última coisa que passa pela cabeça destes “abnegados” é construir uma Polícia Civil, eles querem mais que continue a Polícia Servil, eles pensar enquanto eu puder me $ervir p..n… cu dos prejudicados! Simples assim.
    Vejam o que os ex-DGP que ainda, estão na ativa fizeram depois de deixarem o cargo máximo?
    Isso mesmo PHORRA nenhuma só lobby e conchavo para continuarem e meter a mão no dinheiro alheio.
    Por onde estes passam não cresce nem grama.
    Para finalizar e desenhado vejam o TJ/SP e demais isso acontece, algum ex-presidente do TJ, depois do cargo máximo, ficou enchendo o saco, aceitou algum cargo menor dentro do TJ?
    Não PHORRA eles vão embora.
    Pensem nisso “cabeças pensantes”, será que por isso que estamos na m….?

    Curtir

Os comentários estão desativados.