Ação da Polícia Civil de SP é premiada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública 5

Iniciativa instituída pela Academia de Polícia tem como foco enfrentamento à violência de gênero

Qui, 12/12/2019 – 16h06 | Do Portal do Governo

DownloadAcademia da Polícia Civil de São Paulo (Acadepol) foi premiada, na noite dessa quarta-feira (11), com o selo de boas práticas do Fórum Brasileiro de Segurança Pública pela implementação de ações para o enfrentamento à violência contra mulher em seus cursos de aperfeiçoamento e de formação. A solenidade ocorreu no Museu da Casa Brasileira, na zona oeste da capital.

A iniciativa que levou a premiação à Acadepol trata-se de um Programa de Pesquisa e Capacitação Continuada dos policiais civis paulistas em feminicídio e a Investigação sob a Perspectiva de Gênero, instituído em 2018 para o enfrentamento à violência de gênero. Esta foi a primeira vez que uma iniciativa da Polícia do Estado de São Paulo foi premiada com o selo de boas práticas do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O programa conta com diversas ações, dentre as quais a publicação dos trabalhos “Feminicídios – Diretrizes para o Atendimento de Local de Crime e Investigação de Mortes Violentas de Mulheres” e “Feminicídios – Manual de Investigação de Mortes Violentas de Mulheres sob a Perspectiva de Gênero” e a introdução da disciplina “Feminicídio e a Investigação sob a Perspectiva de Gênero” nos cursos específicos de aperfeiçoamento (direcionados aos policiais civis que já estão na ativa) e nos cursos de formação (para os novos policiais civis).

Também foi instituído um grupo de estudos, formado por professoras e professores da Acadepol, para produzir conhecimento a respeito do tema, fortalecendo a doutrina policial sobre investigação em mortes violentas de mulheres, e elaborar outras ações formativas e de pesquisa.

Segundo o diretor da Academia de Polícia, Júlio Guebert, o objetivo é que os serviços de polícia judiciária sejam realizados sob uma nova perspectiva. Por este motivo, o grupo é formado por professores e professoras delegados de polícia, médicos legistas e peritos criminais, envolvendo, assim, todas as fases da investigação.

“Trata-se de um crime muito grave, em que a mulher é morta pelo fato de ser mulher. As peculiaridades que envolvem a apuração desse crime devem ser cuidadosamente analisadas e cabe à Acadepol capacitar os policiais nesse sentido. O reconhecimento externo, vindo de um instituto importante e que tem esse tema como prioridade, mostra que estamos na direção certa, especialmente por ser a primeira vez que a polícia paulista é premiada”, concluiu.

Selo de boas práticas

A premiação tem como objetivo reconhecer iniciativas com potencial de transformação em cenários de vulnerabilidade à violência, sistematizando e disseminando o conhecimento produzido por e para profissionais envolvidos com o tema da segurança pública.

O processo de avaliação dos projetos é feito em duas categorias: agentes públicos de segurança na ativa, o que inclui policiais civis, militares, técnico-cinetíficos, rodoviários, federais e guardas municipais; e agentes do sistema de justiça criminal, como integrantes do Poder Judiciário, dos Ministérios Públicos e Defensorias Públicas Estaduais e Federais.

As iniciativas ganhadoras e finalistas passam a fazer parte da Casoteca FBSP de Práticas Inovadoras no Enfrentamento à violência contra as Mulheres, que tem uma edição impressa e digital.

Neste ano, as boas práticas vencedoras vieram da Guarda Civil Municipal de Belo Horizonte, da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social da Paraíba, da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, do Ministério Público Federal do Amazonas e pelo Estado de São Paulo foram premiadas, além da Polícia Civil, o Ministério Público

  1. Parabéns ao excelente trabalho das DDM. Todos os dias centenas de mulheres são protegidas graças ao B.O, que agora ja pode ser feito até mesmo de madrugada.

    Curtir

  2. Parabéns a todos os maçanetas envolvidos!

    Enquanto isso, nós aqui do outro lado vamos levando a polícia nas costas, trabalhando de verdade.

    Curtir

  3. A boa prática mais importante seria respeitar primeiramente os servidores Restopol e preservar os seus direitos funcionais, como bons ‘ primeiros garantidores dos direitos dos cidadãos ‘ que são. Pura demagogia.

    Curtir

Os comentários estão desativados.