Mudamos nome do Departamento, mudamos os ternos e mudamos Diretor , só não mudamos a antiga maracutaia: DOPE continua vendendo segurança VIP!…Por que a viatura não fica em Paraisópolis cuidando do povão? 26

Policiais de SP usam viatura oficial para fazer segurança privada do Villa Country

Prática é considerada irregular e pode provocar punições; Segurança Pública diz que investigará caso

SÃO PAULO

A viatura do grupo de operações especiais da Polícia Civil de São Paulo estaciona na avenida Francisco Matarazzo, na Água Branca, zona oeste da capital, na altura do número 774. Curiosos param para acompanhar a movimentação, atraídos pelo luminoso ligado, mas, como o tempo passa e nada acontece, desistem e voltam a cuidar da própria vida. O carro policial continua parado por lá, noite adentro.

Aquilo que poderia parecer, em um primeiro momento, uma ação de combate ao crime organizado ou estouro de cativeiro de algum sequestro revela-se, porém, uma prática comum —e possivelmente irregular— naquele endereço: policiais civis supostamente prestando segurança privada, com veículos oficiais, à casa de shows Villa Country.

viaturas no Villa Country
Viatura de polícia parada em frente à casa de shows Villa Country, na zona oeste de São Paulo – Rogério Pagnan/Folhapress

A cena descrita acima é do último dia 12 de dezembro, mas ocorreu também ao menos nos dias 30 de novembro, 1º e 8 de dezembro, conforme registros fotográficos feitos pela reportagem. Todos os veículos flagrados pertenciam ao Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas), grupo recém-criado pela gestão Doria, e estavam estacionados sobre a calçada.

Segundo comerciantes da região, taxistas do entorno e funcionários do Villa Country ouvidos pela reportagem, a presença de policiais naquele local é antiga e rotineira. Sempre com viaturas, eles permanecem estacionados do lado externo, geralmente de quinta a domingo, das 22h às 5h –no horário de funcionamento tradicional.

Uma funcionária da casa disse à Folha que a presença de policiais civis do lado externo ajuda a inibir brigas de pessoas embriagadas no encerramento dos shows. Ela disse ainda que a parceria entre Villa Country e os policiais civis não deveria ser um jabá, “como o povo de padaria faz”, mas algo muito maior.

Comerciantes e taxistas afirmam que a presença de policiais civis no Villa Country se deve à suposta ligação dos donos da casa com delegados de polícia, que participariam inclusive da organização da segurança, mas não citaram nenhum nome específico.

Integrantes do Ministério Público de São Paulo ouvidos pela reportagem afirmaram que, se for confirmada a segurança privada por agentes públicos, com equipamentos oficiais do Estado, os responsáveis podem ser processados por improbidade administrativa e responderem também a processo administrativo disciplinar, que pode levar até a demissão.

Diz, também, se houver omissão em relação a eventuais crimes cometidos na casa, também poderão responder por isso. Em agosto, uma frequentadora alegou ter sido agredida dentro da casa. O Procon-SP acionou os responsáveis para pedir explicações.

O advogado José Jerônimo Nogueira de Lima, especialista em direito administrativo, disse que a prática pode, de fato, configurar uma irregularidade. “Se você está destinando um carro [de polícia] para um empresário, obviamente você está tirando de um lugar que precisa mais. Você mexe com todo um esquema de interesse público, de estratégia que eventualmente a polícia tenha, para beneficiar um particular que pagou por aquilo”, disse ele.

“Você vai excluir da segurança pública uma série de pessoas vulneráveis que não têm condições de pagar por ela, se você transformar isso em serviço. Isso é uma política pública, que você não pode vender, terceirizar, privatizar, porque você vai excluir uma massa que não pode pagar por isso”, disse.

O advogado afirma, ainda, que até mesmo os sócios da casa noturna podem ser responsabilizados em ação cível pública e obrigados a ressarcirem os cofres públicos.

Procurada, a Secretaria da Segurança Pública informou que o Dope, da Polícia Civil, “apura o ocorrido para tomar as providências cabíveis”.

“Eventuais denúncias sobre irregularidades ou condutas inapropriadas envolvendo agentes de segurança do estado podem ser registradas nas respectivas corregedorias, a fim de que sejam investigadas e os envolvidos, se necessário, devidamente responsabilizados.”

Folha encaminhou à Segurança Pública os números das placas das viaturas vistas pela reportagem em frente ao Villa Country e os dias específicos que isso ocorreu, para que fosse informada a situação dos veículos, se estavam em missão oficial ou clandestina. A resposta não foi, porém, fornecida. Também não foi respondido se a casa de shows tem, eventualmente, algum convênio com a Segurança Pública.

Para membros da Promotoria, um convênio assim seria ilegal.

A reportagem também encaminhou à assessoria do Dope imagens da viatura acima, incluindo um vídeo feito, para confirmar se tratar de veículo oficial ou, eventual dublê criminoso. A informação é de que não há indícios, por ora, de que seja uma viatura falsa.

Integrantes da Polícia Civil ouvidos pela reportagem afirmaram que a cúpula da instituição tem um projeto em andamento para colocar rastreadores em todas as viaturas, justamente para conseguir evitar o uso indevido de veículos. Atualmente, segundo eles, os chefes de departamento têm dificuldades para conseguir vigiar toda a frota e coibir de maneira eficaz eventuais desvios.

Por essa versão, integrantes da chefia do departamento não teriam conhecimento do que vinha ocorrendo no Villa Country.

Segundo a Folha apurou, o governo paulista deve receber uma doação de equipamentos com GPS, prontos para serem instalados nas viaturas da Polícia Civil. Os veículos da Polícia Militar já possuem o serviço.

A direção do Villa Country foi procurada para comentar o assunto. A assessoria de imprensa da casa foi contatada na última quarta-feira (18), quando o teor da matéria for informado.

A assessoria alegou que só poderia responder aos questionamentos no dia seguinte, nesta quinta (19). Ao final do prazo acordado, porém, ela foi procurada novamente, mas não quis se manifestar.


Obviamente , a viatura oficial fica por lá para dar suporte ao serviço de segurança privada prestado por delegados e policiais falso honestos!

E ainda estacionam a nave na calçada como se fossem os donos do mundo!

Quero ver a imparcial Corregedoria Geral  adotar efetivas providências para extirpar e punir os beneficiários desse esquema nefasto! 

Jabá de padaria ? 

Não! 

Neste caso a paga não é com coxinhas…

A gratificação –  material, funcional  ou moral  –  é muito boa; a exploração de prestígio mais gratificante ainda!

    • Pelo menos não podem mais me demitir por repercutir a notícia…KKK

      Mas penso que continua a ser o mesmo departamento das maracutaias de sempre, agora, sob longa direção do Nico…kkk

      E vivas ao Santos Futebol Clube, apesar de só ter ladrão naquela porra…kkk

      Curtir

  1. A reportagem mostra três fotos de viaturas da Polícia Civil – DOPE (duas delas de uma única viatura). paradas ou estacionadas na calçada do Viila Country, em dias e horários não identificados.
    O jornalista Rogério Pagnan, ex-policial militar, e que, já como jornalista da Folha, ostenta condenação transitada em julgado, por ter mentido em reportagens e, consequentemente, agredido a honra de destacado delegado de Polícia, diz que entrevistou este, aquele e aquele outro – inclusive membros do MP -, mas não indica o nome de nenhum deles, a não ser o de um advogado que, quanto ao caso concreto, nada sabe.
    “A Folha” – como o tal jornalista gosta de se referir – deveria, nesses mesmos dias que afirmou ter visto viatura(s) da Polícia Civil, deveria, repito, ter se dirigido também à rua dos fundos da Villa Country (Rua Tagipuru altura do número 1000), onde, na certeza, encontraria diversas (não apenas uma) viaturas da PM paradas ou estacionadas no local, realizando, aliás, excelente trabalho de prevenção à prática de crimes diversos.
    Obviamente que, se COMPROVADA a prática de “segurança privada” por policiais civis e/ou militares, ainda mais com uso de viaturas e equipamentos do Estado, é caso sim de rigorosa apuração e punição; mas, como disse acima, as reportagens desse ex-pm que virou jornalista (segundo o deputado Capitão Augusto, “pouco antes de ser demitido da PM”) têm pouca ou nenhuma credibilidade, de tal sorte que todo cuidado é pouco na averiguação desses fatos.
    Esse jornalista, Rogério Pagnan, ao sair de sua casa altas horas da noite ou da madrugada, deixando mulher ou marido e eventualmente filhos sozinhos, a pretexto de fazer uma reportagem desse tipo, deveria ter o cuidado de fazer uma apuração responsável, com detalhes, citando os nomes de pessoas entrevistadas (ou mencionando tratar-se de fonte que não quer ser identificada); enfim, deveria ter cuidado em fazer tudo direitinho, de modo a não expor, irresponsavelmente, a Folha, Instituições e agentes públicos, como já o fez em situação mostrada em processo em que se viu condenado pelo TJ/SP.

    Curtir

    • Dr. TOVANI,

      Aparentemente estamos diante de uma guerra de quadrilhas: PM x PC !

      Os PMs buscando manter o monopólio da venda de segurança instrumentalizam o jornalista ( não existe ex-PM ) , para defender os interesses da corporação…KKK

      Só me resta rir para não sofrer!

      Curtir

  2. Primeiramente: Acho que aquela faixa branca da VTR deveria ser da cor do novo escudo da polícia civil e parecer com a da polícia federal.
    Segunda: sem defender é uma denuncia vazia com meros dizeres sem provas robustas.
    Terceiro: o tal jornalista parece ser tendencioso, assim como muitos querendo se crescer pra cima dos policiais e da polícia.
    Quarto: A corregedoria tem que se impor e não deixar qualquer um ir lá e falar merda, sem fato concreto ou provas que não sejam forjadas.

    Curtir

    • Que tal o órgão pedir tais elementos?
      Considerando possíveis deslizes passados do referido jornalista, penso que ele deva estar precavido.
      Se pedirem, suponho que ele esclarecerá.
      E a!
      P.S: ficou meio sem noção imitar a PF; meteram o dístico da Polícia Civil dentro da moldura dourada “federal” e agora quer viatura semelhante?
      Réplica?
      Fez lembra da RONDA do Maluf… GCM imitando ROTA.
      P.S 2: a PM ainda tem desculpa para estacionar em local de grande fluxo. É ostensiva, é preventiva… Se der bsgunça logo vai se argumentar que “não tinha nem uma viatura próxima…”.

      Curtir

      • Em Minas Gerais as VTRs da PC estão no padrão Federal.
        Sabe como é né não combina as cores… Kkkkkkkkkk

        Curtir

  3. Meu Caro Dr. GUERRA,

    Este momento, para mim, não é de réplica ao seu comentário acima, ainda que eu tivesse argumentos para fazê-lo, e sim momento para agradecer-lhe o espaço diversas vezes concedido durantes esses muitos anos que venho participando, e oportunidade também – e principalmente – para desejar-lhe, E A TODOS OS DEMAIS FLITEIROS, INDISTINTAMENTE, os meus votos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo, extensivos às Famílias.

    Curtir

    • Dr. Tovani

      Nós, FLITEIROS, é quem agradecemos sua presença neste espaço sempre nos orientando e esclarecendo muitas duvidas.

      Feliz festas para o Sr. e todos os seus.

      Curtir

  4. Isso é uma foto. E foto retrata um momento específico, não um período.

    Dificilmente dará em alguma coisa.

    Ademais, estava estacionado em via pública.

    Curtir

    • Será?!
      São duas viaturas diferentes, vide as placas.
      É é assim mesmo! Quanto mais diversificado o ramo de atuaçao no mesmo nicho…

      Curtir

  5. Em Guarulhos, recentemente no shopping foi feito a mesma pratica com a polícia civil, com autorização dos delegados, tá uma vergonha! e tem policial que se submete a obedecer essas “ordens” absurdas, tudo para segurar a cadeira, claro, quem mandou dever favor para sentar na cadeira kkk

    Curtir

  6. O GOVERNO PREFERE APLICAR DINHEIRO EM OBRAS MESQUINHAS DO QUE EM SALÁRIOS, POR ISTO OS PMS TEM QUE PEDIR ESMOLA EM PADARIAS E MERCADOS PARA PODER SOBREVIVER !

    Curtir

  7. Por que o cabo Ivander da Polícia Militar da cidade de Botucatu não trabalhou no final de semana na força tática da referida cidade?
    Por que outros, aproximadamente, sete policiais militares que receberam a desagradável visita da corregpm nas suas residências na última sexta-feira não estão sendo vistos nas viaturas do patrulhamento na referida cidade de Botucatu?
    Será que o sub comandante do batalhão, major Lanhoso, pode vir a público aqui no FLIT Paralisante e revelar detalhes da operação que prendeu os seus subordinados e até mesmo o que o levou a aguardar tanto tempo para ser promovido de capitão para major?
    Policiais militares de Botucatu quando efetuam uma prisão, imediatamente acionam a imprensa para se exibirem e estampam a foto e nome dos acusados na imprensa, então agora que divulguem os nomes e fotos dos seus bandidos na imprensa; ou o que acontece na casa do visinho é mais gostoso de comentar?

    https://acontecebotucatu.com.br/policia/policias-militares-sao-presos-em-botucatu-apos-operacao-ente-comando-e-corregedoria/

    Curtir

  8. A TODOS UM FELIZ NATAL!!!!!! NO MAIS, UM ANO NOVO CHEIO DE ESPERANÇA. É O QUE RESTA A POLÍCIA CIVIL DE SÃO PAULO. MAIS NADA!!!!

    Curtir

  9. Escuto esses comentários há muito tempo e nunca vi nada ser feito a respeito. É uma vergonha deslocar um veículo oficial para atender a interesses particulares e não dá para entender como tem gente que se presta a isso. É realmente o fim do lixo da PC.

    Curtir

  10. Isso não é novidade, em Guarulhos aconteceu no shopping com direito a escala de sábado, a polícia civil caminhando a passos largos para o fundo do poço!

    Curtir

  11. Por que o cabo Ivander da força tática do batalhão biqueira da cidade de Botucatu não está trabalhando nesses dias de festas.
    Será que ele e a esposa estão viajando?

    Curtir

  12. Final de ano geralmente é tempo de balanço e reflexões!

    Pois bem, passado 1 (um) ano da gestão deste DG, que aí está o que ele tem para mostrar?
    Pergunta retórica!
    Que eu mesmo respondo PHORRA NENHUMA!
    Zero!
    Absolutamente nada!
    Não inovou em nada e nada tem para apresentar, depois de 1 (um) ano, confortavelmente sentado no 9º andar da Rua Brig Tobias, temos ali um verdadeiro deserto de boas ideias e boas práticas de gestão.

    Poderão dizer alguns ele criou o DOPE!
    Grande m…..!
    Putz, que coisa juntou os MIBs com mais alguns “special forces” colocou adesivo novo em VTRs velha e deu o departamento de presente, para o não menos inútil do NICO, brincar de diretor.
    É esse o resultado prático de 1 (um) ano de “trabalho”!
    Para este departamento fazer o que ?
    Fazer isso!
    O que a reportagem descreve!
    E antes que alguém ou membro dos MIBs venham com aquela baboseira que eles dão ou estão disposição para apoio(s), que estão nas ruas em patrulhamento especializado e blá, blá, blá……….
    Poupem-me desta conversa mole e papo furado.
    Vou descrever duas situações em que houve a pronta atuação do DOPE, e com certeza por determinação do seu diretor.
    Sem contar esta última na porta da Villa Country.
    Quando da ocorrência que envolveu a família Saad, proprietários da rede de TV bandeirantes, pouco tempo atrás, o Nico mandou, repito mandou, 4 (quatro) VTRs se revezarem e ficarem a “disposição” da ocorrência, entenda-se ficar a disposição da família Saad, no melhor estilo Uber, para não perder a piada Uber BLACK.
    Poucos dias depois no endereço da Rua Carlos do Pinhal, região da Paulista, duas VTRs deste departamento, phodendo bem gostoso o trânsito, numa operação pra lá de “importante fazer escolta em um velório”, ou a m…. que o valha, velório este de algum amiguinho do diretor é claro.
    Tudo com o claro objetivo de atender aos interesses pessoais do Nico.
    Alguém dúvida disto!
    Só a alta casa censora não sabe disso, e nada faz para acabar com esta farra de VTRs sendo utilizada par intere$$e$ particulare$, seja por delegado seja por operacional.
    Agora coisas como apoiar as equipes do DECAPastelaria nos deslocamentos de presos para as audiências de custódias os MIBs estão ocupados, em missões acima exemplificadas.
    O DG foi muito rápido em ameaçar com punição que não entregasse, no tempo, a segunda carga de arma, mas para distribuir os novos distintivos nem uma palavra ou letra, a funcional nova nem pensar.
    Alguém sabe informar se até o presente momento o DG entregou uma única VTR nova em 2019, somente uma para contar história!
    E para finalizar leio que os delegados da Polícia Civil de Goiás informaram ao governador Caiado que se ele não alterasse alguns pontos da reformada previdência, daquele estado, todos os delegados iriam entregar os cargos.
    Foi o que bastou para o governador de Goiás recuar e atender algumas das reivindicações dos policiais civis.
    Por aqui o que fez o no DG?
    O secretário executivo da Polícia Civil?
    Os deputados/delegados?
    Venderam suas almas, para o governador, por 30 (trinta) dinheiros ou por cadeira$.
    Resumo este ano foi muito ruim e 2020 será muito pior.
    Com delegados deste naipe no comando da instituição!

    Curtir

    • É isso mesmo colega Tired! A PC proporciona a alguns bajuladores muitas regalias enquanto para a maioria a conversa é outra. Um lixo de instituição que está com seus dias contados.

      Curtir

  13. QSA 5/5 do Diretor-Empresário PC. O restopol que se “podha”.
    Diga-se de passagem, quando o Dr Palumbo estava a frente do Garra/Deic era um “desmanche/buraco de desmontar carros e motos” por semana que ele derrubava. Foi para esse “drops” não derruba mais nada, nem ele e nem mais ninguém e roubalheira de carros e motos corre solta.

    Curtir

  14. Alguém poderia me informar por que quando ele era investigador na área do 17º DP tinha o apelido de “nico ferrolho”?

    Curtir

Os comentários estão desativados.