Guardas civis municipais – armados, furiosos e corruptos…Fujam dessa gente, com arma na mão perigo para a população! 1

Por G1 Ribeirão Preto e Franca

 

Oito guardas civis municipais foram presos na manhã desta terça-feira (1º) em Bebedouro (SP) no âmbito da Operação Calabar por suspeita de infrações penais, como se apropriar de drogas e dinheiro apreendidos. A Polícia Civil também cumpriu 16 mandados de busca e apreensão.

Em nota, a Delegacia Seccional de Bebedouro informou que os agentes cumprirão prisão temporária por cinco dias. Durante as buscas foram apreendidas porções de maconha, crack e cocaína, armas, munições, rádio comunicadores e celulares.

O comandante da Guarda Civil Municipal (GCM), Luís André Rosa Junior, contou que a investigação contra os agentes teve início há oito meses, depois que a Corregedoria passou a receber denúncias de que eles ficavam com parte de drogas e dinheiro apreendidos.

“Alguns GCMs, no ato da abordagem, não apresentavam todo o entorpecente encontrado ou não apresentavam todo o dinheiro encontrado, e que eles estariam subtraindo esse material, tanto o dinheiro, quanto o entorpecente, ficando com eles mesmos”, disse.

Armas e munições apreendidas na Operação Calabar em Bebedouro, SP — Foto: Polícia Civil/DivulgaçãoArmas e munições apreendidas na Operação Calabar em Bebedouro, SP — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Armas e munições apreendidas na Operação Calabar em Bebedouro, SP — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Rosa Junior encaminhou o caso à Polícia Civil e ao Ministério Público. A partir de escutas telefônicas realizadas com autorização da Justiça, os investigadores descobriram o esquema envolvendo oito guardas civis, alvos de mandado de prisão nesta terça-feira.

“Existem indícios de que eles utilizavam parte do entorpecente talvez para forjar algum tipo de prisão de algum elemento que não conseguiam pelos meios naturais, e existem indícios de que parte do recurso era acoplada a recursos próprios para subsistência”, afirmou.

O nome da operação remete a Domingos Fernandes Calabar, senhor de engenho que, após ingressar nas forças armadas portuguesas, “acabou traindo seus irmãos de armas para favorecer à invasão dos holandeses” em território brasileiro.

Armas, celulares e drogas apreendidos na Operação Calabar em Bebedouro, SP — Foto: Polícia Civil/DivulgaçãoArmas, celulares e drogas apreendidos na Operação Calabar em Bebedouro, SP — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Armas, celulares e drogas apreendidos na Operação Calabar em Bebedouro, SP — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Ainda segundo o comandante da GCM, os agentes presos representam uma parcela pequena da corporação e também são alvos de procedimentos investigatórios internos na Corregedoria.

“Contamos sempre que o agente de segurança pública vá trabalhar para a população e não para o crime organizado. Foi motivo de bastante tristeza da nossa parte. Mas, a Guarda Civil preza pela transparência, pela retidão do trabalho e não vamos admitir nenhum tipo de desvio de conduta”, disse

Um Comentário

Os comentários estão desativados.