MATÉRIA VINCULADA AO DR ALDO GALIANO JUNIOR 4

Nota à imprensa.pdfComo será demonstrado nos autos, referida Ação não contempla minimamente requisitos
fáticos que possam envolver o Dr. Aldo Galiano Júnior nos fatos ali narrados.
Lamenta-se a tentativa de macular a imagem e vida pública do Dr. Aldo Galiano Júnior
que, em quase 48 anos atua como Delegado de Polícia, sem que tenha seu nome vinculado
a qualquer fato que desabone sua conduta, tanto na esfera civil, administrativa ou penal,
o que por si só demostra sua ilibada conduta nos anos de serviço público prestado.
Por fim esclarece que medidas cabíveis pelo uso indevido de seu nome serão
oportunamente objeto de demandas próprias nas respectivas esferas Judiciais.


Nota do Flit Paralisante  – Por uso indevido do nome do Dr. Aldo , certamente, o advogado se refere a quem pode ter solicitado ou obtido vantagens explorando o nome da digna autoridade ou , quem sabe, o próprio membro do Ministério Público que ingressou com a referida ação.

Esperamos que não seja uma “sugesta” ao mensageiro, né?

Observando que não fizemos juízo de valor, tampouco transcrevemos quaisquer condutas do Dr. Aldo!

  1. Só de falar que tá a 48 na policia já fica esquisito visto que quem está tirando plantão a noite e trampando não vê a hora de sair. Tá ficando porque

    Curtido por 1 pessoa

  2. Centenas de excelentes e bem mais jovens delegados de polícia, com curso superior de polícia concluído, com pretérito funcional e criminal limpos, sem trânsito em crimes contra a administração pública e da justiça, aguardando a oportunidade de serem promovidos a classe especial, sem enxergarem a menor possibilidade de serem promovidos, passam a inatividade graças aos classistas da classe especial, aqueles que ingressam na classe e dela só saem se morrer, forem pra cadeia ou tiverem se arrastando aos 75 anos. Os mais novos, com conhecimentos atualizados e cheios de energia e vontade de trabalhar vão embora para que os velhos permaneçam com duas ou três décadas só na classe especial não somando absolutamente nada para a instituição.

    E isso se repete em todas as carreiras da nossa instituição.

    Senhores deputados estaduais, Senhor governador deste Estado, entidades de classe da nossa Polícia Civil, urge que sejam envidados todos os esforços para que essa ultrapassada Lei Orgânica da Polícia Civil seja alterada, no sentido de fixar em 5 anos, o tempo máximo de permanência na classe especial, quando o ocupante do cargo preencher todos os requisitos para a aposentadoria.

    Suspender a realização de cursos para promoção realizados na Academia de Polícia, até que todos os policiais, que tenham concluído o curso com aproveitamento e preencham os demais requisitos, sejam promovidos. Hoje, centenas deles se encontram nessa situação. Novos cursos só interessam àqueles grupos que monopolizam as aulas na Academia e que vão continuar enchendo os bolsos de dinheiro num curso desnecessário.

    Só isso pode acarretar a oxigenação da cúpula e dar uma nova dinâmica a nossa polícia, fazendo com que deixe de ser propriedade de duas ou três dúzias de dirigentes.

    Curtir

  3. Gostei muito da explicação da defesa do Dr. Aldo Galeano: “blá, blá, blá!” E dessa outra parte para a conclusão: “blá, blá, blá!” Excelente defesa, vai contar história na igreja! Para o padre!

    Curtir

Os comentários estão desativados.