Um Comentário

  1. Parece que foi ontem…
    Era final de abril de 2012 e, na Corregedoria da Polícia Civil, encontrei o Dr. Hélio Bialski; estava ali para participar de uma audiência na qual eu também participaria como advogado. Perguntei pelo Dr. Daniel Bialski e ele, brincalhão como sempre, respondeu-me que o filho estava viajando e o havia “escalado” para aquela audiência.
    Não preciso dizer que, antes depois e até durante a audiência, diversas pessoas que ali o viram (dentre as quais muitos advogados, policiais e estudantes de direito), vieram alegremente cumprimentá-lo.
    A audiência caminhou extremamente bem para os réus – que sinceramente nem deveriam ter sido processados -, e o Dr. Hélio, mais uma vez, nos premiou a todos com verdadeira aula de direito processual.
    Ao término, descemos conversando até a portaria e, ali, estendemos os assuntos mais um “bocado”. Ele estava muito feliz e irradiava isso. Mais alguns cumprimentos de quem passava e nos despedimos; não sem antes ele me dizer que na próxima audiência daquele caso, se o filho Daniel “deixasse”, ele viria. Infelizmente não veio…
    Na madrugada de 30/04/2012 (três ou quatro dias depois daquela “audiência”) seu coração generoso parou de bater. Finalmente ele estava “livre” das “duras escalas” que o filho lhe impunha e que ele tão bem se desincumbia.
    Dia 09/11/2020, porém, ele está novamente “escalado”. E desta feita não pelo Dr. Daniel Bialski, nem para defender ninguém; mas para engrandecer a justa homenagem que o filho receberá do povo paulistano, com a outorga da MEDALHA ANCHIETA e a concessão do TÍTULO DE CIDADÃO PAULISTANO.
    E todos nós estaremos lá para aplaudir o homenageado e atestar a presença do Dr. Hélio Bialski. Ele não perderia isso jamais!
    .

    Curtido por 2 pessoas

Os comentários estão desativados.