Número de PMs candidatos às eleições municipais aumenta 62% no estado de SP 3

Folhapress

Josmar Jozino

Colunista do UOL

22/08/2020 04h03

O número de policiais militares da ativa afastados para disputar as eleições municipais no estado de São Paulo aumentou 62% este ano em comparação com o pleito de 2016.

Em 2020 foram desligados de suas funções 336 policiais militares. Vão concorrer às eleições 24 soldados, 246 cabos, 34 sargentos, sete subtenentes, 22 capitães, 1 major e dois tenentes-coronéis. O prazo para o afastamento terminou no último dia 15.

No pleito municipal de 2016 pediram afastamento 207 policiais militares, sendo 24 soldados, 140 cabos, 22 sargentos, 5 subtenentes, 9 capitães, 5 majores e dois tenentes-coronéis.

As relações com os nomes dos policiais militares que pretendem se candidatar a prefeito ou vereador neste ano foram publicadas nas edições de 3 de abril e de 13 e 15 de agosto do Diário Oficial do Estado.

O Serviço de Comunicação Social da Polícia Militar foi procurado pela reportagem e forneceu apenas a lista dos nomes publicados na edição de 13 de agosto de 2020.

Foi perguntado ainda ao Serviço de Comunicação Social da PM se a corporação tinha conhecimento sobre o número de policiais militares inativos candidatos ao pleito municipal deste ano. A assessoria informou que “a Polícia Militar não dispõe dos dados dos policiais inativos”.

“Policial tem família, é munícipe”, diz ex-comandante pré-candidato

O ex-comandante da Polícia Militar do Estado de São Paulo, coronel Marcelo Vieira Salles, 53, é um dos inativos pré-candidato a uma cadeira de vereador na Câmara Municipal de São Paulo. Ele pretende concorrer pelo PSD.

Segundo o coronel, o número de PMs candidatos às eleições vem aumentando a cada pleito porque o policial militar ficou durante décadas alijado do processo eleitoral.

“O policial também tem família, é pai, é munícipe, mora na cidade, tem condições e quer participar do processo eleitoral para aprimorar a legislação e ajudar a construir um Brasil bem melhor”, argumentou o oficial.

Especialista critica politização da PM

Especialista em segurança pública, Rafael Alcadipani, professor de gestão pública da Fundação Getúlio Vargas, vê com preocupação o aumento no número de policiais militares candidatos às eleições.

“Esse crescimento é extremamente preocupante e demonstra uma politização da Polícia Militar em São Paulo e no Brasil. A maioria desses policiais tem como lógica o discurso violento de que bandido bom é bandido morto”, afirmou.

Na opinião de Alcadipani, o policial militar tem de exercer sua profissão e não ter a política como opção de carreira. “Realmente esse aumento no número de PMs candidatos às eleições preocupa e muito porque denota o perigo da contaminação política dentro da corporação”, acrescentou o professor.

Reportagem de Luís Adorno publicada no UOL em 27 de julho de 2018 já mostrava essa tendência de crescimento. O levantamento indicou que o número de PMs da ativa candidatos às eleições estaduais tinha aumentado 74%.

Em 2014 pediram afastamento para disputar o pleito estadual 38 policiais militares. Quatro anos depois, o número subiu para 66 PMs afastados da corporação para concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

  1. É um direito e eles tem que usufrui lo. Ademais, dar uma respirada fora da farda para aqueles que conseguirem uma cadeira, será tudo de bom. Qualquer Câmara Municipal paga mais que a gloriosa e a preocupação referente a punição e menor…

    Curtir

  2. Se ingressa na PM por falta de opção, jamais por vocação. Quem quer se sujeitar a uma humilhação como essa que ocorreu em Marília? disse:

    A bem da verdade todo mundo quer ir embora dessa….., só não sai quem não pode, principalmente entre as praças.

    Curtir

  3. É legal e absolutamente legítimo.

    Qual o problema?
    Vão lhes tolher o direito que todo cidadão tem só por serem policiais?

    Ao fim e ao cabo, só pouquíssimos conseguirão lograr êxito…e só através do VOTO POPULAR, como deve ser.

    Sendo assim, ratifico, qual o problema?

    Curtir

Os comentários estão desativados.