Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais 17

Presidente Jair Bolsonaro durante entrevista coletiva em Brasília -

Presidente Jair Bolsonaro durante entrevista coletiva em Brasília

Marcelo Godoy e Paulo Roberto Netto

Do Esdadão Conteúdo, em São Paulo

08/07/2020 17h58

O coronel da reserva da PM (Polícia Militar) de São Paulo Glauco Carvalho apresentou hoje sua renúncia ao cargo de vice-presidente da Associação de Oficiais da PM em razão de discordar da maioria dos demais associados, que apoiam o presidente Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada após reunião da diretoria, na qual Glauco expôs seus motivos.

Em carta entregue aos colegas, ele disse: “É a decisão mais coerente que eu poderia tomar. Se apregoo e defendo a democracia, nada mais justo e lícito que pedir minha saída, uma vez que o eleitorado da Associação de Oficiais é majoritariamente bolsonarista”, afirmou.

Glauco comandou o policiamento da capital do Estado antes de passar para a reserva. Em janeiro, em entrevista ao Estadão, disse que se sentia envergonhado como militar diante de “tantas ações atabalhoadas, extravagantes, ridículas e mesquinhas” do governo Bolsonaro. Na carta entregue nesta quarta, o coronel volta à carga contra o presidente.

“Convivi com um jovem deputado chamado Jair Messias Bolsonaro no inicio dos anos 90. Ele é a antítese do que é um militar na acepção lata da palavra”, afirmou.

“Como todo espertalhão, prega a ordem, mas descumpriu a ordem estabelecida em normas legais no final dos anos 80. Como todo falastrão, defende o militarismo, mas foi um indisciplinado por excelência. Como todo estelionatário, prega moralismos, mas é useiro e vezeiro em transgredir preceitos éticos públicos. Como todo incauto, despreza e desdenha da doença e da dor alheias. Como todo insensato, cria confusões e disputas em torno de problemas que na realidade não existem. Como todo radical, agride verbalmente e ofende seus adversários. Como todo imaturo, não pode ser contrariado. Como todo estulto, quer valer-se das armas para depor os mecanismos pelos quais ele foi alçado ao poder. Como todo arrivista, quer o poder pelo poder”, disse Glauco.

O coronel também criticou a aproximação de Bolsonaro com o ‘centrão’, afirmando que o Planalto hoje ‘depõe sua confiança em parte do estamento político contra o qual fez toda sua campanha’, como Roberto Jefferson e Valdemar Costa Neto. “Suas relações incestuosas com a família Queiroz são o retrato mais aparente da prática delituosa da família Bolsonaro”, afirmou Glauco.

Segundo ele, a oficialidade cometeu ‘grave erro, um erro histórico’ devido a integrantes que, ‘por um engodo, tem feito uma opção que julgo não ser a mais adequada’. “Temos que analisar o quadro desprovido das lentes da ideologia, que esse governo tanto apregoa. Não podemos agir como torcida organizada. O fim do campeonato nem sempre pode nos ser benéfico”

  1. Pingback: Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais « Jornal Flit Paralisante | EVS NOT

  2. Falou muito e falou bonito. Parabéns a esse coronel.
    O meu pai é militar da FAB, e não é esse exemplo de militarismo que ele seguia, o bozo não se adequou à vida militar, pois é necessário, lealdade, honra e disciplina, bom, pelo menos o meu pai foi assim na vida militar e em tudo enquanto era vivo! Já o bozo, pulou fora, como os ratos fazem quando o navio vai afundando…ele tem mais anos dentro da política do que sendo militar da ativa. Esse bozo, é o pior corrupto da hsitória do Brasil!!

    Curtir

    • Lembrei da saudosa Radio Eldorado AM, durante o dia e no encerramento da programação:

      Tu és Bolsonarista, mas é um cara legal…
      P.S: Até ele pegou a bandida! Será que agora dá pra acreditar?! Usa cloroquina, mas tá fazendo dois monitoramentos cardíacos diariamente. Medo de curto-circuito, ne?! Assim é fácil se entupir de cloroquina…

      Curtir

  3. Coronel quem?
    É de São Paulo e conviveu com o Bolsonaro enquanto Deputado Federal pelo Rio de Janeiro? Não entendi!
    Todos os Oficiais são, em sua maioria, bolsonaristas, e ele por não ser pediu sua saída. E?
    Falta de assunto!!!

    Curtir

  4. Homenagem da "Defenda PM" à memória de Guilherme Silva Guedes, familiares e amigos. disse:

    O que me causou alguma surpresa hoje, foi o SPTV/Rede Globo, repercutir o salvo conduto concedido pelo juiz da justiça militar estadual ao apreciar Habeas Corpus ajuizado pela famigerada “Defenda PM”, desobrigando oficiais da PM de preservarem e apresentarem nas delegacias de polícia, ocorrências/armas utilizadas por PM’s envolvidos na prática de homicídios.

    A Justiça Militar Estadual é uma justiça especial, verdadeiro apêndice na estrutura judiciária do Estado. A atribuição se restringe em julgar os crimes militares praticados por PM’s, não tendo competência para julgar os crimes dolosos contra a vida, privativa do Tribunal do Juri que integra a justiça comum estadual. Na Constituição de 1988, só conseguiu sobreviver em três Estados(São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais).

    Se não tem competência para julgar, por que incumbir a polícia militar a atribuição para apurar/investigar/deflagrar a persecução penal nessas condutas criminosas perpetradas pelos milicianos se a polícia judiciária da justiça comum estadual é a polícia civil e da justiça federal é a polícia federal?

    Se o policial, quer seja militar, quer seja civil, praticou homicídio em inequívoca excludente de ilicitude, o que pode temer?

    A decisão, em pleno viés de significativo aumento dos casos de violência perpetrada por PM’s, mostra-se inoportuna, além de extremamente controversa, parcial e de passível arguição de suspeição, mormente quando prolatada por magistrado que foi oficial de carreira da Polícia Militar e palestrante da “Defenda PM” na Câmara dos Deputados na defesa do ciclo completo postulado pelas corporações militares.

    Essa decisão é uma homenagem da “Defenda PM” à memória do jovem Guilherme Silva Guedes que nos deixou graças ao despreparo, crueldade e aviltante sentimento de impunidade daqueles que através dela vão se blindar.

    Curtir

  5. Homenagem da "Defenda PM" à memória de Guilherme Silva Guedes, familiares e amigos. disse:

    O que me causou alguma surpresa hoje, foi o SPTV/Rede Globo, repercutir o salvo conduto concedido pelo juiz da justiça militar estadual ao apreciar Habeas Corpus ajuizado pela famigerada “Defenda PM”, desobrigando oficiais da PM de preservarem e apresentarem nas delegacias de polícia, ocorrências/armas utilizadas por PM’s envolvidos na prática de homicídios.

    A Justiça Militar Estadual é uma justiça especial, verdadeiro apêndice na estrutura judiciária do Estado. A atribuição se restringe em julgar os crimes militares praticados por PM’s, não tendo competência para julgar os crimes dolosos contra a vida, privativa do Tribunal do Juri que integra a justiça comum estadual. Na Constituição de 1988, só conseguiu sobreviver em três Estados(São Paulo, Rio Grande do Sul e Minas Gerais).

    Se não tem competência para julgar, por que incumbir a polícia militar a atribuição para apurar/investigar/deflagrar a persecução penal nessas condutas criminosas perpetradas pelos milicianos se a polícia judiciária da justiça comum estadual é a polícia civil e da justiça federal é a polícia federal?

    Se o policial, quer seja militar, quer seja civil, praticou homicídio em inequívoca excludente de ilicitude, o que pode temer?

    A decisão, em pleno viés de significativo aumento dos casos de violência perpetrada por PM’s, mostra-se inoportuna, além de extremamente controversa, parcial e de passível arguição de suspeição, mormente quando prolatada por magistrado que foi oficial de carreira da Polícia Militar e palestrante da “Defenda PM” na Câmara dos Deputados na defesa do ciclo completo postulado pelas corporações militares.

    Essa decisão é uma homenagem da “Defenda PM” à memória do jovem Guilherme Silva Guedes que nos deixou graças ao despreparo, crueldade e aviltante sentimento de impunidade daqueles que através dela vão se blindar.

    Curtir

  6. A última do bozo hj na live: na época da guerra, os soldados aplicavam água de Côco na veia…. kkkk isso é uma lenda, animal!!! Chacota mundial, mesmo. Parabéns aos envolvidos! Kkk

    Curtir

  7. 70 mil. A morte virou rotina, e daí?
    POR FERNANDO BRITO · 10/07/2020

    O gráfico aí de cima, da Fundação Oswaldo Cruz, mostra o espantoso avanço do novo coronavírus nas regiões que, até o mês passado, haviam sido relativamente poupadas da contaminação dramática que se deu em outras áreas do país. Minas, o Centro-Oeste e o Sul do país disparam em numero de casos e, também, em número de mortes.

    É óbvio, muito claro mesmo que isso reflete o fato de que não se fez o necessário bloqueio à expansão da doença e cedeu-se à primária justificativa de que “como aqui tem poucos casos não são necessárias medidas de isolamento”.

    Colaborou nisso, claro, a atitude estúpida do Governo – o Federal e alguns estaduais – de combaterem o isolamento, estimular insanidades – alguém lembra do saxofone tocando a melô do shopping em Santa Catarina?- e o resultado se expressa no número crescentemente assustador de casos naqueles estados e também no de mortes, que vai ao final do post.

    Sugere-se que estamos, nacionalmente, num platô, com um número de mortes “estabilizado” um pouco acima de mil por dia. Quatro Brumadinhos diários, para que se quantifique melhor.

    Estamos superando os mil óbitos diários desde 19 de maio, com raros dias – salvo os subnotificados finais de semana – abaixo disso. Estaríamos, portanto, para completar dois meses neste patamar e ninguém duvida que chegaremos e passaremos deste prazo.

    Comparemos, aceitando em parte a proporção populacional: a Itália ficou um mês (20/mar a 21/abr) acima das 500 mortes; idem a Espanha (23/mar a 18/abr), a França ainda menos (01/abr a 23/abr) e o Reino Unido, a pior taxa de mortalidade entre os grandes países europeus, foi o que permaneceu mais tempo acima das 500 vidas perdidas, de 1° de abril a 19 de maio.

    O quadro brasileiro é semelhante ao outro exemplo, o dos Estados Unidos, que chegaram ao nível de mil mortes/dia em 1° de março e dele só saíram, salvo dias isolados, em 9 de junho, mais de três meses depois. Três meses em lugar de um mês, a mil mortes/dia, são 60 mil mortes, uma opção que, crua assim, nenhuma sociedade aceitaria.

    É o que está diante de nós: aceitar ou não que as coisas vão se “normalizando e – para sermos otimistas, este grau de mortalidade siga até o final de agosto quer dizer que teremos 30 ou 40 mil mortes – parte delas inevitavelmente ocorrerá, claro – que poderiam ser evitadas por medidas restritivas.

    Mais ainda, a se confirmarem – o que está acontecendo até agora – as projeções matemáticas da Universidade de Washington, que supõe que tenhamos, até o último dia de agosto, o dobro das 70 mil mortes que se completam hoje.

    O “novo normal”, aceito pacificamente por nossas autoridades, é simplesmente monstruoso.

    Curtir

  8. Marcelo Adnet “junta” Trump, Moro e Dória em conversa sobre Bolsonaro
    No programa de quarentena “Sinta-se em Casa”, Adnet imagina “reunião virtual” entre as três figuras

    Por Felipe Ernani – 09/07/2020
    Compartilhar no Facebook Tweet no Twitter

    Marcelo Adnet imita Donald Trump, Sergio Moro e João Doria
    Mais uma vez provando que é um dos grandes nomes do humor no Brasil, Marcelo Adnet resolveu colocar em uma mesma chamada de vídeo três das suas melhores imitações: Donald Trump, Sérgio Moro e João Dória.

    A situação imaginada por ele é a de uma reunião para falar sobre o presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que teria sido diagnosticado com a COVID-19 nos últimos dias.

    No papo, Moro e Dória iniciam falando em português até a chegada de Trump, que age como uma espécie de “conselheiro” na esquete — com o fator de não se importar nem um pouco com o nosso país e chamar Bolsonaro de “seu cachorrinho”, além de criticar o inglês dos outros dois.

    É claro que tudo vira uma enorme bagunça e, no fim das contas, eles acabam passando a falar mais sobre a suposta declaração do presidente brasileiro de que usar máscara seria um comportamento homossexual enquanto Dória começa a expor as suas qualificações como candidato.

    Confira e ria para não chorar pelo vídeo abaixo!

    Curtir

  9. Enquanto a “Defenda PM” busca de modo intransigente, nos Poderes Judiciário e Legislativo, obter atribuições legais e constitucionais que a PM não tem, a cúpula da Polícia Civil dorme em berço esplêndido sonhando com o vil metal a ser arrecadado, bons contratos na área de segurança privada com as empresas de que sejam proprietários ou, na melhor das hipóteses, com “PORCARIAS” com o fito de cercear a livre manifestação do pensamento dos seus integrantes nas redes sociais de que façam parte.

    Me ajuda aí pizzaiolo, faça alguma coisa para sua instituição e não apenas para sua promoção pessoal, pô!

    Durma-se com um barulho desses.

    Curtir

  10. Decisão encomendada, completamente dissociada de qualquer interesse público, mormente dos hipossuficientes das periferias pobres das cidades. disse:

    Interessante a dinâmica desse HC concedido aos oficiais da Polícia Militar através da “Defenda PM”.

    Inicialmente, a ação foi proposta por um Coronel da Reserva, hoje advogado da entidade, que foi ex comandante da região de São José do Rio Preto, passando boa parte da carreira, AZORETANDO a Polícia Civil sobre atribuição institucional para apuração de determinadas infrações penais.

    Se não bastasse isso, a decisão foi prolatada por magistrado da justiça especial(Justiça Militar Estadual) que foi oficial de carreira da PM.

    Entende?

    A argumentação é sempre a mesma: “Assassinar um cidadão é crime militar se o PM estiver de serviço ou praticar o crime com arma da PM”, por isso é prata da casa que deve investigar.

    Imagina se testemunhas de um homicídio perpetrado por PM, de madrugada, em comunidade pobre da periferia, vão se sentir a vontade em dizer o que viram quando forem depor sobre o fato na casa do algoz.que o perpetrou?

    Excelência, me ajuda aí!

    Curtir

  11. Primeiro não entendi o porque o jornal o Estado de São Paulo dar tal destaque, imagino que é mais uma daquela matérias direcionada$ com algum objetivo obscuro.
    O tal coronel era vice de associação dos oficias da RESERVA, ou seja, está de pijama, e como tal utiliza dos meios democráticos para desfiliar toda a sua “revolta”!
    Sendo, portanto, um insubordinação!
    Se não vejamos; Ele escreve e diz que o presidente era insubordinado quando militar, o que faz o Cel PM quando critica um ex- capitão do EB e atual presidente?
    Sim, isso mesmo insubordinação!
    Além de demostrar ser insubordinado e desleal, já que critica um ex-militar como ele, e agora tem um cargo eletivo, por ai já vemos que o Cel PM é daquele estilo faça o que eu mando não faça o que eu faço, quanto a criticar um ex-capitão do exército falo pelo cotovelos, já que por certo não conviveu com o capitão quanto deste na ativa, já comprova mais uma vez a sua falta de lealdade, critica sem saber, mas de ouvir dizer!
    Penso que o Cel PM já está pavimentando a sua candidatura a algum cargo políticos nas próximas eleições, teremos que esperar para se comprovar, questão de tempo. Já que este até o momento não escreveu uma linha sobre o governador, que para mim é um milhão de vezes pior que o presidente, e que está muito mais próximo do Cel PM.
    Por que será?
    Mistérios! Que só que tem c…. tem medo!
    No mais este Cel PM é exatamente igual a todos oportunistas, com alguma ambição politico eleitoreiras, como era minoria dentro a associação deveria sair calado, ou aceitar e conviver com os desejos da maioria.
    Mas o Cel PM se comporta como arrivista que é, essa tive que pesquisar o sentido, a sua opinião deveria, mesmo que minoritária deveria prevalecer!
    Para mim isso é coisa de gente mimada!
    Depois critica a aproximação do presidente com determinadas pessoas, nada mais contraditório, para dizer o mínimo, ele que se aposentou em janeiro, deste ano, e como tal conviveu o o Cel PM Camilo que foi denunciado pelo Cel PM Adriano por prática de desvios de dinheiro publico dentro da PM, o que fez o Cel PM arrivista naquela época?
    Isso mesmo ficou calado e quieto!
    Demostrando toda a sua “coragem” naquela época não pediu para sair, para não ter que conviver com determinados coronéis por que?
    Fingiu não ver o que ocorria no seu quintal, e agora aponta do dedo acusador, para muito além do seu quintal, muito conveniente isso sim é coisa de “Coroné” coisa “omen” de coragem!
    No mais tal reportagem foi feita sob encomenda! Simples assim!
    E finalizo eu é que me sinto envergonhado, como ele afirmou, ver o naipe deste Cel PM que teve papel de destaque na PM, fico imaginado quantas maldades e crueldades, para não dizer cag…homéricas, ele deve ter praticado contra os seus subordinados, pensando do jeito que pensa!

    Curtir

  12. A manifestação do coronel vai ao encontro do juízo de valor de inúmeros futuros ex eleitores de Bolsonaro. Só se conhece os verdadeiros propósitos de um mandatário popular convivendo com ele no exercício do mandato. Por conta disso, milhares, quiça, milhões de cidadãos se arrependeram em votar nele, inclusive eu.

    Curtir

  13. Precisavam avisar o tenente que ele trocou a farda pela toga, o que, s.m.j, foi bem melhor, mormente quanto ao aspecto financeiro, senão não tinha trocado.

    Crime doloso contra a vida, competência do Tribunal do Juri, que integra a estrutura organizacional da justiça comum estadual ou federal.

    As polícias judiciárias da justiça comum estadual ou federal são: Polícia Civil e Polícia Federal.

    O que tem a ver a justiça castrense com isso? Que inclusive só existe em três Estados da Federação.

    Curtir

  14. Paraíso da impunidade.

    Se um policial militar matar uma pessoa em serviço, só será investigado se constituir um advogado, ou seja, fica ao seu livre arbítrio, ser investigado ou não, vez que sem o atendimento dessa exigência, todos os atos investigatórios ficam suspensos “ad aeternum”.

    Tem algo mais motivador dessa desmedida violência policial que vivenciamos?

    Isso explica o porquê do PM ter fraturado a perna e esmagado a cabeça da mulher pobre e negra da periferia no asfalto.

    Entende?

    Curtir

Os comentários estão desativados.