COMPREM DÓLARES AMERICANOS, NENHUMA REFORMA SERÁ APROVADA – Proposta para militares põe policiais em pé de guerra 17

Resultado de imagem para dolares americanos

Proposta para militares põe policiais em pé de guerra
POR FERNANDO BRITO · 20/03/2019

Como era de esperar, a proposta previdenciária para os militares traz mais danos à tramitação da reforma da Previdência que benefícios para as contas públicas.

É que aquilo que será exigido a mais em tempo de serviço e em contribuição para a aposentadoria é totalmente coberto pelo aumento das gratificações pagas aos integrantes das Forças Armadas, em especial aos oficiais graduados, que receberam parcelas muito mais generosas que a tropa em matéria de representação, adicional por cursos e o criado “adicional de disponibilidade militar”, cujos índices variam de acordo com a patente.

A “economia” de R$ 10 bilhões em 10 anos é originária, essencialmente, da redução proposta do efetivo militar brasileiro: 10% em 10 anos. Calculada pelo termo médio (5% a menos de efetivo) sobre os cerca de R$ 24 bilhões da folha de ativos atual, isso dá R$ 12 bilhões em uma década, mais que a alegada economia das medidas propostas hoje.

Há outros pontos que vão gerar disputa com os funcionários civis: alíquotas menores que as deles para vencimentos iguais, regras de transição extremamente mais generosas e a ausência de idade mínima, que, mesmo com os 35 anos de serviço, permitirá a militares se aposentarem aos 52 anos de idade (17 anos de idade mínima para a entrada nas escolas de cadetes, contando para somar os 35 anos).

Mas nada será comparável à irritação dos policiais e bombeiros militares dos Estados, que “ganham” as novas exigências para se aposentarem mas não recebem um tostão das vantagens concedidas às Forças Armadas.

O próprio Ministério da Economia estima que R$ 52 bilhões deixarão de ser pagos aos militares estaduais, por conta da mudança de regras. Como são, hoje, 500 mil em todo o país, o resultado é uma perda superior de R$ 100 mil por cabeça, em média, em uma década ou pouco maior que R$ 10 mil por ano.

É por isso que até no PSL de Bolsonaro as reações são negativas. E a razão de ter sido dito aqui que a medida desagradaria a “gregos e goianos”.

Na situação em que está hoje, o governo não conseguiria aprovar nenhum dos dois projetos , nem o dos civis, nem o dos militares.

E não há sinal no horizonte de que isso esteja mudando.

  1. Tudo mentira.
    Nos Estados está tudo bem.
    Os PMs estão até aliviados.
    Esperávamos o pior.
    Como está, fica aceitável e muito bom.

    Curtir

  2. Tenho uma ideia para diminuir as despesas dos policiais militares dos Estados ? Porque o governo não recria a guarda civil, aos moldes dos Municípios, evitando a grande dicotomia que há entre as Policias civis e Militares. Não vincularia uma força ligada diretamente com o exército e diminuiria muitas despesas como Justiça Militares e muitos outros. Não podemos extinguir a Policia Militar porque é existencial também na segurança do Estado.

    Curtir

    • Embora eu seja favorável à extinção, eu sei que para criar uma nova polícia levaria ao gasto, tempo…
      Agora esta sua ideia colega, os meus parabéns!

      Curtir

  3. Foto de obra “inaugurada” por Bolsonaro no Nordeste é de estrada no Rio
    22 de março de 2019 por Esmael Morais

    A Agência Lupa é tida como a primeira do Brasil especializada em fact-checking; ou seja, eles conferem a veracidade das notícias. Pois essa agência está denunciando mais uma fake news de Bolsonaro.

    LEIA TAMBÉM: Bolsonaro apaga postagem pornográfica do Twitter

    O governo faz propaganda de uma obra, que seria a segunda rodovia já inaugurada por Bolsonaro no Nordeste em menos de 10 dias. Acontece que a foto é de uma estrada que fica no Rio de Janeiro.
    Confira:
    (postarei em apartado, mas infelizmente, creio que ficará na moderação, mas mesmo assim, vamos tentar)

    Curtir

  4. Faz anos (bastante mesmo) que proponho como sugestão dar o poder de Polícia Ostensiva às Guardas Municipais, ficando a Polícia Militar somente com rondas ostensivas, Corpo de Bombeiros e Guarda Florestal. Mediante divisão de alíquota pouco maior, às Prefeituras assumiriam esse serviço, proporcionado ao Estado uma economia gigantesca de recursos humanos e materiais.

    Curtir

  5. O Blog do FERNANDO BRITO chama-se 247, ou seja, 2+4+7=13, é necessário mais alguma explicação da vertente política dele? No caso dele é 13 roxo.
    Nós, policiais, sabemos que o código 13, serve para designar pessoas com algum transtorno psicológico; louco.
    Neste caso, e sendo politicamente incorreto, para desiganar um retardado ou demente, simples assim.
    Quem quiser que abraçe as “ideias” deste cara e posso longe.

    Curtir

    • dezessete (17) noves forra oito (8), que multiplicado por dois (2) dá dezesseis((16) noves fora dá sete(7) , suytraia dois (2) e reserve o resultado (6).´
      E MUITO IMPORTANTE, POIS AFINAL É A CENTENA DO NÚMERO DA BESTA (666)..

      Curtir

  6. BOLSONARO NUNCA DEU VALOR AOS DIREITOS HUMANOS, DIZ FUNDADOR DO PÕE NA RODA
    Divulgação

    Para o fundador do maior canal LGBT da internet brasileira, a escolha de uma pessoa tão despreparada quanto Damares Alves para assumir uma pasta importante como os direitos humanos, demostra o desprezo de Bolsonaro pelo tema; “Ele nunca deu valor aos direitos humanos, sempre os criticou e inflou boa parte dos brasileiros contra os direitos humanos”, disse Pedro HCM, em debate no program De Lucca Entrevista

    William De Lucca, 247 – O designer, roteirista e fundador do canal Põe na Roda, Pedro HMC, criticou duramente a gestão do presidente Jair Bolsonaro e de sua ministra das Mulheres, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, durante sua participação no programa De Lucca Entrevista, na noite de sexta-feira (22).

    Para ele, a escolha de uma pessoa tão despreparada para assumir uma pasta importante como os direitos humanos como Damares, demostra o desprezo de Bolsonaro pelo tema.

    “É uma piada, só o fato de ser ela comandando os direitos humanos, uma mulher tão limitada e que já inventou tantos absurdos e que não entende nada de direitos humanos, representa muito o próprio Bolsonaro. Ele nunca deu valor aos direitos humanos, sempre os criticou e inflou boa parte dos brasileiros contra os direitos humanos”, criticou Pedro.

    Curtir

  7. té abril, Bolsonaro será rejeitado pela maioria
    Blog da Cidadania
    Blog da Cidadania
    Inscrever-se277 mil
    Adicionar a Compartilhar Mais
    89.432 visualizações
    14.905 280
    Publicado em 21 de mar de 2019
    Temer e Bolsonaro dão esperança de que o golpe de 2016 e a prisão de Lula serão punidos não só pela história, mas, também, por essa “justiça” torta que Temer ajudou a fortalecer no país. Líder do golpe de 2016, Temer está preso; tucanos, desmoralizados; e Bolsonaro está derretendo, segundo o Ibope. Pela matemática, até abril será rejeitado pela maioria.

    Curtir

  8. Estadão publica a lista dos piores tuítes de Jair Bolsonaro

    24/03/2019 – 7:35
    Por: Redação |
    Comunicar erro
    Tags: #bolsonaro #Carlos Bolsonaro #Jair Bolsonaro #News #Twitter355

    Jair Bolsonaro mostrou como um presidente consegue se eleger gastando muito pouco, quase nada, usando as redes sociais.

    Virou um fenômeno mundial nas redes sociais.

    Mas o que foi um sucesso eleitoral se transformou num fracasso governamental.

    Muitos dos seus posts provocam mais danos – muito mais danos – do que benefícios.

    Ajudam a explicar por que ele está despencando tanto e tão rapidamente nas pesquisas.

    O Estadão revela uma pesquisa feita pelo jornalista Pedro Burgos, professor do Insper, que analisou os tuítes de Bolsonaro já presidente.

    Foram analisados os impactos das postagens – as de mais repercussão são as que geram mais comentários negativos e arranham sua imagem.

    O grande campeã foi o tuíte sobre o Carnaval – agora, aliás, obrigado a ser apagado.

    Explica o Estadão:

    Uma lei não escrita das redes sociais indica que os piores tuítes de alguém são os que têm maior proporção de respostas e comentários em relação à soma de retuítes e “likes”. É o que se chama de “ratio”, no jargão dos usuários e especialistas.

    Aplicada às postagens do presidente, essa metodologia indica que as maiores reações negativas ocorrem quando ele publica algo inserido no contexto de “guerra cultural” contra o que considera ideológico ou imoral.

    Curtir

  9. MBL anuncia em Curitiba que deixou o barco de Jair Bolsonaro
    24 de março de 2019 por Esmael Morais

    Dentre as posições tomadas no 3º Congresso Nacional, em Curitiba, o MBL (Movimento Brasil Livre) anunciou neste sábado (23) que pulou fora do barco do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

    O capitão reformado foi apresentado à plateia do evento, formada majoritariamente por acadêmicos da Universidade Positivo, como uma pessoa incapaz de ser presidente da República.

    LEIA TAMBÉM
    PT aprova resolução em defesa da soberania nacional

    Além de descer o relho em Bolsonaro, o MBL saiu em defesa do ex-presidente Michel Temer (MDB) preso na última quinta-feira (21) pela operação lava-jato.

    Para o movimento protofascista, repetindo o discurso de Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente da República tem que deixar o Twitter para fazer a reforma da previdência, qual seja, ferrar os trabalhadores com o fim da aposentadoria.

    Quanto ao congresso, ‘orelhas seca’ do Blog do Esmael asseguram que foi mais esvaziado que estádio em dia de jogo do Ibis — o pior time do mundo.

    Curtir

  10. DEM emite nota sobre ataques virtuais a Rodrigo Maia
    24 de março de 2019 por Esmael Morais

    Parlamentares do DEM na Câmara dos Deputados emitiram uma nota de neste sábado (23) na qual repudiam os ataques virtuais direcionados ao presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e às instituições democráticas.
    “É lamentável que ataques, muitas vezes anônimos, tenham o intuito único de denegrir reputações pessoais e institucionais”, diz trecho da nota.

    LEIA TAMBÉM:MBL anuncia em Curitiba que deixou o barco de Jair Bolsonaro

    Assinado pelo líder do partido, deputado Elmar Nascimento (BA), o texto também afirma que a reforma da Previdência é necessária e depende de “posturas corajosas e de defesas enfáticas”.

    Confira a íntegra da nota:

    Conhecedores do espírito público, da capacidade de diálogo e da responsabilidade de Rodrigo Maia com o País, os deputados Federais que compõem a bancada do Democratas na Câmara repudiam qualquer ataque virtual ao presidente da Câmara e às instituições democráticas.

    É público o respeito de Rodrigo Maia aos Poderes constituídos e à hierarquia característica de cada um deles e a busca incessante pela harmonia e independência, preceitos constitucionais. Também é de conhecimento de todos seu empenho com o ajuste fiscal e com as reformas voltadas para o crescimento do País, sejam estas medidas populares ou não.

    A implementação de regras duras e necessárias que cortem privilégios dependem de posturas corajosas e de defesas enfáticas. O mundo real é assim. O virtual aceita ataques que só geram ódio, não o desenvolvimento.

    A coragem e o diálogo franco, ambos na vida real da política que visa um Brasil melhor, fazem Rodrigo M
    aia ser reconhecido como uma das figuras centrais neste difícil processo de reconstrução nacional, devolvendo à Câmara, que representa a vontade de cada brasileiro, um papel de protagonismo, necessário ao momento que estamos vivendo. É lamentável que ataques, muitas vezes anônimos, tenham o intuito único de denegrir reputações pessoais e institucionais.

    As portas de seu gabinete e da residência oficial da Câmara sempre estiveram – e estarão – abertas para qualquer corrente política. À sua mesa, há lugar garantido para todos aqueles que queiram contribuir de forma respeitosa com o ambiente democrático. Sua interlocução com todos é feita de forma direta e franca.

    O Presidente Rodrigo Maia orgulha a nossa bancada e sintetiza com as suas atitudes os valores democráticos que o nosso Partido cultua e defende. Para os deputados Federais do Democratas, em qualquer contexto, governado por qualquer grupo político, as instituições e o respeito a seus representantes devem prevalecer. Não acreditamos que a saída para a crise possa ser outra.

    A Câmara dos Deputados, sob a liderança de Rodrigo Maia, não se furtará a cumprir o seu papel na história.
    Elmar Nascimento (BA), líder do Democratas na Câmara

    Curtir

  11. GLOBO MANDA BOLSONARO TRABALHAR E ASSUMIR O MANDATO

    “Não se tem notícia de um presidente como Jair Bolsonaro, que tenha demorado tanto tempo para descer do palanque. Vitorioso numa campanha em que se valeu muito das redes sociais, território adequado a mensagens curtas, quase sempre agressivas, e de pouca reflexão, o presidente demonstra dificuldades em mudar o tom e passar a governar, o que implica, numa democracia, negociar”, diz editorial do jornal da família Marinho, que também critica os milicianos digitais do bolsonarismo e indica que a única missão de Bolsonaro é mexer na Previdência
    26 DE MARÇO DE 2019 ÀS 07:01 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

    247 – “Não se tem notícia de um presidente como Jair Bolsonaro, que tenha demorado tanto tempo para descer do palanque. Vitorioso numa campanha em que se valeu muito das redes sociais, território adequado a mensagens curtas, quase sempre agressivas, e de pouca reflexão, o presidente demonstra dificuldades em mudar o tom e passar a governar, o que implica, numa democracia, negociar”, diz editorial do jornal da família Marinho, que também critica os milicianos digitais do bolsonarismo.

    “O choque entre Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é fórmula infalível para o fracasso da reforma da Previdência e, consequentemente, de seu governo. Maia, desde a posse, por entender a importância das mudanças, se colocou ao lado do projeto. Porém, ele não pode acumular sua função com a de líder do governo na Casa, tampouco de ministro da Casa Civil, suposto coordenador político do Planalto”, aponta o Globo, dando a entender que a única missão de Bolsonaro é mexer na Previdência.

    “Bolsonaro diz que cumpriu sua missão ao enviar o projeto para a Câmara, e que agora é com Maia e os deputados. Engana-se. Pode ter ficado bem com suas bases ao patrocinar uma reforma previdenciária para os militares apenas como pretexto para aumentar soldos e benefícios. O melhor que os militares fazem é negociar com o Congresso o aperfeiçoamento do projeto, que, da maneira como está, apenas fortalece a resistência de castas do funcionalismo civil às mudanças. Queira ou não, o presidente será chamado a conversar. E que comece logo”, cobram os Marinho. “Em reunião ontem pela amanhã, no Planalto, Bolsonaro contemporizou . Disse que o foco do governo é a reforma da Previdência e que deseja uma relação harmoniosa com o Legislativo. O risco agora são os tuítes.”

    Curtir

Os comentários estão desativados.