Conheci o Dr. da Cunha, em agosto de 2005…Não sei o motivo: ele veio “se apresentar” ( nunca fui milico ) e conversar comigo! Rapazinho, magrinho , muito educado , falou: sei que o Sr. gosta de estudar, o Dr. Tanganelli me colocou como supervisor do DOP por eu ser R2, mas quero ser Juiz…Eu não fui nada elegante ( fui grosseiro ) , estava em desgraça funcional e com ódio da Polícia Civil , disparei na cara: matou teu sonho…Mas por muito tempo até na biblioteca do Fórum o encontrei, ainda bem magrinho , debruçado em livros; sempre educado , até um certo telefonema, dez anos depois, que me fez de SBC…De qualquer forma, que Deus te livre da demissão e dos esteroides! TEM RACISMO NESSA DEMISSÃO, mas a primeira impressão é a que me vale: em 2005, um bom rapaz e trabalhador até demais ! 11

Quer uma orientação: vista-se com sobriedade e vá ao Palácio dos Bandeirantes contar a tua história, teus sonhos e mostrar a tua origem humilde para os Procuradores do Palácio e com sorte , quem sabe, para o Governador ! O Secretário de Governo , já serve!

Faça!

E quem dos leitores do FLIT te conhecer te faça ler e fazer o que te digo!

O meu primeiro PAD – o da jogatina – também foi direcionado pra rua a a toque de caixa.

Eu fui lá e uma Doutora passou por cima da demissão já referendada por um tal Roberti ( nem Roberto n em Robert ) !

Não colocarei o nome ( famosa e muito culta ) , mas há um agradecimento a ela neste Blog num dia das mulheres!

Eu seria demitido em 6 ( seis ) meses, lembra? Fiquei 5 anos até ser demitido e por não ter parado!

Pare!

Negão você é um Africano, como todos nós, não precisa desse corpo de gorila.

Você é um magrinho dos livros!

  1. Racismo? Sério mesmo? Não foi por TODO O RESTO? Usar aparatos do Estado para uso e promoção pessoal? Simular prisões? Jogar “josta” no ventilador, pq tomou uma “peba”? E tantas outras coisas? Não… Foi tudo isso mais o racismo. Afinal como ele mesmo disse uma vez “a polícia não gosta de negro que deu certo”. Interessante… Só na DP em q estou há 5 negros e eles nunca passaram por isso. Será exclusividade do Da Cunha? Sei lá.

    Curtir

  2. Sim, a pele, a negritude é o detalhe, o essencial. Ninguém fala, talvez até não perceba. Os defeitos de qualquer pessoa, quando exteriorizados ou visíveis em preto, passam a ser intoleráveis. O ímpeto de uma pessoa branca é exaltado; diz-se que o/a sujeito/a é arrojado, ousado, destemido, “disruptivo”. O preto com o mesmo comportamento é considerado “metidez”, arrogância, prepotência, egocentrismo…
    Enfim, deixou-se seduzir por “Dapenas” e afins…
    Tem preconceito oculto, sim. Ninguém fala e ninguém admite. Mas pecado de pessoa preta é imperdoavel. Vá atrás dos movimentos antiracistas. Talvez (certamente) até seja incompreendido por ser policial, mas haverá alguém para enxergar além, porque no fim é “menos um” que chegou lá…

    Curtir

    • Eduardo , na minha turma de Delegados havia um rapaz negro , serventuário , que , além do concurso de delegado, foi aprovado quase que simultaneamente te no MP e na Magistratura. Ele – e mais dois meninos aprovados no MP – ficaram conosco até a formatura . E tenho certeza guardam carinho pela boa experiência. Foi para a MAGISTRATURA E É FELIZ! Pra certas coisas , embora digam que eu tenha o nariz defeituoso, eu vejo claramente os acontecimentos. O rapaz era muito culto, muito educado e aparentava ser um funcionário forense muito exemplar. Ele foi o único negro a ser aprovado nos três concursos realizados n o primeiro semestre de 1988. Deixaram ele ingressar nos três concursos por ser o centenário da abolição. Embora ele talvez fosse o melhor de todos em termos de preparo para o concurso. Talvez não tivesse nenhuma vocação e se ficasse seria um profissional ruim . O nosso concurso foi o DP 1 , não confundir com DP2 e DP 3 que foram adulterados e candidatos aprovados verdadeiramente foram limados para dar vez a filhos de cardeais . NA POLÍCIA CIVIL SE ROUBA NA CARA DURA. A minha turma foi prejudicada, pois embora, por força de Lei Complementar, a promoção para a 4a. classe se desse , automaticamente, ao cabo de dois anos da posse, nos tivemos que esperar 4 meses para a promoção a 4a.e , logo após, como havia muitas vagas, para a 3a. classe. Assim, quem ingressou 120 dias depois do meu ingresso foi promovido para 4a. classe na mesma data em que eu fui. E dias depois, por merecimento , foi promovido a 3a. classe; eu fui um dos últimos por ser um simples advogado. Não era tira , não tinha tempo de casa, nem de serviço público pra contar, fui um dos últimos a ser promovido a 3as. classe por tempo de serviço…kkk . Quando eu cheguei a 2a. um monte desses que me passaram a cangalha eram 1a. classe. Infelizmente, a carreira Delegado é corrupta desde a Academia. O Diretor daquilo , na época , não mandava nada. Dois anos depois conheci um rapaz , um ou dois ano ou dois mais velho do que eu , gerente do Citybank de Santos. Ele era gerente de contas de clientes donos de revendas der automóveis. E ficamos amigos. Passados alguns meses ele me vendo triste perguntou e comentei que eram problemas na minha carreira. Ele delicadamente, Robertinho nunca quis te falar nada , sei que você estudou, estuda e é completamente diferente da maioria. Vou te contar: sou gerente não apenas por ser formado na GV , fui um péssimo aluno , mas falo e escrevo algumas línguas . Mas o que vale mesmo é que o meu pai é o presidente do Diário Oficial do Estado e amigão do Quércia. Nos concursos são aprovados aqueles que os homens do governo querem . O meu pai recebe, reservadamente , os nomes e os seus auxiliares alteram os editais constando o nome de quem nem prova fez. Tomei maior fogo aquele dia. Esse meu amigo , também Roberto , foi para os |USA. Seu eu pedir abriu uma conta no Citibank do Gonzaga. Eu nunca emiti um cheque, mas ele me garantia que seria mais vantajoso do que o Banespa que ele dizia ter sido feito pra roubar funcionário público. Um cara excepcional , mas não se dava muito bem com o pai. Enfim, na minha turma um negro merecidamente foi aprovado para delegado, promotor e magistrado. MAS NÃO FOI BARRADO POR SER CENTENÁRIO DA ABOLIÇÃO! No último dia de academia, antes da festa na ADPESP ele subiu no salto alto dizendo que nós iriamos passar a ganhar igual a eles |( juizes ). Eu brincando com uma cara bem feia lhe disse você ainda é um de nós. E nós delegados merecemos ganhar bem muito antes da CF que foi promulgada, assim como negro merece passar em concursos de excelência todos os meses, não apenas no Centenário da Princesa Izabel. Fodeu! Não falou nada, mas deve lembrar de mim até hoje. Aliás, muitos lembram. Especialmente um muito famoso que avo tinha loja de tecidos na 25 de março e o pai foi um membro da equipe do Fleury. Ele disse na nossa rodinha que tinha vergonha de ser i investigador , embora fosse desde os 18 anos ( estava com a min há idade 27 ). Eu disse: ROBERTO , fica com o teu avô , pois logo você vai ter vergonha de ser delegado! Eu queria ter sido investigador e fiz a inscrição n o teu concurso em 1979. O meu pai é comerciante e quebrou o pau comigo dizendo que não me pagava estudo para eu ser ladrão. Tu pensa igual ao meu pai. Fica na loja! Mas olha eu teria muito orgulho de estar no teu lugar, a maioria não é ladrão. E se fosse porque eu também seria. Acredite quem quiser, mas todos os fatos que citei são verdadeiros. As palavras que usei podem ter sido diferentes. E na minha formatura ME FERREI com mais 4 colegas. Fomos para a Kilt a maioria foi embora ser pagar e falando paro o maitre meter na conta do titular da Consolação . Pois o Massilon estava lá dentro , pois namorava a dona. Ele fez o Tiozzinho fazer o cheque. Deu-lhe um esculacho por ele ser o líder da turma. No dia seguinte eu paguei 25% do total . acredito que o equivalente hoje a R$ 10.000,00 ( dez mil reais ) . De uns 30 delegados , o Tiozzi pagou metade, eu 25% , o Marturano 12,5% e um rapaz de Franca que saiu sem pagar deu 12,5% para o Tiozzi. Ah, eu paguei 25% por ter convidado um rapaz der Registro que é um dos maiores defensores públicos do Estado. Ele é tão honesto que foi o primeiro a deixar a PGE. Depois eu descobri que o pai do Tiozzi , um delegado importante , era quase meu vizinho na Ilha Porchat. Não vejo o Tiozzi desde 2014 , era ficava lá na praia, mas só lembrava do nome Guerra e me confundia com os de São Paulo. Nessa epoca conhecia a mãer e a irma. E os deixei muito felizes porque ( já tinha tomado umas cervejas ) comecei a gritar o nome dele no prédio em frente a praia ….As duas me disseram , depois do acidente ( ele foi baleado na cabeça no dia que iria para o Nordeste passar as férias ) TODOS ESQUECERAM DELE. O pai morreu doente de desgosto . O Dr. Tiozzi foi o padrinho do DOMINGOS PAULO NETO . E o Tiozzinho , quando o Domingos assumiu o DHPP, ficou em seu lugar na Secional de Santo Amaro. Quem ler vai saber que aqui não tem mentira. O Tiozzinho era uma pessoa cativante. Era malandro, mas exalava pureza. O pai era fodão , eu o conheci, mas do tipo que a gente sabe que não tem falsidade. Edifício Anchieta , Praia do Itararé, São Vicente. Depois que a minha mãe morreu não ando muito pelas bandas da Ilha Porchat e não o vi mais e não sei ser ainda é vivo, pois estava muito debilitado . Se vivo deve ter 65/66 anos. Hoje a noite vou perguntar para o porteiro. A Polícia tem dessas coisas, eu adorava o Tiozzinho por ser meu colega de classe e de farra ( bebia mais do que eu ) . Não por ele ser filho do Dr. Tiozzi!

      Curtir

      • Dr. Adolpho Tiossi Bernardes Jr.
        Meu primeiro titular na polícia.
        Super decente e me ajudou muito.
        Trabalhei com ele durante dois anos. Qdo fui pra Acadepol por ter passado para outra carreira fez de tudo para me trazer de volta ao distrito.
        Não conseguiu.
        Qdo virou secc eu estava quase voltando e se deu a tragédia.

        Seu chefe dos tiras era o Davi a quem considero não um chefe e sim um pai que tive na polícia.

        Tinha o Cidão tbm, um carcepa mais antigo que me ensinou a lidar com a massa carcerária e que naqueles dois longos anos como carcereiro me deu bons conselhos como estudar e melhorar de vida.

        São boas recordações de uma polícia que não existe mais.

        Curtir

  3. Olha a pena e fora de propósito, se ele fez promoção pessoal também fez da policia . Os caras do Conselho cometem injustiças uma atrás da outra. Pode ser que o colega tenha exagerado mais não é ladrão e nem malandro, outros com defeitos insanável e foram ignorados e absolvidos. O Conselho e composto por personagens com cargo de confiança que obedecem o chefe, ninguém lá dentro vai contra sob pena de perder a cadeira. Qualquer Juiz vai sustar a aplicação da pena em medida cautelar.

    Curtir

  4. Não entendi…o CPC deliberou pela demissão do Dr. da Cunha (ainda 1ª Classe), alegando que o delegado usou seu cargo e ou a instituição para se promover? Forjar ocorrência? É crime? São aplicáveis os artigos 74 ou 75 da LOP? Foram ouvidas vítimas nos autos? Alguém foi lesado? Houve prejuízo aos cofres públicos? O CPC informa seu parecer no consórcio de imprensa?

    E aqueles que viveram a carreira brilhando na TV desde o Aqui Agora no SBT(alguém se lembra?)

    Nunca tive contato com ele, é um delegado operacional com certeza, acho que isso foi dedo daquele João que não é mais candidato e a famosa fogueira das vaidades, a qual queima como nunca na firma.

    O doutor vai ser deputado na ALESP e com folga!

    Não li os autos do processo, estou apenas curioso com essa situação, talvez, um “Daniel Silveira” na PC.

    Curtir

Os comentários estão desativados.