Jair Messias é o grande líder dos psicopatas nativos 52

“São indivíduos sem remorso e arrependimento.
Schneider destaca características de personalidades anormais. Carentes de compaixão, toscos em regra, anestesiados de senso moral. Frente ao sofrimento alheio, à morte de milhares de pessoas, não medem palavras, como “eu não sou coveiro”, “chega de frescura” e “vai ficar chorando até quando?”. Não há ressonância afetiva com a dor alheia.
Por vaidade exagerada, se acham acima de tudo, de todos. Não toleram contrariedades: reagem com expressões “quem manda aqui sou eu”, “eu sou o chefe supremo”, “faço o que quero” e outras ególatras.”

JAIR MESSIAS E O “PAI DOS PSICOPATAS”
Por Guido Palomba
Psiquiatra forense, é membro emérito e ex-presidente da Academia de Medicina de São Paulo

“Personalidades Psicopáticas” é o título no Brasil do livro “Die Psychopathischen Persönlichkeiten”, de Kurt Schneider, psiquiatra alemão. A obra rendeu-lhe reconhecimento e a alcunha de “pai dos psicopatas”.
É ótima fonte para decifrar distúrbios de personalidade em tempos tensos, como os desta pandemia. Suas descrições tipológicas baseiam o diagnóstico de desvios de comportamento social, resultados da ausência de sentimentos de piedade, compaixão e altruísmo; da falta de valores éticos-morais; e da incapacidade de se reconhecer culpado. São indivíduos sem remorso e arrependimento.
Schneider destaca características de personalidades anormais. Carentes de compaixão, toscos em regra, anestesiados de senso moral. Frente ao sofrimento alheio, à morte de milhares de pessoas, não medem palavras, como “eu não sou coveiro”, “chega de frescura” e “vai ficar chorando até quando?”. Não há ressonância afetiva com a dor alheia.
Por vaidade exagerada, se acham acima de tudo, de todos. Não toleram contrariedades: reagem com expressões “quem manda aqui sou eu”, “eu sou o chefe supremo”, “faço o que quero” e outras ególatras.
São agressivos, mal-educados e provocadores. Kurt Schneider menciona que esses sujeitos oferecem dificuldades particulares em circunstâncias militares. O desacato e a desobediência são marcas da carreira. A insubordinação/mau comportamento redundam em prisão, expulsão ou abandono (“Las personalidades psicopáticas”; Madrid: Morata, 1974, p. 166).
Eles são pouco inteligentes. Schneider chama-os de “antissociais que, por regra, associam-se aos oligofrênicos” (ibidem, p. 169). A inteligência limítrofe ou seletiva leva-os a praticar atos bizarros, de turrice e teimosia. O foco: o benefício próprio. Se voltarem atrás, não é por reconhecer o erro, mas estratégia momentânea. Rancorosos e vingativos, em seguida, recidivam, até com virulência. São, por todo o quadro, de periculosidade social. Nada os detêm, salvo reprimenda enérgica, judicial e legal.
Kurt Schneider se refere a esses anormais com o termo psicopatia. Preferimos condutopatia (conduta patológica, transtorno de comportamento) por ser menos genérico e autoexplicativo.
Em cargos públicos, interessa-lhes o poder para escoar as condutopatias em louvor a si mesmos. Como chefia, são tiranos. Egoístas, colocam a própria vontade e a autoridade acima das leis e da Justiça.
É comum a psiquiatras discordâncias sob uma mesma doutrina. Porém, todos admitimos que psicopatas (condutopatas, para nós) não têm cura, já que a origem do mal é orgânica e irremovível. Não raro sofreram lesões cerebrais em fase intrauterina ou em tenra idade —etapa de acelerado desenvolvimento do sistema nervoso—, impactando a formação do órgão.
Em clínica, o diagnóstico é dado quando, frente a sinais/sintomas psíquicos, comportamentais e sociais, há história concreta de possível lesão do encéfalo, no estado fetal ou nos primeiros anos.
Tudo isso para falar do segundo nome do presidente Jair, Messias, dado pela mãe, Olinda Bonturi Bolsonaro, após gravidez complicada, atribuindo a Deus o nascimento.
Gravidezes complicadas são causas de sofrimento cerebral e de consequentes distúrbios de comportamento na adultícia —para Schneider e todos dedicados à psiquiatria.

  1. Bolsonaro cuida de criar seu slogan: genocida
    Fernando Brito
    19/03/2021
    8:25 am

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/genocida.png.webp

    Velho amigo deste blog e e genial cartunista Renato Aroeira, em entrevista à TV247, mata a óbvia charada do que vão conseguir os lambe-botas do governo em iniciar processos pela “Lei de Segurança Nacional” quem chama Jair Bolsonaro de “genocida”: um tiro – e um tirambaço – em seu próprio pé.

    Em primeiro lugar, porque são processos que, desde que o país saiba deles e se proveja assessoria jurídica de qualidade – quem tem, como os blogs progressistas que enfrentar processos de natureza política, sabe o quanto isso custa – não darão em coisa alguma.

    Em seguindo lugar, porque está tornando “popular” uma expressão e um conceito que, de outra forma, seriam quase ilegíveis para o grande público e e passaram a ter uma leitura em que o próprio nome Bolsonaro passa a ser dispensável: escreva-se genocida e tudo estará dito e “improcessável”.

    A menos que se queira, como ironiza Aroeira, prender e processar 10, 50, 100 mil “subversivos” perigosos como o youtuber Felipe Neto.

    A esta hora, estão-se fazendo faixas, camisetas, adesivos e, sem o sujeito da expressão, nenhum deles dirá menos do que diz “Bolsonaro Genocida”.

    Uma espécie de “Ele, não” 2.0, agora que todos já sabem porque “Ele, não”.

    Porque ele, sim, é o maior responsável por um genocídio que já está chegando – semana que vem – a 300 mil mortos.

    Curtir

  2. Quando o Guido Palomba tem que dar um parecer sobre alguém…. nem precisa dizer que tem doença mental.kkk

    Curtir

  3. Estranho o pessoal do Psdb aumenta verba de propaganda, gasta o dinheiro mandado para equipar a saudel outra coisa, compra frota de carro zero para prefeitura e por aí vai e são amigos do povo? Vem cá explica para mim isto eu só quero entender. Posso estar enganado mais aqui virou espaço do pt.

    Curtir

  4. Diferença entre psicologia e psiquiatria: psicologia explica quem votou no Bolsonaro e psiquiatria explica quem continua o apoiando! (Desconheço o autor, mas gostei)!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Quantas mortes poderiam ser evitadas se o “nhonho” não tivesse sentado em cima dos pedidos de impedimento.

    Curtir

  6. .
    .
    .
    .
    Ao consultar o “defasômetro” é possível constatar:

    Entraram 79,
    Saíram 306,
    O déficit é 227

    O boato sobre o fechamento de alguns detritos, provavelmente, é verdadeiro e inevitável.

    Curtir

  7. Ge-no-ci-da, por Cristina Serra
    Fernando Brito
    20/03/2021
    10:26 am

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/vasqs.png.webp

    Das poucas alegrias que se pode ter nestes dias sombrios, uma é saber que há jornalistas a quem as décadas de profissão não tiraram a indignação, a humanidade e , sobretudo, a coragem de Cristina Serra, longa e infelizmente distante amizade que trago desde os anos 80.

    Seu artigo, hoje, na Folha, tem tanta simplicidade quanto força que fala muito melhor do que eu já disse aqui: o “genocida” virou uma variante mais contagiosa e mortal do “Ele, não” em que muitos não acreditaram e ajudaram a levar ao comando do país, com muitas cumplicidades que hoje se envergonham de reconhecer.

    Ge-no-ci-da!
    Cristina Serra, na Folha

    https://f.i.uol.com.br/fotografia/2020/08/03/15964794005f2857a88469e_1596479400_3x2_lg.jpg

    Em meados do ano passado, o Brasil já ia pela casa dos 50 mil mortos pela pandemia. E o que fez o genocida? Incentivou seus cães ferozes a invadir hospitais. Na época, o cartunista Renato Aroeira traduziu numa charge a indignação de muitos brasileiros. No desenho, a cruz vermelha dos hospitais é convertida na suástica nazista pelo genocida. Uma imagem forte e poderosa. O Ministério da Justiça decidiu perseguir Aroeira, mas deu um tiro no pé. Em solidariedade, mais de 70 artistas republicaram a charge e amplificaram a crítica.

    Movimento semelhante ocorreu nesta semana, quando o Brasil já está perto de alcançar cinco vezes mais mortes do que em junho. Cinco manifestantes foram presos em Brasília por expor um cartaz que reproduz o trabalho de Aroeira e acrescenta a palavra que está no centro do debate nacional: genocida. A mesma palavra motivou uma intimação policial ao youtuber Felipe Neto, que a usara para criticar o presidente”¦ genocida.

    Rapidamente, uma frente de advogados criou a plataforma “Cala boca já morreu”, que oferece defesa gratuita para quem for processado ou preso por críticas ao genocida. Felipe Neto não se deixou intimidar e revidou à altura no ecossistema que conhece como poucos e por meio do qual alcança milhões de pessoas. Ele postou o vídeo “Bolso família”, programa de transferência de renda para uma única família, no caso, a do genocida.

    Bem que a oposição poderia tomar aulas de comunicação com o youtuber. Graças ao seu alcance, o epíteto pegou e estará colado para sempre na testa de Bolsonaro: genocida! Seus atos estimulam a reprodução do vírus que está matando milhares. Por isso, Bolsonaro não é um assassino comum. É um genocida.
    O país derrete no colapso hospitalar e sanitário. Todos os dias são de despedidas. Para não adoecer de Brasil, temos que expressar nossa indignação. Neste texto, usei 11 vezes o termo genocida. E peço que você repita comigo, escandindo as sílabas: GE-NO-CI-DA!

    Curtir

  8. Ge-no-ci-da, por Cristina Serra
    Fernando Brito
    20/03/2021
    10:26 am

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/vasqs.png.webp

    Das poucas alegrias que se pode ter nestes dias sombrios, uma é saber que há jornalistas a quem as décadas de profissão não tiraram a indignação, a humanidade e , sobretudo, a coragem de Cristina Serra, longa e infelizmente distante amizade que trago desde os anos 80.

    Seu artigo, hoje, na Folha, tem tanta simplicidade quanto força que fala muito melhor do que eu já disse aqui: o “genocida” virou uma variante mais contagiosa e mortal do “Ele, não” em que muitos não acreditaram e ajudaram a levar ao comando do país, com muitas cumplicidades que hoje se envergonham de reconhecer.

    Ge-no-ci-da!
    Cristina Serra, na Folha

    https://f.i.uol.com.br/fotografia/2020/08/03/15964794005f2857a88469e_1596479400_3x2_lg.jpg

    Em meados do ano passado, o Brasil já ia pela casa dos 50 mil mortos pela pandemia. E o que fez o genocida? Incentivou seus cães ferozes a invadir hospitais. Na época, o cartunista Renato Aroeira traduziu numa charge a indignação de muitos brasileiros. No desenho, a cruz vermelha dos hospitais é convertida na suástica nazista pelo genocida. Uma imagem forte e poderosa. O Ministério da Justiça decidiu perseguir Aroeira, mas deu um tiro no pé. Em solidariedade, mais de 70 artistas republicaram a charge e amplificaram a crítica.

    Movimento semelhante ocorreu nesta semana, quando o Brasil já está perto de alcançar cinco vezes mais mortes do que em junho. Cinco manifestantes foram presos em Brasília por expor um cartaz que reproduz o trabalho de Aroeira e acrescenta a palavra que está no centro do debate nacional: genocida. A mesma palavra motivou uma intimação policial ao youtuber Felipe Neto, que a usara para criticar o presidente”¦ genocida.

    Rapidamente, uma frente de advogados criou a plataforma “Cala boca já morreu”, que oferece defesa gratuita para quem for processado ou preso por críticas ao genocida. Felipe Neto não se deixou intimidar e revidou à altura no ecossistema que conhece como poucos e por meio do qual alcança milhões de pessoas. Ele postou o vídeo “Bolso família”, programa de transferência de renda para uma única família, no caso, a do genocida.

    Bem que a oposição poderia tomar aulas de comunicação com o youtuber. Graças ao seu alcance, o epíteto pegou e estará colado para sempre na testa de Bolsonaro: genocida! Seus atos estimulam a reprodução do vírus que está matando milhares. Por isso, Bolsonaro não é um assassino comum. É um genocida.
    O país derrete no colapso hospitalar e sanitário. Todos os dias são de despedidas. Para não adoecer de Brasil, temos que expressar nossa indignação. Neste texto, usei 11 vezes o termo genocida. E peço que você repita comigo, escandindo as sílabas: GE-NO-CI-DA!

    Curtir

  9. Ge-no-ci-da, por Cristina Serra
    Fernando Brito
    20/03/2021
    10:26 am

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/vasqs.png.webp

    Das poucas alegrias que se pode ter nestes dias sombrios, uma é saber que há jornalistas a quem as décadas de profissão não tiraram a indignação, a humanidade e , sobretudo, a coragem de Cristina Serra, longa e infelizmente distante amizade que trago desde os anos 80.

    Seu artigo, hoje, na Folha, tem tanta simplicidade quanto força que fala muito melhor do que eu já disse aqui: o “genocida” virou uma variante mais contagiosa e mortal do “Ele, não” em que muitos não acreditaram e ajudaram a levar ao comando do país, com muitas cumplicidades que hoje se envergonham de reconhecer.

    Ge-no-ci-da!
    Cristina Serra, na Folha

    https://f.i.uol.com.br/fotografia/2020/08/03/15964794005f2857a88469e_1596479400_3x2_lg.jpg

    Em meados do ano passado, o Brasil já ia pela casa dos 50 mil mortos pela pandemia. E o que fez o genocida? Incentivou seus cães ferozes a invadir hospitais. Na época, o cartunista Renato Aroeira traduziu numa charge a indignação de muitos brasileiros. No desenho, a cruz vermelha dos hospitais é convertida na suástica nazista pelo genocida. Uma imagem forte e poderosa. O Ministério da Justiça decidiu perseguir Aroeira, mas deu um tiro no pé. Em solidariedade, mais de 70 artistas republicaram a charge e amplificaram a crítica.

    Movimento semelhante ocorreu nesta semana, quando o Brasil já está perto de alcançar cinco vezes mais mortes do que em junho. Cinco manifestantes foram presos em Brasília por expor um cartaz que reproduz o trabalho de Aroeira e acrescenta a palavra que está no centro do debate nacional: genocida. A mesma palavra motivou uma intimação policial ao youtuber Felipe Neto, que a usara para criticar o presidente”¦ genocida.

    Rapidamente, uma frente de advogados criou a plataforma “Cala boca já morreu”, que oferece defesa gratuita para quem for processado ou preso por críticas ao genocida. Felipe Neto não se deixou intimidar e revidou à altura no ecossistema que conhece como poucos e por meio do qual alcança milhões de pessoas. Ele postou o vídeo “Bolso família”, programa de transferência de renda para uma única família, no caso, a do genocida.

    Bem que a oposição poderia tomar aulas de comunicação com o youtuber. Graças ao seu alcance, o epíteto pegou e estará colado para sempre na testa de Bolsonaro: genocida! Seus atos estimulam a reprodução do vírus que está matando milhares. Por isso, Bolsonaro não é um assassino comum. É um genocida.
    O país derrete no colapso hospitalar e sanitário. Todos os dias são de despedidas. Para não adoecer de Brasil, temos que expressar nossa indignação. Neste texto, usei 11 vezes o termo genocida. E peço que você repita comigo, escandindo as sílabas: GE-NO-CI-DA!

    Curtir

  10. Ge-no-ci-da, por Cristina Serra
    Fernando Brito
    20/03/2021
    10:26 am

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/vasqs.png.webp

    Das poucas alegrias que se pode ter nestes dias sombrios, uma é saber que há jornalistas a quem as décadas de profissão não tiraram a indignação, a humanidade e , sobretudo, a coragem de Cristina Serra, longa e infelizmente distante amizade que trago desde os anos 80.

    Seu artigo, hoje, na Folha, tem tanta simplicidade quanto força que fala muito melhor do que eu já disse aqui: o “genocida” virou uma variante mais contagiosa e mortal do “Ele, não” em que muitos não acreditaram e ajudaram a levar ao comando do país, com muitas cumplicidades que hoje se envergonham de reconhecer.

    Ge-no-ci-da!
    Cristina Serra, na Folha

    https://f.i.uol.com.br/fotografia/2020/08/03/15964794005f2857a88469e_1596479400_3x2_lg.jpg

    Em meados do ano passado, o Brasil já ia pela casa dos 50 mil mortos pela pandemia. E o que fez o genocida? Incentivou seus cães ferozes a invadir hospitais. Na época, o cartunista Renato Aroeira traduziu numa charge a indignação de muitos brasileiros. No desenho, a cruz vermelha dos hospitais é convertida na suástica nazista pelo genocida. Uma imagem forte e poderosa. O Ministério da Justiça decidiu perseguir Aroeira, mas deu um tiro no pé. Em solidariedade, mais de 70 artistas republicaram a charge e amplificaram a crítica.

    Movimento semelhante ocorreu nesta semana, quando o Brasil já está perto de alcançar cinco vezes mais mortes do que em junho. Cinco manifestantes foram presos em Brasília por expor um cartaz que reproduz o trabalho de Aroeira e acrescenta a palavra que está no centro do debate nacional: genocida. A mesma palavra motivou uma intimação policial ao youtuber Felipe Neto, que a usara para criticar o presidente”¦ genocida.

    Rapidamente, uma frente de advogados criou a plataforma “Cala boca já morreu”, que oferece defesa gratuita para quem for processado ou preso por críticas ao genocida. Felipe Neto não se deixou intimidar e revidou à altura no ecossistema que conhece como poucos e por meio do qual alcança milhões de pessoas. Ele postou o vídeo “Bolso família”, programa de transferência de renda para uma única família, no caso, a do genocida.

    Bem que a oposição poderia tomar aulas de comunicação com o youtuber. Graças ao seu alcance, o epíteto pegou e estará colado para sempre na testa de Bolsonaro: genocida! Seus atos estimulam a reprodução do vírus que está matando milhares. Por isso, Bolsonaro não é um assassino comum. É um genocida.
    O país derrete no colapso hospitalar e sanitário. Todos os dias são de despedidas. Para não adoecer de Brasil, temos que expressar nossa indignação. Neste texto, usei 11 vezes o termo genocida. E peço que você repita comigo, escandindo as sílabas: GE-NO-CI-DA!

    Curtir

    • Esqueceu do remédio? E a pousada tá fechada? Sorte dessa aposentadoria estar entrando hein…

      Curtir

  11. A vacina não é pra já. O lockdown é.
    Fernando Brito
    21/03/2021
    2:56 pm

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/geno.png.webp

    Vacina é urgente e não pode ser negligenciada um dia sequer.

    Mas, infelizmente, a vacinação não é solução de curto prazo – talvez, nem mesmo de médio prazo – para a mortandade que o coronavírus está provocando no Brasil, hoje.

    Tivemos, ontem, 35% das mortes registradas no mundo, tendo apenas 3% dos habitantes dos planeta.

    Desenhando: 12 vezes mais mortes que a média mundial.

    A vacinação, que ontem atingiu 5,5% da população, se – como todos esperam – dobrar a velocidade destes primeiros dois dias que completamos agora de imunização nos deixará com apenas 17% da população vacinada com pelo menos uma dose até o final de maio.

    60 dias com mortes, nos níveis que temos hoje, significa acrescentar mais de 130 mil mortes às mais de 290 mil que acumulamos em um ano.

    E tudo pode piorar, porque não é mais viável a expansão dos leitos de tratamento intensivo como remédio. porque o Brasil duplicou o número de suas UTIs, e não tem mais pessoal, nem equipamentos, nem oxigênio, nem medicamentos para ampliar-se.

    A catástrofe humanitária que estamos vivendo, como a de um bombardeio, não permite outra ação imediata que não seja a de gritar: protejam-se!

    Ocorreria a alguém que não Adolf Hitler, aconselhar aos londrinos, durante os bombardeios nazistas de 1941 , saírem às ruas e manterem “a economia funcionando”, sob pena de serem chamados de “maricas”?

    Será que seus 20 mil mortos naqueles dias, podiam ser recebidos na base do “tem de ver quantos morreram de bombas”?

    Não há providência lúcida a tomar senão a decretação de uma paralisação significativa das atividades em todas as grandes cidades e metrópoles do Brasil.

    Toda a tergiversação, toda a procrastinação dos governantes em comandar o recolhimento, a proteção, a defesa do povo brasileiro, é um crime hediondo.

    Sobretudo quando isso se faz sob a sombra ameaçadora do Exército Brasileiro.

    Curtir

  12. Ligo não, voto nele de novo uai, mió vota num louco do que vota num ladrão nove dedos e quadrilha.

    Curtir

  13. Datafolha: “pesquisa Coliseu” à espera do ‘Cinderelo do Centro’
    Fernando Brito
    22/03/2021
    10:02 am

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/coliseu.jpg.webp

    A Folha, sempre pronta a fazer o jogo sujo da direita “limpinha” promove hoje a “pesquisa Coliseu”.

    Sim, é aquela que os césares romanos faziam , convidando o estádio para erguer ou baixar o polegar e, assim, decidir se o gladiador deveria ou não viver. Ou é diferente definir culpa ou inocência judicial em plebiscitos de “sim ou não”, quando só o sistema de comunicação tem a palavra de acusação ou defesa?

    Se alguém achar alguma pesquisa que juiz que solta tem mais apoio do que juiz que prende, cartas para a redação.

    A pesquisa seria mais honesta e mais reveladora se tivesse o seu objetivo bem claro e não fosse um golpe de esperteza, perguntando em quem, com os candidatos hoje possíveis, o entrevistado votaria. Talvez, na sua atual política de “fatiar pesquisas” ainda tenha estes dados para mostra.

    E, se os tiver e não estiver embutindo patranhas nos números, o resultado seria, como outras pesquisas vêm demonstrando, Lula e Bolsonaro dividindo as preferências de perto de três quartos da população, deixando a magra fatia restante para ser dividida pelos apetites de um “centro” que se estende do Polo Sul ao Polo Norte do espectro político.

    O fato é que as elites sociais e econômicas sonham com o surgimento de um “Cinderelo”, com pés delicados a ponto de usar sapatinhos de cristal, em lugar do homem de cascos brutos que arranjou em sua última aventura eleitoral e, para isso, precisam de qualquer razão para manter Lula fora do jogo eleitoral.

    E o primeiro passo para isso é o de seguir atribuindo-lhe crimes que já não têm mais sentença e repetindo que as decisões da Justiça não fazem de Lula inocente, apenas um não-culpado.

    Talvez devessem lembrar que, tirando Lula da disputa, terão de casar por mais quatro anos, com Bolsonaro.

    Leia aqui os contraditórios resultados da pesquisa lembrando que, como já se afirmou aqui, 2022 já começou.

    Curtir

  14. Datafolha: “pesquisa Coliseu” à espera do ‘Cinderelo do Centro’
    Fernando Brito
    22/03/2021
    10:02 am

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/coliseu.jpg.webp

    A Folha, sempre pronta a fazer o jogo sujo da direita “limpinha” promove hoje a “pesquisa Coliseu”.

    Sim, é aquela que os césares romanos faziam , convidando o estádio para erguer ou baixar o polegar e, assim, decidir se o gladiador deveria ou não viver. Ou é diferente definir culpa ou inocência judicial em plebiscitos de “sim ou não”, quando só o sistema de comunicação tem a palavra de acusação ou defesa?

    Se alguém achar alguma pesquisa que juiz que solta tem mais apoio do que juiz que prende, cartas para a redação.

    A pesquisa seria mais honesta e mais reveladora se tivesse o seu objetivo bem claro e não fosse um golpe de esperteza, perguntando em quem, com os candidatos hoje possíveis, o entrevistado votaria. Talvez, na sua atual política de “fatiar pesquisas” ainda tenha estes dados para mostra.

    E, se os tiver e não estiver embutindo patranhas nos números, o resultado seria, como outras pesquisas vêm demonstrando, Lula e Bolsonaro dividindo as preferências de perto de três quartos da população, deixando a magra fatia restante para ser dividida pelos apetites de um “centro” que se estende do Polo Sul ao Polo Norte do espectro político.

    O fato é que as elites sociais e econômicas sonham com o surgimento de um “Cinderelo”, com pés delicados a ponto de usar sapatinhos de cristal, em lugar do homem de cascos brutos que arranjou em sua última aventura eleitoral e, para isso, precisam de qualquer razão para manter Lula fora do jogo eleitoral.

    E o primeiro passo para isso é o de seguir atribuindo-lhe crimes que já não têm mais sentença e repetindo que as decisões da Justiça não fazem de Lula inocente, apenas um não-culpado.

    Talvez devessem lembrar que, tirando Lula da disputa, terão de casar por mais quatro anos, com Bolsonaro.

    Leia aqui os contraditórios resultados da pesquisa lembrando que, como já se afirmou aqui, 2022 já começou.

    Curtir

  15. Gestão da Saúde virou comédia macabra
    Fernando Brito
    22/03/2021
    1:46 pm

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/esqueci.jpg.webp

    Eduardo Pazuello, o ex-ministro da Saúde, segue no cargo enquanto se garimpa um lugar que lhe garanta foro privilegiado para responder às omissões desastrosas que levaram à mortandade de brasileiros, por falta de oxigênio.

    Marcelo Queiroga, suposto novo ministro, depois de considerações vazias sobre uma “união nacional”, escafedeu-se do noticiário e, sobretudo, das ações de comando que o órgão precisa receber.

    Como não há Ministério, sobrou para a Anvisa convocar os secretários de Saúde dos Estados para uma “reunião de emergência” para tratar da falta de medicamentos que permitam intubar pacientes graves.

    Como era “de emergência” na sexta-feira, marcou-se para três dias depois e programaram o envio de e-mails.

    A ninguém, é claro, ocorreu mandar por Whatsapp e pedir confirmação.

    Aí a moça da Anvisa a quem deram a tarefa de fazer o e-mail atrapalhou-se com a programação de disparo das mensagens e ninguém recebeu.

    Então a “emergência” ficou para o dia seguinte.

    Se alguém quer entender o que se passou com as mortes por sufocamento em Manaus, está aí o roteiro.

    Curtir

  16. O bozo no dia do seu niver, lava as mãos no esgoto, apoia as mãos no chão pra levantar o corpo de atleta, enxuga as mãos na bunda… e serve bolo para o gado gritando: mito, mito… se isso não é caso de psiquiatria, o que é? (Obs: simplicidade é uma coisa, porquisse é outra)!!!

    Curtir

  17. A única coisa que fez até agora foi dividir ou dar uma “rachadinha” no Brasil entre esquerda e direita. Transformar a classe rica em mais rica, a classe média em pobre e os pobres em miseráveis. No combate à corrupção, Geddel, Padilha, Michel Cunha, quiça, Cabral todos a caminho dos livres e soltos para viverem nababescamente com tudo o que roubaram do povo brasileiro, ah!, o Moro estão se empenhando ao máximo para colocá-lo na cadeia, lógico que contando com o firme apoio do “centrão” . Tudo regado com mais de 14 milhões de desempregados, quase 300 mil mortos pela covis e economia ladeira abaixo. Que mito hein! Leva pra morar com vc.

    Curtir

  18. SP começará vacinação de policiais e professores contra a covid-19
    Anúncio foi feito por João Doria, na manhã desta quarta-feira (24). Governo vai divulgar mais detalhes em coletiva durante a tarde
    SÃO PAULO | Do R7

    24/03/2021 – 11H48 (ATUALIZADO EM 24/03/2021 – 12H07)
    COMPARTILHE:

    RESUMINDO A NOTÍCIA
    Estado de São Paulo começará a vacinar professores e policiais contra a covid-19
    Anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB), na manhã desta quarta-feira (24)
    Governo divulgará detalhes sobre imunização para os dois grupos em coletiva de imprensa

    Mais detalhes sobre imunização serão divulgados em coletiva no início da tarde
    Mais detalhes sobre imunização serão divulgados em coletiva no início da tarde
    DANILO M YOSHIKA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO – 16.02.2021
    O Estado de São Paulo começará a vacinar professores e policiais contra a covid-19. O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB), na manhã desta quarta-feira (24).

    LEIA TAMBÉM
    Enfermeiro é exonerado por desvio de vacina em Franco da Rocha (SP)
    SP: Centro de Contingência indica prorrogação de fase emergencial
    A gestão estadual divulgará mais detalhes sobre a imunização para estes dois grupos em coletiva de imprensa, que começará às 12h45 (horário de Brasília).

    “Feliz em poder anunciar que vamos começar a vacinação de professores e policiais contra Covid-19 no Estado de SP. Acompanhe a coletiva de imprensa para mais detalhes, às 12h45 de hoje”, escreveu Doria em suas redes sociais.

    Curtir

  19. SP começará vacinação de policiais e professores contra a covid-19
    Anúncio foi feito por João Doria, na manhã desta quarta-feira (24). Governo vai divulgar mais detalhes em coletiva durante a tarde
    SÃO PAULO | Do R7

    24/03/2021 – 11H48 (ATUALIZADO EM 24/03/2021 – 12H07)
    COMPARTILHE:

    RESUMINDO A NOTÍCIA
    Estado de São Paulo começará a vacinar professores e policiais contra a covid-19
    Anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB), na manhã desta quarta-feira (24)
    Governo divulgará detalhes sobre imunização para os dois grupos em coletiva de imprensa

    Mais detalhes sobre imunização serão divulgados em coletiva no início da tarde
    Mais detalhes sobre imunização serão divulgados em coletiva no início da tarde
    DANILO M YOSHIKA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO – 16.02.2021
    O Estado de São Paulo começará a vacinar professores e policiais contra a covid-19. O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB), na manhã desta quarta-feira (24).

    LEIA TAMBÉM
    Enfermeiro é exonerado por desvio de vacina em Franco da Rocha (SP)
    SP: Centro de Contingência indica prorrogação de fase emergencial
    A gestão estadual divulgará mais detalhes sobre a imunização para estes dois grupos em coletiva de imprensa, que começará às 12h45 (horário de Brasília).

    “Feliz em poder anunciar que vamos começar a vacinação de professores e policiais contra Covid-19 no Estado de SP. Acompanhe a coletiva de imprensa para mais detalhes, às 12h45 de hoje”, escreveu Doria em suas redes sociais.

    Curtir

  20. Pergunta do dia: quantos brasileiros ainda terão que morrer até que o Araújo seja demitido ou peça pra sair?

    Curtir

  21. Novo cronograma de vacinação:

    Policiais a partir do dia 05ABR21

    Delegados e Oficiais – Pfizer e Oxford

    Chefes e SubTen/Sgts – Coronavac

    Tiragem e Cabos/Soldados – Benzetacil ou Metamizol.

    Escribas, Temporários e tercerizados- Água benta direto com a enfermeira mágica que finge aplicar e não aplica nada.

    Aposentados orações com os bispos Edir Macedo e Valdomiro Santiago 🤷🏻‍♂

    PS: Desculpem a zoeira, mas achei engraçado e não resisti.
    Mea culpa.

    Curtir

    • Liminar dos delegados vai cair…
      Que chato, ein? O calça apertada, cf. alcunha vulgar criada por alguns policiais, iniciando ato vacinal nos policiais, inclusive federais no território paulista?
      Vão seguir o Bozo (negar vacina)?
      Bu-bu-tan-tannnn…

      Curtir

        • Sai do meu pé, cara. Kkkk…
          Tu merece é o Adão!
          Se dar mal, por quê? A liminar vai cair, mas você nem é Delegado…
          Vai ser vacinado antes do povo, vai poder fazer o bico, ops!, empreender mais seguro, e acha que se deu mal? Só se for por morder/pagar a língua…

          Curtir

          • Não tem como. Vc já é meu “inimigo declarado de net”. Kkkkkk Claro que com o devido respeito. RS

            Curtir

    • O gado (assim definido os seguidores do bozo) será imunizado com spray anal, cloroquina, ivermectina (oficiais pm e praças pm em sua grande maioria e simpatizantes da PC, GCM e Polícia Penal.
      O restante com saber superior com as vacinas disponíveis.
      Ao Jamiro especificamente uma internação no Juqueri por dizer impropriedades corriqueiramente e ser condecorado com a medalha burro-branco para tentar validar mesmo ñ se formado no CFO coxa no burro-branco, tentar validar o cargo de oficial 2a linha. Asno-branco serve. Forte abraço!

      Curtir

  22. Com base na decisão da 21ª vara federal de Brasília, prolatada nos autos nº 1013225-55.2021.4.01.3400, na qual se concede AUTORIZAÇÃO DE COMPRA DE VACINAS CONTRA COVID -19, o Sindpesp realizará Assembleia Geral Extraordinária para deliberar: detalhes de aquisição e critérios de oferta da vacina, no dia 15 de abril às 12 horas.

    A Assembleia será virtual e as demais informações para a participação serão publicadas oportunamente.

    http://www.sindpesp.org.br/noticias_det.asp?nt=3554

    Curtir

  23. Jamiro, o senhor só errou na data. Tudo isso irá acontecer no dia primeiro de abril, não a partir do dia 5.

    Curtir

      • O Bolsonaro, nada mais eh que a cara de seu eleitorado,que sempre continuará votando nele cerca de 30%da população mais os descrentes com a política q ainda não perceberam q Bolsonaro eh político de carteirinha e se criou na politicagem arrumando demandas comoutros políticos iguais a ele

        Curtir

        • Acho que está hora de começarmos a ver os problemas de SP ..um deles e a vacinação dos polícias que começa em Abril ..porém o pessoal do administrativo,concursado na secretaria de Segurança Pública e que trabalha seja em Delegacia,Seccionais entre outros departamentos não foram incluídos na vacinação. Está injustiça tem que ser corrigida a tempo pois o vírus não escolhe carreira se estão trabalhando no mesmo local devem ser vacinados .hora de paramos de comentar as eleições de 2022 e começar a ver nossos problemas como era antigamente..BFDS a todos

          Curtir

  24. 3.650, hoje. É a “Comissão de Alto Nível de Mortes”
    Fernando Brito
    26/03/2021
    6:34 pm

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/3650.png.webp

    Os dados oficiais liberados agora há pouco pelo Conselho Nacional dos Secretários da Saúde apontam um novo e estarrecedor recorde de mortes em 24 horas: 3.650.

    Sem contar os dados do Ceará, provavelmente cerca de mais 100, nos quais um problema no sistema manteve fora da contabilidade.

    Vamos fechar o mês com 65 mil mortes ou pouco mais, o dobro do registrado em fevereiro.

    Serão 130 mil mortes a mais desde a virada do ano, apenas três meses atrás.

    A cada semana, 600 mil pessoas têm confirmado o diagnóstico de Covid. Na média da semana, 2.400 pessoas perderam a vida.

    E ainda estamos discutindo se vamos bloquear o trânsito desnecessário de pessoas, se os governadores devem integrar a tal comissão que não resolve coisa alguma e com um ministro da saúde, a esta altura da pandemia, não pode dizer mais que um “use máscara”.

    Já ninguém duvida que iremos às 4 mil mortes diárias e não dá para duvidar do que diz o coordenador do observatório Covid-19 da Fiocruz, Carlos Machado, que diz que podemos chegar “fácil” a 5 mil óbitos diários.

    Curtir

  25. Verdade da pandemia desmonta a farsa do “Jair do Bem”
    Fernando Brito
    26/03/2021
    4:09 pm

    https://tijolaco.net/wp-content/uploads/2021/03/manso.png.webp

    É curioso ver quantas vezes se repete a história de que Jair Bolsonaro, pressionado e encurralado, vai se tornar o “Jairzinho Paz e Amor” e vergar-se à realidade.

    Isso vem desde lá dos idos da campanha eleitoral, como um mantra de autoindulgência a que apelavam os que se entregavam à realidade de que só Bolsonaro derrotaria o PT e diziam que “as instituições” encarregar-se-iam de domar a Besta.

    Peguei no Twitter esta coleção de capas da Veja para demonstrar que apertam Bolsonaro, mas assopram quando ele acena ceder. E isso não sai grátis.

    O que estamos assistindo – embora, sim, tenha traços da indignação da sociedade com a inação sanitária do Governo – é uma dança do Centrão para avançar sobre o governo.

    Ernesto Araújo, o ministro das “Relações Inferiores” tem, hoje, importância zero na estupidez governamental, pois perdeu os interlocutores extremistas no governo Trump. É apenas um alvo fácil, muito mais fácil do que a curriola militar que controla o Palácio do Planalto e que é a fonte real do poder de Bolsonaro, sem a qual já teria sido corrido de cinto de lá.

    O governo Bolsonaro – mais do que a figura de Bolsonaro – está e desfazendo.

    E é no grito que se pegam os nacos.

    Curtir

    • Tem muita gente torcendoi para o vírus e vibrando com o centrão contra o Presidente..vou dizer uma coisa com comitê ou sem comitê com Bolsonaro ou sem o vírus vai fazer seu percurso ..já tem gente vacinada que já pegou vírus…
      Quanto ao centrão ficaria triste se ele estivesse feliz com o presidente…
      O mundo inteiro luta contra o vírus aqui a luta e política e muita demagogia

      Curtir

  26. O governo BOLSONARO é o melhor que o país já teve, pós 1988, qualquer pessoa com mais de dois neurônios sabe disso.

    Curtir

  27. Alerta Brasil!
    Conforme postamos tempos atrás, esse descompensado mental que ora nos desgoverna é um perigo nacional e internacional. Não apenas vai dividir o povo brasileiro, como vai colocar uns contra os outros.
    Os ingredientes para uma convulsão nacional estão no caldo que engrossa a cada dia.
    A incompetência e imprevidência permeia a esplanada dos ministérios.
    Parece a torre de babel, ninguém se entende e o povo menos ainda.
    Mudanças nas FFAA que ele pensa serem dele e não da pátria, do povo, do regime democrático e do estado de direito.
    Vacinas a conta gotas e óbitos por covid aos milhares diariamente, mais de 230 mil até agora. Desemprego e custo de vida galopantes. Economia quebrada, mormente na área de serviços.
    Aquele olhar esbugalhado, que nos remete à imagem do fuher é inevitável.
    Alerta Brasil, a coisa vai de mal a pior.
    A sociedade é civil, lutaremos para que assim seja às novas gerações. Não vamos deixar aos nossos filho como legado, as atrocidades e mais completa falta de liberdade que marcaram os anos de chumbo desta pátria.

    Curtir

Os comentários estão desativados.