Ouvidor deveria defender o fim dessas duas polícias pestilentas…Mas a autoridade mais nefasta é justamente o Delegado de Polícia…Chancelador das arbitrariedades e mentiras da PM 9

“Fizeram o que polícia não fez”, diz ouvidor a pais que investigaram crime

O ouvidor da Polícia, Elizeu Soares Lopes (de terno), conversa com os jovens Eryk (com uma criança no colo), Kelvin (abraçado com a esposa) e Alexssandro (sentado) e seus pais - Marcelo Oliveira/UOL
O ouvidor da Polícia, Elizeu Soares Lopes (de terno), conversa com os jovens Eryk (com uma criança no colo), Kelvin (abraçado com a esposa) e Alexssandro (sentado) e seus pais Imagem: Marcelo Oliveira/UOL

 

Marcelo Oliveira

Do UOL, em São Paulo

10/02/2021 04h00

O ouvidor da polícia de São Paulo, Elizeu Soares Lopes, esteve ontem (9) no Capão Redondo, na zona sul de São Paulo, com os jovens Alexssandro Marques do Nascimento, 18; Eryk Bueno Pimentel, 20; e Kelvin Nascimento de Amancio, 22. Os três passaram dois meses presos por roubo e foram soltos após os pais deles investigarem o caso e conseguirem imagens que mostravam que eles não estavam na cena do crime pelo qual foram presos pela Polícia Militar.

“Vocês fizeram o trabalho que a polícia não fez”, disse o ouvidor aos pais dos jovens. Alexssandro, Eryk e Kelvin estão em liberdade provisória desde 20 de janeiro e ainda têm algumas restrições de direitos — eles não podem sair das 22h às 6h, por exemplo.

Relacionadas

Famílias investigam roubo para provar inocência de 4 jovens presos em SP Jovem negro testemunha roubo de moto, mas é preso e condenado pelo crime Jovens são presos por crime cometido na hora que eram abordados pela PM

A Polícia Civil é a primeira que deveria fazer o controle do trabalho da PM. Se a autoridade policial, que é o delegado, vê que a informação que a PM traz não faz sentido, ele tem que se negar a autuar os presos em flagrante.”Elizeu Soares Lopes, ouvidor da polícia

A ouvidoria abriu um procedimento sobre o caso no dia 18 de janeiro e cobrou informações das corregedorias de ambas as polícias. No dia 20, mesmo dia em que o UOL noticiou o caso, a juíza Maria Fernanda Belli, da 1ª Vara Criminal, concedeu a liberdade provisória dos jovens. https://s.dynad.net/stack/928W5r5IndTfocT3VdUV-AB8UVlc0JbnGWyFZsei5gU.html

Para o ouvidor, casos como o dos rapazes do Capão Redondo mostram como a pobreza é criminalizada no país. “Será que num bairro nobre eles seriam tratados assim?”, questionou.

Após 20 dias de liberdade, Alexssandro, Eryk e Kelvin ainda sentem o peso da prisão e têm medo da polícia.

Bate insegurança quando vejo uma viatura.”Eryk Bueno Pimentel

Tenho medo que eles voltem e façam a mesma coisa de novo.”Kelvin Nascimento de Amancio

Eryk e Alexssandro estão em busca do primeiro emprego e Kelvin arrumou um trabalho em um lava-rápido. Alexssandro está aguardando o resultado de uma vaga e Eryk afirma que está com dificuldade de se empregar.

O UOL solicitou um posicionamento da Secretaria de Segurança Pública a respeito das declarações do ouvidor e aguarda manifestação.

Ouvidor defende polícia comunitária

Lopes defendeu uma polícia comunitária “e não uma polícia que veja a população como inimiga”, disse. “O comandante da PM local tem que conhecer os moradores e as lideranças comunitárias, o pastor, o padre”, defendeu o ouvidor.

A assistente social Maria Edijane Alves, articuladora da Rede de Proteção e Resistência contra o Genocídio, grupo formado por articuladores sociais que dão apoio a vítimas de violações de direitos humanos, disse que é necessário pensar em outras políticas públicas para a periferia que não apenas a intervenção policial. “Os jovens foram presos na única área de lazer do bairro”, disse.

Elizeu concordou com a assistente social. “Eu cresci no Itaim Paulista [zona leste de São Paulo] numa família com dez irmãos. Sei o quanto é difícil o acesso a direitos. E esse problema não é só das famílias, mas do Estado”, disse.

Amigo dos jovens segue em prisão domiciliar

O ouvidor também conheceu a tutora do jovem Rafael Marques, 21, a cozinheira Silvana Maria Marques, tia do jovem. Ela contou que o rapaz continua em prisão preventiva domiciliar. Ele não foi preso em regime fechado como seus três amigos por ter diagnóstico de transtorno bipolar e atraso em seu desenvolvimento intelectual.

Silvana não está conseguindo contato com o advogado do rapaz e a defesa dele ainda não requereu que a liberdade provisória concedida à Alexssandro, Erik e Kelvin seja estendida para ele.

“Ele só tem autorização para ir acompanhado por mim até a UBS para pegar a medicação dele ou ir ao médico”, contou Silvana. O resto do tempo Rafael fica em casa.

Da esq. para a dir., Kelvin Amâncio, Eryk Pimentel e Alexssandro Nascimento, libertados há 20 dias, após dois meses presos acusados de roubo - Marcelo Oliveira/UOL - Marcelo Oliveira/UOL
Da esq. para a dir., Kelvin Amâncio, Eryk Pimentel e Alexssandro Nascimento, libertados há 20 dias, após dois meses presos acusados de roubo; os pais deles juntaram imagens que mostram que eles não estavam na cena do crime Imagem: Marcelo Oliveira/UOL

 

 

  1. É bem verdade que, na “quebrada”, os policiais que atendem a ocorrência são os primeiros juízes da causa. No entanto, entregue a ocorrência à autoridade policial, passa a ser desta a parte mais importante do futuro processo, consistente na colheita de todas a provas possíveis para a apuração da verdade.
    Entregues à Justiça os fatos até então apurados, o Ministério Público importante missão ao oferecer denúncia, pedir o arquivamento, ou requerer outras diligências.
    O juiz – Ahhhh, o juiz!!! -, quanto pode fazer se não for preguiçoso, se não for burro, se não for bêbado, se for humano, se for bom jurista, enfim, se for alguém que se importa?!!!
    Se algum desses falhar, em determinado momento, a corda arrebenta do lado do réu, as Instituições se tornam cada vez mais desacreditadas, e a própria sociedade também sofre com com isso.
    E se essa “falha”, à qual me referi, decorrer de dolo ou culpa, aí sim tudo fica muito pior…
    O servidor público de um modo geral, do mais humilde ao presidente da República, deveria responder (como pessoa física) civil, penal e administrativamente por seus atos, dolosos ou mesmo culposos, sem prejuízo da responsabilização do Estado.
    O STF, todavia (sempre o Supremo!!!), vem de dar um novo e próprio entendimento para isso, livrando a “cara” de servidores-bandidos, que com suas ações ou omissões causam prejuízos a terceiros. Atualmente, graças ao STF, não mais se pode acionar o servidor (pessoa física), sem antes acionar o Estado. E o Estado, quase nunca “denuncia à lide” o servidor.
    Um dia, há mais de 40 anos, “jurei” Bandeira, e assumi o compromisso de defender com minha própria vida nossa Pátria Amada, Brasil. Esse compromisso continua valendo; mas se eu pudesse voltar no tempo, não o teria feito…

    Curtido por 1 pessoa

    • A PM começa a ocorrência de forma errada.
      Aqui em Itanhaém, tem DP sem delegado, se a vítima precisar do Estado, se ferra.
      Liga 190, depois de horas aparece uma viatura, os PMs visivelmente de saco cheio, toma partido na ocorrência, sempre dão um jeitinho e não leva ninguém pra delegacia.
      No outro dia, o agressor corre pro DP, inventa uma história, ninguém investiga.
      Quando a vítima aparece no DP para apresentar o BO da PM, o caso já é abafado, a vítima e o agressor ficam no mesmo nível, é o chavéco de um, contra a palavra do outro.
      E o escrivão completa o serviço que a PM começou, ….”SENHOR, ISSO NÃO VAI DAR EM NADA, É A SUA PALAVRA CONTRA A DO OUTRO”.
      Ninguém faz nada, ninguém investiga, ninguém quer complicar e ter que trabalhar.
      Espero que o Bolsonaro privatize tudo, quem sabe, se o emprego depender de produtividade, qualidade e a aprovação de quem paga, talvez esses “polícias” tomem jeito.

      Curtir

      • A PM começa a ocorrência de forma errada.
        – Até ai normal. Estranho é a Mike trazer tudo redondinho.

        Aqui em Itanhaém, tem DP sem delegado, se a vítima precisar do Estado, se ferra.
        – Depende. Tem escrivão? Porque DP sem Delta funciona (às vezes até melhor). Já sem escriba…

        Liga 190, depois de horas aparece uma viatura, os PMs visivelmente de saco cheio, toma partido na ocorrência, sempre dão um jeitinho e não leva ninguém pra delegacia.
        – Sabe por quê os Mikes estão de saco cheio PORQUE O ZÉ POVINHO NÃO PÁRA! Todo dia eles atendem dúzias de ocorrências sem importância. Quando levam alguém pro DP demora (Porque o DP não tem efetivo) e os superiores deles ficam enchendo o saco pra eles voltarem logo pra rua porque tem uma enxurrada de ocorrências sem importância pra serem atendidas porque O ZÉ POVINHO NÃO PARA!

        No outro dia, o agressor corre pro DP, inventa uma história, ninguém investiga.
        – “Investigar” O QUÊ meu amigo? Briga de comadres?

        Quando a vítima aparece no DP para apresentar o BO da PM, o caso já é abafado, a vítima e o agressor ficam no mesmo nível, é o chavéco de um, contra a palavra do outro.
        – Isso acontece porque em 99% dos casos a vítima também é agressor. Dai faz B.O de vias de fato e cada um que prove seu lado na justiça porque ela esta lá (muito bem paga diga-se de passagem) pra isso.

        *E o escrivão completa o serviço que a PM começou, ….”SENHOR, ISSO NÃO VAI DAR EM NADA, É A SUA PALAVRA CONTRA A DO OUTRO”.”
        – É exatamente isso sabe por quê? PORQUE É O QUE A LEI MANDA. Não gostou? Reclame com o Deputado que fez a lei. Você ainda se lembra em quem votou? O coitado do policial não tem nada a ver com a lei ser ruim. Ele tem de cumprir.

        *Ninguém faz nada, ninguém investiga, ninguém quer complicar e ter que trabalhar.”
        – Porque quem trabalha na polícia geralmente é punido. Não é culpa do policial isso.

        Espero que o Bolsonaro privatize tudo, quem sabe, se o emprego depender de produtividade, qualidade e a aprovação de quem paga, talvez esses “polícias” tomem jeito.
        – Pra privatizar a polícia o Bonoro teria de mudar a constituição, o que eu acho difícil já que nem baixar a gasolina (o que é bem mais fácil) ele consegue. Mas se você acha que ser polícia é facinho, vem aqui fazer melhor. Presta concurso e BEM VINDO AO INFERNO onde você trabalha muito, se ferra o tempo todo e ainda tem zé ruela criticando o tempo todo.

        Curtir

  2. Isto é uma vergonha, teve que vir o Ouvidor ensinar como se faz investigação.

    Curtir

  3. Se é nefasta a carreira tenho uma pergunta qual a razão de sua luta na justiça para voltar?

    Curtir

  4. Papo reto

    Primeiro, cade o ouvidor cobrando material, pessoal e viaturas para a policia?

    Segundo, como quatro policiais, em media, vao investigar 10000 mil BO por ano? ( Muitas delegacias ultrapassam esse numero)

    Terceiro, qualquer profissional, para produzir melhor, precisa estar sempre motivado. E motivacao nao se compra com medalhas em Camaras Municipais e Assembleias. Motivacao é salario compativel com as funcoes e seus riscos, é plano de carreira, é promocao por merecimento ( e nao por Qi).

    Nao é ser corporativista, mas sim trazer a verdade.

    Considero apenas os policiais que tentam trabalhar de verdade, excluindo os vagabundos, macanetas, puxa saco e corruptos.

    Curtir

Os comentários estão desativados.