Governo paulista tenta conter bolsonarismo na PM…( Policiais civis majoritariamente são bolsonaristas, mas são irrelevantes na quantidade e qualidade ) 20

Governo paulista tenta conter bolsonarismo na PM

  • Estadão Conteúdo
  • [07/06/2020] [17:33]

Presidente da República, Jair Bolsonaro| Foto: Alan Santos/PR

O governo de São Paulo tem se empenhado para conter o que chama de “contaminação” do bolsonarismo na Polícia Militar e manter a neutralidade e o caráter apartidário da instituição. As principais preocupações são o comportamento de policiais em manifestações nas ruas e as postagens de integrantes da ativa da PM em redes sociais e em aplicativos, como o WhatsApp.

São compartilhados desde ataques ao governador João Doria (PSDB) a teses defendidas pelo bolsonarismo, como o fim do isolamento social durante a pandemia. Na última semana, grupos de policiais foram invadidos por postagens que chamavam de “maconheiros”, “terroristas” e “arruaceiros” os manifestantes que desejam sair às ruas contra o governo de Jair Bolsonaro.

Há, entre os bolsonaristas da ativa mais fanáticos, um major, sargentos e cabos que compartilham postagens de deputados da “bancada da bala” na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa. “Vejo de forma estarrecedora colegas apoiando ou criticando o governo”, afirmou o coronel da reserva da PM Glauco Carvalho, que comandou o policiamento da capital.

A presença de oficiais e praças da reserva e familiares de policiais em manifestações na Avenida Paulista de apoio ao presidente e contra o governador, hoje opositor contundente de Bolsonaro, reforça a preocupação no Executivo estadual. “O desafio de manter a política longe dos quartéis é grande. Há limites à liberdade de expressão, mas temos mantido a situação sob controle. A PM trabalha para o cidadão, não é polícia de governo, mas de Estado”, afirmou o secretário executivo da PM, coronel Alvaro Batista Camilo.

O comando da corporação se reuniu nesta semana, após a manifestação no domingo passado, que terminou em confronto entre a tropa de choque e manifestantes contrários a Bolsonaro – a maioria torcedores de times de futebol – na Avenida Paulista. O Estado de São Paulo apurou que os coronéis verificaram erros em procedimentos operacionais, como a decisão de deixar livre uma bolsonarista que perambulava com um bastão de beisebol.

A exemplo do domingo passado, bolsonaristas e críticos do governo devem novamente sair às ruas hoje na capital. Como a Justiça proibiu que ambos os grupos se manifestassem na Avenida Paulista, os movimentos contrários ao governo remarcaram seus atos para o Largo da Batata, em Pinheiros. No domingo passado, cinco manifestantes foram detidos e dois ficaram feridos, ambos PMs aposentados que apoiam o presidente.

Associação

Apontada como um dos focos do bolsonarismo na PM, a associação Defenda PM congrega cerca de 2 mil oficiais. Ela é presidida pelo coronel Elias Miler da Silva, hoje chefe de gabinete do senador Major Olimpio (PSL-SP), adversário político de Doria, mas que rompeu com Bolsonaro. “A associação é apartidária. Mas os associados podem ter suas preferências políticas”, afirmou o coronel Ernesto Puglia Neto, secretário executivo da associação. “Nós nascemos para defender institucionalmente a PM.”

Em seu site, no entanto, a entidade mantém na página de abertura a seguinte frase: “Governador João Doria: despreparado para SP, despreparado para o Brasil”. Mantém ainda um artigo sobre a Covid-19 no qual dá aval a todas as teses do presidente sobre a doença, criticando o uso da ciência como palavra final no combate ao vírus.

Uma das razões da adesão dos policiais ao bolsonarismo é a identificação do presidente com a pauta corporativista das polícias. Segundo o coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes, que presidiu até maio o Conselho Nacional dos Comandantes Gerais das PMs e dos Corpos de Bombeiros Militares, entre essas pautas estão o que os policiais chamam de maior proteção jurídica aos PMs. O pacote envolve a aprovação de uma lei orgânica das polícias, a possibilidade de a corporação registrar ocorrências de menor poder ofensivo e uma maior participação das PMs na definição de políticas públicas.

Para Araújo Gomes, no entanto, o possível aumento de candidaturas de policiais – a maioria ligada ao bolsonarismo – não significa a existência de contaminação política das polícias. “Isso se deve ao reconhecimento da sociedade pela função relevante exercida por esses homens.” Segundo ele, mesmo o motim de policiais no Ceará, em janeiro, não teve uma causa nacional, mas, sim, estimulada por fatores locais.

Renato Sérgio de Lima, presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, disse que o motim cearense só não se espalhou pelo País em razão da repulsa da população às ações dos rebelados e pelo fato de o governo local ter aprovado lei proibindo anistia. Segundo Lima, uma ruptura da disciplina hoje só aconteceria em razão de evento extraordinário.

Para o coronel Carvalho, essa possibilidade é improvável. Primeiro, porque as Forças Armadas se opõem. “As maiores polícias ainda têm instrumentos de controle.” Apesar de haver na tropa um sentimento majoritariamente pró-Bolsonaro, o coronel identifica um distanciamento recente de parte da oficialidade da PM do bolsonarismo após a demissão de Sérgio Moro da pasta da Justiça e das negociações do governo com o Centrão. “As pessoas mais atentas sabem o significado desses fatos.”

  1. E POR FALAR EM PM, SERÁ QUE AGORA TEREMOS UMA RESPOSTA, CORONEL JOSÉ SEMENSSATE JÚNIOR? 12º BPM/I BOTUCATU/SP disse:

    Será que o João Dória também não pode conter essa palhaçada no troca a troca que está acontecendo no comando da PM da cidade de Botucatu/SP? Será que o Bolsonarismo na PM está empolgando a instituição e o comando acha que pode tudo?

    É inédito, mas o comando geral da Polícia Militar de São Paulo, com o consentimento da secretaria da segurança pública, decide ter três comandantes diferentes em um ano e dois meses no 12º BPM/I da cidade de Botucatu/SP, só que até agora nenhum dos três comandantes deram uma resposta para a população em relação ao fardo de maconha, as armas ilegais e as placas de veículos que estavam guardado dentro do próprio 12ºBPM/I.

    29 de Maio do ano de 2020, há pouco mais de uma semana.

    12º BATALHÃO DA POLÍCIA MILITAR DE BOTUCATU/SP TEM O RETORNO DO OFICIAL JOSÉ SEMENSSATE JÚNIOR, SÓ QUE AGORA COMO TENENTE CORONEL E COM A RESPONSABILIDADE DE IDENTIFICAR E PRENDER O (S) SEU (S) PRÓPRIO (S) SUBORDINADO (S).

    https://acontecebotucatu.com.br/policia/tenente-coronel-semensati-assume-batalhao-da-pm-em-botucatu-nesta-sexta-feira-29/

    MÊS DE MARÇO DO ANO 2019.

    No dia 1º de março do ano 2019 a tenente coronel Kátia Christófalo acompanhada do seu subordinado major Maurício Lanhoso de Lima e da cadela Kate, encontraram um grande fardo de maconha, armas ilegais e placas de veículos guardados em um armário dentro do 12º BPM/I.

    https://flitparalisante.wordpress.com/2019/05/16/batalhao-de-botucatu-era-biqueira-concorrente-do-pcc-comando-da-pm-tenta-escamotear-a-ocorrencia-para-preservar-a-imagem-institucional-pode-governador-doria/

    Parabéns! Mas pq foi transferida?

    MÊS DE SETEMBRO DO ANO 2019

    Seis meses após Kátia ter encontrado a muamba no Batalhão, a secretaria da segurança pública decide trocá-la pelo tenente coronel Agrella no mês de setembro do mesmo ano de 2019. Ué, o quê aconteceu?

    https://www.botucatuonline.com/2019/09/10/estado-muda-comando-do-12o-batalhao-da-pm-de-botucatu/

    Sob o comando do tenente coronel Agrella, equipes da corregedoria deslocaram até a cidade de Botucatu/SP e prenderam um cabo PM, a sua esposa e também um soldado PM, todos no crime de tráfico de entorpecente e foram autuados em flagrante na delegacia de narcóticos da cidade de Botucatu/SP.

    https://acontecebotucatu.com.br/policia/policias-militares-sao-presos-em-botucatu-apos-operacao-ente-comando-e-corregedoria/

    Segundo a pm, as investigações já tinham aproximadamente 16 meses e envolvia a corregedoria e também o comando do 12º BPM/I. Ué, dezesseis meses?

    Dezesseis meses antes das prisões que se deu em 2019, em 2018 a comandante era a Kátia que antes mesmo das prisões (2019) já havia sido transferida, e não sabemos o motivo, após ter encontrado a outra muamba no seu batalhão, pode isso Arnaldo?
    As investigações começaram com uma comandante que misteriosamente foi transferida após encontrar a muamba no seu batalhão, aí as mesmas investigações continuaram com outro comandante? Ué.
    Dezesseis meses antes das prisões, o soldado PM que foi preso em flagrante tinha muito pouco tempo de serviço na cidade de Botucatu/SP, mas já tinha tempo o suficiente para se aliar a outros Pms e começar a traficar e ser investigado? Já chegou na cidade com o rótulo de traficante?

    Hoje, 08 de junho de 2020, com três comandantes diferentes a frente do 12ºBPM/I em um ano e dois meses (Kátia, Agrella e Semenssate), qual a esperança que nós pagadores de impostos da cidade de Botucatu/SP devemos depositar no trabalho do atual e mais novo comandante José Semenssate Júnior em relação a identificar e prender o (s) traficante (s) de farda?

    O tenente coronel Agrella quando chegou na cidade deu uma entrevista e afirmou que as investigações sobre a muamba que deu o título para o 12 BPM/I de biqueira, estava em andamento e em breve teríamos uma resposta, mas foi embora sem falar nada, ué.

    A corregpm em dezesseis meses (2018 a setembro de 2019), “junto com dois comandantes diferentes do 12ºBPM/I (Kátia e Agrella)”, investigaram e prenderam dois Pms traficantes e a esposa de um deles, só que dentro desses dezesseis meses foi encontrado a muamba pela Kátia e ninguém consegue identificar e prender o (s) traficante (s) de farda?

    Se os PMs traficantes foram autuados em flagrante pela Dise da cidade de Botucatu/SP, e ao invés das inúmeras trocas de comandantes no 12º BPM/I, não teríamos um resultado muito mais satisfatório se as investigações sobre a muamba encontrada pela Kátia ficasse a cargo da eficiente Dise de Botucatu/SP?

    Curtir

    • A sua postagem pode desvendar alguns mistérios que despertam a atenção aqui em Botucatu.
      Você sabia que além da Kátia ser transferida após encontrar o entorpecente, o seu subordinado major Maurício Lanhoso de Lima também foi transferido e não sabemos o motivo?
      Dos três que você citou e que encontraram o entorpecente, falta apenas um ser transferido, a cadela Kate.
      Eu vou comentar sobre uma ocorrência que talvez você não tenha conhecimento e que aconteceu entre o dia que a Kátia achou o entorpecente e pouco antes dos outros dois pms serem presos já sob o comando do outro coronel.
      Não entenda como acusação o que vou relatar, vou repassar o que aconteceu no dia da ocorrência e não tenho conhecimento das consequências que provavelmente as apurações ficou a cargo do serviço reservado do 12, setor onde um dos pms presos prestou serviço por quase quinze anos e onde era considerado um fiel profissional, mas ninguém percebeu que o cabo P2 se tratava de um traficante, precisou a corregedoria vir prendê-lo.
      Não é uma acusação, mas preste atenção: Uma guarnição aqui em Botucatu abordou um rapaz e eu sinceramente não sei se ele portava algo ilícito, mas por algum motivo foi colocado na viatura e iniciou uma diligência em algumas residências.
      Em dado momento outras guarnições também se juntaram na deligência com um oficial no comando. Em uma, ou mais, residência foi encontrado entorpecente, pessoas receberam voz de prisão e entre elas o rapaz que foi abordado e colocado inicialmente na viatura.
      Na delegacia o rapaz que estava algemado pediu para o seu advogado pegar no seu próprio bolso um papel que tinha marcado o número de um telefone celular, só que o número do tal celular pertencia ao policial que o deteve inicialmente, e este número foi escrito com a letra e a caneta do próprio policial militar que até o momento da apresentação do papel não havia dito nada para o delegado que apreendeu o papel. Mas eu não fiquei sabendo das consequências desta ocorrência e nem do porquê que o pm escreveu o número do seu próprio telefone celular e entregou para quem ele mesmo sabia que poderia ser preso. Será que o rapaz ligaria para o pm de dentro da cadeia?
      Recentemente o ministro da educação relembrou a trágica noite dos cristais, eu me assusto com o título que ficará marcado na Polícia Militar de Botucatu em breve.

      Curtir

  2. Na PC e minoria; pois estes conseguem refletir minimamente e perceber que nosso chefe máximo e mais um do mesmo.

    Com o grande diferencial que é debochar, ironizar uma pandemia a nível global, agora epicentro pela imoralidade deste imbecil.

    Enquanto especialistas, médicos, secretários, ministros defendiam o isolamento, alguns debiloides seguindo o presidente debiloide, saiam às ruas para apoia-lo, mesmo com o baixíssimo crescimento do ano passado.

    Agora, pra finalizar, vemos declinando para a velha política, argolando-se em figuras envolvidas em escândalos, para tentar se salvar.

    Impeachment ja##

    Não dá mais pra ficar com esse tosco

    Curtir

  3. É fácil resolver este problema. Basta cumprir a promessa de campanha referente aos salários dos policiais, tanto civis quanto militares!

    Curtir

    • Exatamente.

      Nos coloque como 2o melhor salário do Brasil e mudaremos nosso conceito. Tão simples.

      Ou ele acha que seremos tucanos por causa da mensagem de amor dele “#fiqueemcasa” ?

      Curtir

    • Agora falando sério (nos outros posts meu intuito era causar o bom e velho caos)…
      …Já postei diversas vezes que até SATANÁS ENCARNADO é melhor que qualquer um do PSDB, doravante Dória cumprir essa promessa, me retrato e passo até a fazer o sinal de “acelera” dele…

      Dito isso, mais fácil Jesus descer da Cruz que Dória cumprir essa promessa mentirosa.

      Curtir

  4. Não é so na PM, infelizmente. Há essa contaminação também na Polícia Civil. Na PM ainda dar pra entender, pois, sempre flertaram com a ditadura, e o Bolsonaro sempre procurou ter a PM ao seu lado, mas na Polícia Civil é burrice mesmo.

    Curtir

  5. Para os que acreditam no Agripino & Cia, são “democráticos, éticos, honestos, preocupados com a coisa pública e bem estar da população” eles estão no governo do Estado, exatos, 21 anos; 5 meses; 1 semana, ou seja, 7829 dias consecutivos.
    Se não fizeram nada pela Polícia Civil até o presente momento não foi por falta de tempo.

    Dia 01/01/1999, data da posse do MCovas, até 08/06/2020, (des) governo do Botox.

    Curtir

      • Agradeço, Graças a Deus um aposentado disse:
        08/06/2020 ÀS 21:01

        Você está correto, e eu postei informação incorreta.

        Realmente o MCovas assumiu o PHODER em 01/01/1993 em 08/06/2020 – eles o Pior Salário Do Brasil estão no PHODER há 28 anos; 5 meses; 1 semana, ou seja 10385 dias.

        E segundo alguns “crentes” não deu tempo, ainda, para eles resolverem a situação salarial do policiais deste Estado.

        Curtir

  6. Os apoiadores de Bolsonaro na PC, logo assistirão a recriação do Ministerio da Segurança, que será entregue aos PMs, que passaram a ocupar a SSP Nacional, assim que Moro saiu.
    A PF, contra a recriação, ficará no MJ. Logico, não aceitaram ficar no Ministerio dos PMs.
    o MSP, ficará encarregado da coordenação e planejamento das ações de Segurança Publica, leia-se : poder e prerrogativas para oficiais PMs.

    Curtir

    • Todo político adora babar ovo de meganhas, pois quando acontecem manifestações e protestos contra eles são os meganhas que logo aparecem para distribuir os seus cassetes democráticos nas costas dos coitados.

      Curtir

    • É verdade.
      E como o MJ praticamente já não é nada, a não ser o responsável pela Segurança Pública, quando separar…o Ministério da Segurança Pública já nascerá com muito mais orçamento e poder que quase todos os outros.
      A Polícia Federal será sublevada por completo…verá seu orçamento minguado e sua influência defenestrada.

      Quem for alçado à Ministro da Segurança Pública, será, facilmente, dos 5 Ministros mais poderosos do Governo.

      E, certamente, será um Coronel.

      Curtir

  7. Preliminarmente, Cel. Miler e Maj Olímpío são oficiais da mesma turma de Barro Branco(Aspirantes 1982).

    O Olímpio é um parceiro das forças de segurança deste Estado, independentemente da instituição. Sempre se disponibilizou a apoiar, incondicionalmente, as pautas por melhores condições de trabalho e salarial das entidades de classe das instituições deste Estado.

    O mesmo não pode ser dito em relação ao Cel. Elias, aluno mediano no Barro Branco, que decolou na carreira por ser lobista da PM no Congresso Nacional, graças a sua qualidade de bom articulador.

    Ao passar para a reserva(aposentadoria) criou a entidade “DEFENDA PM”, cujo proposta básica não é defender as atribuições legais e constitucionais da PM, pelo contrário, é invadir as atribuições de outras instituições, com flagrante infração às disposições legais e constitucionais existentes, criando demandas absolutamente desnecessárias e infundadas para dar a PM a atribuição legal e constitucional que ela não tem.

    Sem sombra de dúvidas, a PM presta relevantes serviços à população deste Estado, mas é inegável os recorrentes casos de abusos, muitos dos quais com resultado morte, repercutidos em parte pela mídia nacional, decorrentes de abordagens violentas, com flagrante violação dos protocolos existentes.

    A existência de uma polícia judiciária, de natureza civil, para apuração de infrações penais protagonizadas por PM’s, é indispensável para a defesa do cidadão e do Estado Democrático de Direito. É a garantia de transparência que deve existir na apuração quanto à legalidade da atuação policial.

    Não deve pairar dúvidas sobre a verdade real dos fatos, o que só é possível numa investigação imparcial, não maculada por nenhum interesse corporativo.

    Para que amanhã ou depois, o cidadão não tenha que fazer parte da entidade “DEFENDA SE DA PM”, devemos ficar atentos às decisões judiciais e movimentações legislativas que possam acarretar o esvaziamento das atribuições legais e constitucionais das instituições existentes, e, por via reflexa, o enfraquecimento do controle na atuação dos integrantes das PM’s em todo o Brasil.

    Como policial, não votei no Dória, e acertei em ter feito essa opção. Mentiu quando na campanha se comprometeu a recompor a precária situação salarial dos policiais no Estado, o que persiste até hoje. Em São Paulo, tanto policiais ativos como inativos, recebem um dos piores salários do Brasil.

    Votei no Bolsonaro e me arrependi muito por isso. Sua bandeira de combate à corrupção, com a qual me identificava muito e acreditava que aconteceria, com a indicação de Sérgio Moro para o Ministério da Justiça, foi esgarçada em apenas um ano e meio de governo. Sérgio Moro pediu exoneração em razão, entre outras coisas, da flagrante e suspeita ingerência de Bolsonaro na Polícia Federal. Somando-se a isso, a inusitada negociação de cargos no 1º e 2º escalões da administração com o centrão (segmento”barganhento” da Câmara dos Deputados, que tem entre seus integrantes, vários condenados e processados por atos de improbidade administrativa).

    O eventual envolvimento do filho Senador na chamada “rachadinha”, o firme propósito de indicar o outro, Deputado Federal, para a embaixada dos EUA, corroborado pela péssima atuação de vários ministros (relações exteriores, meio ambiente e educação), com verbalizações inoportunas, bem como sua própria oratória, repleta de palavras de baixo calão, vez ou outra com posturas que afrontam a liturgia do cargo que ocupa, são algumas das razões que fundamentam meu arrependimento. Sem falar na indisfarçável indiferença às milhares de mortes de brasileiros pela covid-19, bem como a enorme capacidade de desagregação em tudo o que põe a mão ou comenta.

    Felizmente, as instituições se mostram muito mais consolidadas nos dias de hoje. A “ruptura”, conforme palavras do filho, é algo muito improvável que aconteça. Somos uma democracia consolidada. A bem da verdade, somos muito mais do que 70%.
    Não é uma minoria que além de não ver, não enxergou o que o despreparo e a insensatez de quem detém o poder pode acarretar. Nada vai impedir o Brasil de corrigir seus erros e seguir seu destino como uma das grandes nações do mundo.

    Curtir

  8. Policiais civis de São Paulo merecem ganhar o que ganham pela escolhas políticas que fazem.

    Curtido por 1 pessoa

  9. Tudo que o Doria queria era uma desculpa para não dar aumento(Lei Complementar nº 173/2020) o peão não vai poder receber nem quinquenio. O Doria já era!

    Por outro lado, o pessoal está ajuizando no TSE para tentar caçar a candidatura do Bolsonaro e diplomar o Haddad. Para o Brasil só podemos esperar o pior. O único pais com sistema de governo judicialista no mundo.

    Curtir

  10. Dificilmente irão conseguir derrubar o Bozo, seja via TSE ou por impeachment. Vejam o caso da Sara Winter. Pôde chegar ao cúmulo de chamar um ministro do supremo de arrombado e a polícia federal de bosta, só porque apoia o presidente. E quem é Sara Winter?

    Curtir

  11. Essa pandemia está levando a vida de milhares de brasileiros e milhões de reais dos cofres públicos graças à conhecida e recorrente roubalheira protagonizada pelos políticos nas três esferas de governo.
    Triste Brasil.

    Curtir

  12. No Pará, o “animus furandi” foi transferido por DNA. Vale a máxima “Tal pai, tal filho”.
    Isso é Brasil, em plena pandemia, “vamu robá” e deixar o povão morrer sem respirar.

    Curtir

Os comentários estão desativados.