PGR corporativista e ciumenta…O Ministério Público – rotineiramente jurídica e intelectualmente desonesto – sempre defendeu o “quem pode o mais pode o menos” para justificar o auto-outorgado poder investigativo…Por que , agora , o “princípio” não vale para o STF? 3

Dodge – sem ler os autos – arquivou inquérito sobre fake news contra STF

PGR alega que medidas já autorizadas sobre a investigação não foram acompanhadas pelo Ministério Público Federal

“A providência tem como fundamento o respeito ao devido processo legal e ao sistema penal acusatório estabelecido na Constituição de 1988, segundo o qual o Ministério Público é o titular exclusivo da ação penal, fato que provoca efeitos diretos na forma e na condução da investigação criminal”, diz nota publicada no site do MPF.

Com efeito, a investigação do STF pode instruir ações indenizatórias e ações penais privadas, conforme o interesse dos ofendidos – o vilipendiado não é obrigado a representar, podendo oferecer queixa-crime contra os ofensores – logo não se pode falar em legitimidade exclusiva do MP para ações derivadas da apuração presidida pelo Ministro Alexandre de Moraes.

Por que guerrear pelo monopólio da investigação de infrações penais?

Será que tem membro do MP praticando terrorismo virtual contra o STF e seus ministros ?

Estão com medo de se descobrir uma abjeta guerra institucional?

Por outro lado, a Suprema Corte é o que há de melhor e mais confiável no Poder Judiciário do Brasil.

O que não funciona exemplarmente são as 1ªs e 2ªs instâncias  estaduais e federal, nestas magistrados e membros do MP estão muito mais dedicados aos seus interesses salariais e pessoais do que em participar da distribuição de justiça.

Por fim, o Poder Judiciário , especialmente o de São Paulo , é violentamente arbitrário quando se trata de punir sites , blogueiros e policiais usuários de redes sociais, sem que nenhum jornalista – principalmente os de “direita” – acusem a censura e desrespeito à CF.

Assim, na parte que me toca , bem feito para quem apenas protesta quando se vê como alvo do suposto arbítrio judicial…

Aliás, no caso em questão, o STF está com a razão e com o direito .

https://flitparalisante.wordpress.com/2009/01/16/a-ordem-do-juiz-davi-capelatto-proibindo-a-hospedagem-do-flit-paralisante-no-google/

[img490b81246de5b.jpg][img490b8136694ba.jpg]

  1. O ministro Alexandre de Moraes, o suprassumo do Direito, é o juiz Dredd. O juiz Dredd é um personagem da história em quadrinhos, se trata de um “vigilante” de cerca de 120 anos no futuro, em uma distopia, o qual trabalha como juiz. Contudo, nessa ultraviolenta, agressiva e sequiosa busca de poder e de corporativismo insano, o juiz Dredd acumula os cargos de polícia, juiz, júri e executor (algoz) quando necessário, em um processo kafkiano, n’um caos jurídico estabelecido pela balbúrdia. Qualquer semelhança é mera e pura coincidência.

    Curtir

  2. Coitadoooo…. O Sr.Moraes só foi advogado, indiretamente, do PCC. Assim que descobriu que a empresa Cooperativa era investigada “deixou de ser advogado constituído”. Isso já diz muito sobre o Brasil.

    Curtir

  3. Alguém tem que por ordem e respeito entre as instituições.
    Creio que agora que as “injustiças” das mutias acusações da Lava Jato que não foram observadas está chegando na torre da pirâmide, quero dizer … em quanto a pimenta é no cú dos outros foda-se.
    Deram o total poder ao MP na constituição de 1.988, conseguiram do STF o parecer favorável da investigação e esqueceram de fiscalizá-los.
    Em 2.002 Daltan Dellagnol que, é filho do procurador de justiça Agenor Dallagnol colou grau em direito, de imediato prestou concurso para o MP, sem cumprir o quesito do Edital do Concurso, ou seja, não havia completado dois anos de conclusão do curso de Direito. ” entrou amparado por decisão judicial “.
    Não estou dizendo que não seja competente mas para certas pessoas tudo pode. Alguém tem que por ordem na casa, se fosse outra pessoa estaria cancelada a nomeação e posse.
    Se acham que o STF é suspeito não deem motivos para anularem a condenação de primeiro e segundo grau, não estou dizendo que são, somente exemplo : ” O ladrão para agir depende da nossa falha, de darmos a oportunidade “.
    Investigação é com a polícia judiciária nos de o mesmo recurso, trabalhem conosco e verão que quem ganhará com isso é a sociedade e a justiça! .

    Curtir

Os comentários estão desativados.