Filho da puta não é o dono do boteco, filho da puta é você que há anos vem extorquindo os donos dos caça-níqueis…A ordem só vale para o DEINTER-6: ACABAR COM O JOGO…E no resto do Estado, Dr. Nico? Chegou o momento de sermos todos EX-CORRUPTOS! 1

Um recado aos garbosos policiais civis e militares que – depois de 25 anos – estão invadindo estabelecimentos comerciais e destruindo com estardalhaço máquinas caça-níqueis…

Filho da puta não é o dono do boteco, filho da puta é você que há anos vem extorquindo os donos dos caça-níqueis…

Praça, se você é honesto , tenha ódio do filho da puta que lhe comanda e que mordia toda quinzena. Cuidado com a Lei de Abuso de Autoridade e com as penas pela maldade…Membro do BAEP além de destruir objeto de crime chama dono de bar de filho da puta…( Se o comerciante for mente ligeira falou consigo mesmo: se a minha mãe fosse puta eu estaria vestindo farda igual a tua, né? )

E Delegados cuidado nessa hora , o Dr. Gaetano logo se vai e você fica….

E outro recado , sou delegado ex-pulso , mas posso opinar: Dr. Promotor chefe do Gaeco se tem prova para prender Delegado Diretor dentro do Palácio da Polícia que cumpra com o seu dever; não mande recados do tipo : “ou acabem com o jogo ou Diretor será algemado”…

Vossa Excelência não teria essa disposição para prender os diversos Procuradores de Justiça que se lambuzaram em vantagens instrumentalizando a Polícia Civil…Alguma vez Secretário de Segurança deu ordem para acabar com o jogo? Nunca! Acabaria com a “vis atrativa do cobiçado cargo”!

Excelência e se tiver que prender não chame a PM, pois ninguém lhe oferecerá resistência.

E mais: já que a ordem superior é para acabar com o jogo na Baixada Santista , suposta ordem do Dr. NICO para o Dr. Caetano Vergine, Vossa Excelência , como novo Delegado Geral , deve fazer o mesmo na Capital, no ABC, Campinas e todos os DEINTER-s

REMINISCÊNCIAS DE UM EX-CORRUPTO

Delegado que fez denúncia foi desleal, afirma corregedor

São Paulo, sexta-feira, 06 de julho de 2007 

ANDRÉ CARAMANTE
DA REPORTAGEM LOCAL

MARIANA CAMPOS
DA AGÊNCIA FOLHA, EM SANTOS

O delegado Caetano Paulo Filho, da Corregedoria da Polícia Civil, disse ontem que o órgão abriu um processo administrativo contra o também delegado Roberto Conde Guerra por “ele ter sido desleal à instituição”.

O delegado Guerra criou um blog na internet para denunciar supostas irregularidades cometidas por policiais.
Na tarde de ontem, Filho confirmou que a Corregedoria havia intimado o delegado Guerra para que ele formalizasse as denúncias feitas em seu blog, o “Flit Paralisante” https://flitparalisante.com/

Mas o delegado, sem apresentar justificativa, não apareceu. ( NÃO COMPARECI POR NÃO SER OBRIGADO A ME APRESENTAR NA CORREGEDORIA DA CAPITAL, POR QUE NÃO VEIO ME OUVIR NA CORREGEDORIA DE SANTOS…NÃO ERA SEU SUBALTERNO E NÃO ME REPORTARIA A DELEGADO PROFESSOR DE CURSINHO! )
Questionado sobre o que Guerra deveria ter feito, caso não utilizasse o blog para fazer denúncias, o delegado Filho disse: “Ele deveria ter comparecido [na corregedoria] ou ter feito [as denúncias] pelas vias hierárquicas”. ( Dr. irmão do Dr. Domingos, na Corregedoria de Santos compareci duas vezes e provei por meio de petições devidamente protocoladas. Não tenho culpa que as usaram para limpar as próprias bundas sujas )
As acusações de Guerra também envolvem alguns atuais coordenadores da Polícia Civil na Baixada Santista e ex-dirigentes da corporação na região que, segundo Filho, deverão ser interrogados.
No blog, o delegado Guerra cita nominalmente policiais, departamentos da Polícia Civil e até valores recebidos por eles para manter o funcionamento irregular de caça-níqueis, bingos e até do jogo do bicho.
Na quarta-feira, o delegado Guerra foi interrogado pelo promotor de Justiça Cássio Conserino e confirmou denúncias feitas em seu blog, mas disse não ter provas. ( OBVIAMENTE QUE TINHAMOS BONS ELEMENTOS DE PROVAS! )


Texto Anterior: Frase

Frase

“O bom salário desestimula [a corrupção], mas não evita. Há exemplos na República que são notórios”


RONALDO MARZAGÃO
secretário da Segurança Pública

Doutor Marzagão , verdade, já naquela época havia exemplos notórios até NO MINISTÉRIO PÚBLICO DE SÃO PAULO!

Ah, nesta oportunidade, lhe agradeço por ter dado causa à minha demissão…Provou ao lado de quem estava!


Próximo Texto: Governo oficializou afastamento de só um policial suspeito
Índice

Governo oficializou afastamento de só um policial suspeito

Das 20 pessoas suspeitas de ligação com caça-níqueis que deixariam as funções, só um nome saiu no “Diário Oficial”

O próprio policial tomou a iniciativa de deixar o cargo; número de investigadores também passou de 20 para 13, segundo o governo

GILMAR PENTEADO
DA REPORTAGEM LOCAL

Vinte dias depois de a Polícia Civil paulista anunciar que 20 policiais investigados por ligação com o esquema de máquinas caça-níqueis seriam afastados de seus cargos de chefia, apenas um deles teve o afastamento oficializado no “Diário Oficial” do Estado. Isso porque o próprio policial tomou a iniciativa de deixar o cargo.
Sem a publicação no “Diário Oficial”, os investigadores-chefes não têm os rendimentos reduzidos pela perda da função. Além de não ter seu afastamento oficializado, um dos investigados ainda teve sua designação para outro distrito policial publicada na terça-feira, mantendo o seu cargo de chefia.
O número anunciado de policiais a ser afastado das funções de chefia também foi reduzido: de 20 para 13 investigadores.
Os afastamentos foram anunciados pelo comando da polícia paulista no dia 16 de junho, um sábado, 22 dias depois de o advogado Jamil Chokr, que defende empresas de caça-níqueis e bingos, ser flagrado com anotações com telefones e nomes de policiais.
A Corregedoria da Polícia Civil apontou 27 policiais suspeitos de ligação com Chokr. Pelo menos 20 investigadores desse grupo, que tinham cargos de chefia, seriam imediatamente afastados, segundo declarou o secretário da Segurança Pública, Ronaldo Marzagão. Esse número também passou a ser repetido pela cúpula da polícia.
Para a Secretaria da Segurança Pública, os afastamentos visavam dar transparência à investigação. A polícia, no entanto, não forneceu os nomes dos policiais suspeitos nem os locais onde trabalhavam.

Amigo
A pesquisa dos nomes dos 27 policiais suspeitos no “Diário Oficial” mostra que apenas Afonso Henriques Soares Rodrigues, chefe dos investigadores do Deic (Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado), teve o seu afastamento publicado -mudanças de cargos de chefia têm de ser publicadas porque envolvem remuneração e também para dar transparência.
Isso ocorreu no dia 20 de junho, quatro dias depois do anúncio de punições feito pela polícia paulista. Rodrigues, que é amigo de Chokr, pediu para sair da função, o que teria agilizado a publicação do seu afastamento. De lá para cá, nenhum outro afastamento foi publicado pela polícia.
A assessoria da Secretaria da Segurança Pública afirma que todos os afastamentos foram realizados e serão publicados no “Diário Oficial” nos próximos 15 ou 20 dias (leia texto nesta página).
O investigador Sidney Mota de Oliveira, na lista dos policiais investigados, também é citado no “Diário Oficial”, mas não para perder o cargo. Na terça-feira, foi publicada a sua designação para assumir a chefia dos investigadores do 40º DP (Vila Santa Maria), na zona norte da capital paulista.
Segundo a secretaria, o número correto de investigadores que perderiam cargos de chefia é 13, e não pelo menos 20, como chegou a ser anunciado pelo governo. Segundo a pasta, houve um erro de informação e se descobriu que menos investigadores do grupo de suspeitos tinham função de chefia.



Um Comentário

  1. Muito bom. Essa é a polícia que sempre existiu, mas não atraiu os holofotes dos programas sensacionalistas que nos finais de tarde, exibem comboios de viaturas com sirenes ligadas anunciando operações com as mais diversas denominações, extremamente onerosas para o poder público e de recorrentes resultados pífios.

    Curtir

Os comentários estão desativados.