“Nemo est supra legis”. Ninguém está acima da lei. – “Nós temos leis e eu sei ter vontade.” …( Digo : temos leis; eu uma pequenina vontade de infringir algumas delas…rs ) 5

Dr. , cuidado com aquilo que escreve , lembre-se: “ninguém esta acima da lei e nenhum Delegado de Polícia está acima de quaisquer suspeitas” – Vossa Excelência, inclusive!

Falsa erudição em relatório policial beira a empulhação! Muitas palavras, muitas mentiras!

E não deveria ter esquecido que o ex-governador foi benevolente com o seu colega de carreira , amigo e ex-superior hierárquico: Elpidio Ferrarezzi!

Carregar nas tintas , fazendo julgamentos morais serve apenas para patentear falta de isenção…

Fé inabalável na Justiça , benigno deferimento ?

“Temos indícios veementes de que houve corrupção policial”, afirma Promotor do GAECO!

“Nemo est supra legis”. Ninguém está acima da lei. Foi com esta provocativa frase em latim que uma dupla de delegados civis caiçaras abriu o capítulo sobre Márcio França (PSB) em relatório destinado ao Poder Judiciário para embasar as medidas de busca e apreensão que foram deflagradas na quarta-feira, 5 de janeiro de 2022.

Doutor, um dos Promotores do GAECO , por generalização , lhe chamou de corrupto ; demonstre a sua fé inabalável na Justiça e represente administrativa e criminalmente em desfavor do ofensor , além de ação de reparação de danos ; clame por benigno deferimento dos seus pedidos .

E não diga que não tem nada a ver com o objurgatório cruel do Promotor, a obrigação de repressão ao crime organizado em toda a Seccional de Santos lhe cabe “ex officio” !

Não necessita pedir permissão para agir!

—————–

https://jornalggn.com.br/justica-2/relatorio-da-policia-civil-no-caso-marcio-franca-mostra-que-lava-jato-fez-escola/

  1. O próximo indulto é o das “fake news”?

    Fernando Brito 24/04/2022 9:37 am

    A Justiça tem afirmado, repetidamente, que punirá todo aquele que propagar “fake news” sobre o processo eleitoral. Há, em curso, até, um inquérito contra os operadores de máquinas de mentira, desinformação e difamações sistemáticas na rede.

    De pouco adiantou mas, vá lá, pode ter havido – e nem creio nisso – um efeito dissuasório sobre as estruturas de bandidagem cibernética há anos montada neste país. Não é assim, mas admita-se que, para os ingênuos, isso possa ter algum efeito pedagógico.

    Com o decreto de perdão de Jair Bolsonaro a Daniel Silveira isso acabou e qualquer esforço para que o debate eleitoral e o processo de formação da vontade dos brasileiros seja minimamente ético e limpo.

    Se o presidente da República pode, sem qualquer critério, extinguir sumariamente uma condenação por um comportamento tão explicitamente chulo e ofensivo, sobre ameaças de “surra com um gato morto” e “sacudir sua cabeça de ovo”, usando para um aliado uma “graça” evidentemente concebida para outros fins, porque não poderá indultar qualquer um que viole a lei difundindo “armações” políticas?

    Basta editar mais um, dois, três, mil decretos, se necessário, porque o que vale para um, para todos vale e, como no primeiro, invocando a liberdade de expressão.

    O decreto de Bolsonaro faz o império da lei decair ao império da simples vontade do governante.

    Estabelece uma dupla legislação: se você for a a favor do presidente, ficará livre de punições, mas se for seu desafeto, pelo mesmo ato, gramará cadeia.

    É por isso que a “conta de chegar” que se planeja para este impasse é o mesmo que abolir o sistema legal brasileiro.

    A lei é para todos, mas suas penas, só para os que não são “amigos do rei”.

    Curtir

    • Chute nos “bagos” de quem estuda, se atualiza, vai atrás especializar-se…
      Coach de progressão anos 80/90: seja notícia no Afanazio, Aqui Agora, Rota do Crime, Cidade Alerta…
      Coach de progressão anos 2020: seja ativo no youtube, podcast e Operação de Risco (+ “Dapena” e similares).
      P.s: o pastor ministerial deixou a pistola disparar, Amém?! Acredita n’Ele, mas prefere o “berro”. Pregar o amor, Amém?!

      Curtir

Os comentários estão desativados.