Gaeco e PM realizam operação contra esquema de jogos de azar na Baixada Santista 23

Mandados são cumpridos em Santos, São Vicente e Guarujá. Investigações apontam que o esquema criminoso envolve mais de 600 endereços.

Por G1 Santos

20/09/2021 09h43  Atualizado há 17 horas


Até a última atualização desta reportagem, o balanço parcial da operação apontava a apreensão de 550 máquinas caça-níqueis e R$ 1.240.000,00 em dinheiro.

A ação iniciou logo nas primeiras horas deste segunda-feira, quando equipes seguiram para 15 endereços alvos de busca e apreensão nas cidade de Santos, São Vicente e Guarujá, sendo cinco em cada um dos municípios. Além disso, outros imóveis em Itu, no interior paulista, e em São Paulo também serão vistoriados pelas autoridades.

Equipes da Polícia Militar e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, realizaram uma operação na manhã desta segunda-feira (20), em três cidades da Baixada Santista, no litoral de São Paulo. O objetivo é desmantelar uma organização criminosa responsável por um esquema de jogos de azar e lavagem de dinheiro. Ao todo, foram cumpridos mais de 42 mandados de busca e apreensão.

Gaeco cumpriu mais de 42 mandados de busca e apreensão na região — Foto: Divulgação/Gaeco

Gaeco cumpriu mais de 42 mandados de busca e apreensão na região — Foto: Divulgação/Gaeco

Em Santos, um dos cinco mandados expedidos foi cumprido em um imóvel na Rua Pereira Barreto, no Gonzaga, onde foram localizadas diversas máquinas caça-níquel. Segundo informado pelo Gaeco, após serem periciadas, elas são destruídas. Durante a manhã, as autoridades já haviam apreendido uma quantia em dinheiro e armas de fogo.

Arma foi localizada em um dos endereços alvo da investigação — Foto: Divulgação/Gaeco

Arma foi localizada em um dos endereços alvo da investigação — Foto: Divulgação/Gaeco

Investigação

De acordo com o Gaeco, as investigações começaram após as autoridades receberem denúncias de bingos nas cidades do litoral paulista. Durante a apuração, foi constatado que uma organização criminosa é responsável por mais de 600 pontos de exploração de jogos de azar, nas cidades de Guarujá, Bertioga, Cubatão, Santos e São Vicente.

Para controlar os locais onde ocorriam os jogos, conforme as autoridades, era utilizado um sofisticado sistema que garante o gerenciamento das atividades. Em um software, há informações como nome do estabelecimento, endereço, número de máquinas caça níquel e tipo de máquina utilizada, além de detalhes sobre prêmios e valores pagos.

Operação cumpre mandados de prisão em endereços relacionados a esquema de jogos de azar — Foto: Janaina Hohne/G1

Operação cumpre mandados de prisão em endereços relacionados a esquema de jogos de azar — Foto: Janaina Hohne/G1

Mais de R$ 1 milhão em dinheiro foram apreendidos durante operação do Gaeco e da PM  — Foto: Divulgação/Gaeco

Mais de R$ 1 milhão em dinheiro foram apreendidos durante operação do Gaeco e da PM — Foto: Divulgação/Gaeco

  1. Mudando um pouco de assunto, parece que tem um projeto de reestruturação de cargos e salários, uma das coisas, seria gratificação para quem tem cursos superiores e títulos, mas não atentam que a maioria quando entraram em carreiras de segundo grau e agora exigem superior, a academia de policia não ofereceu cursos superiores para seus Políciais e muitos não conseguiram estudar fora da instituição, com salários baixos e escalas com poucas folgas, enfim o policial tem que ser qualificado pela própria polícia e valorizar o tempo de serviço igual para todos sem distinção.

    Curtir

  2. Quem não conhece a máquina, acha que é simples assim, ciclo completo a la MP/PM. Entretanto, 1º) o MP peticiona uma busca e apreensão; 2º o BAEP faz a diligência; 3º PM levam tudo para a delegacia da PC para o escrivão e delegado arredondarem a ocorrência, quero dizer, lavrar os autos, apreender objetos, ouvir as partes, etc e tal. Curiosamente a PC figura como fantasma nessa novela.

    Depois falam mal do português!

    Curtir

    • Não se avexe, havendo processo instaurado eu postarei, enquanto não passarem de narrativas negativo, não propago fake!

      C.A

      Curtir

  3. Vem para Guarulhos logo, quem sabe já chuta esses chefes que ficam sentados iguais filhotes de passarinhos!

    Curtir

    • Filhote de passarinho não digo, mas chupim há milhares. Mudando de assunto, parece que o Dra. Gallinati e o SINDPESP querem a volta do Chuchu. Ainda bem que delegado dirige delegacia ao invés de pilotar avião.

      Curtir

  4. Enquanto isso, segue o mão pra cabeça em todas as cidades e bairros deste Estado. disse:

    “Mãos ao alto”, você chegou em São Paulo, capital mundial do roubo. Menú: simples, qualificado e seguido de morte.

    Curtir

  5. Já que o assunto é bingo, a poeira já baixou e passou da hora de dar uma nova coletoria para o churrasco, ladrão travestido de austero homem da lei, amigo do AFP, aquele fdp que quase acabou com a PC.

    Curtir

  6. Quem reclama que a PC não participa do processo pensa que a PC estava fazendo o que durante esse tempo todo? Muito provavelmente era sob suas asas que agiam as casas de jogos, tanto quanto ocorre com casas de prostituição, biqueiras, auto peças…

    Curtir

  7. Mídia tenta, mas não adianta blindar Paulo Guedes
    Fernando Brito
    03/10/2021
    11:51 pm

    É inacreditável a tentativa de blindagem da grande mídia ao escândalo de Paulo Guedes, ministro da Economia, e Roberto Campos Netto, presidente do Banco Central, serem, ao mesmo tempo em que exercem suas funções públicas, dirigentes de empresas offshore em paraísos ficais no Caribe.

    O Globo nem mesmo publica a notícia e deixa o assunto para sua subsidiária, o G1, que trata do caso como apenas um “conflito de interesses”, quando é, escancaradamente, uma violação da lei que rege o exercício das funções públicas (Lei 8.112, artigos 117 e 132). Agora, no final da noite, a Globonews limitou-se a destacar alguns trechos da Piauí.

    O Estadão dá uma pequena chamada, dizendo que chefes de Estado são acusados de esconder milhões em paraísos fiscais e, em duas matérias, nem sequer cita o ministro e o presidente do Banco Central Brasileiro.

    É isso o que chamam de “jornalismo profissional”? Deus me livre, viva o amadorismo, então.

    Notem que são jornais que, nos editoriais, dizem-se em oposição a este governo e desancam a política econômica de ambos.

    Mas não acham errado o dinheiro lá fora, em paraísos fiscais, mesmo depois do governo brasileiro ter feito, desde o governo Dilma e, até concluir-se no Governo Temer, um programa de repatriação de capitais no qual, pagando-se o imposto devido, fortunas guardadas lá fora poderiam ser legalizadas, em condições vantajosas, e trazidas para dentro do Brasil.

    Só a Folha dá manchete, ainda assim para uma reportagem da revista Piauí, que integra seu grupo empresarial e , ao lado do Poder360, da Agência Pública e do site Metrópoles são aos brasileiros que estiveram num consórcio que reúne jornais do prestígio do The New York Times, Washington Post, The Guardian e dezenas de outros de credibilidade mundial.

    Parece que Paulo Guedes escolheu bem o nome de sua empresa caribenha: Dreadnoughts, que significa encouraçado, os navios blindados que eram o terror dos mares até a 2a. Guerra Mundial, quando as grossas chapas de metal passaram a não vale nada diante do crescente poderio das bombas e foguetes.

    Pois é também assim que a blindagem midiática será em relação a esta vergonha: inútil.

    Paulo Guedes era, até agora, o ministro da inflação. Agora, é o ministro dos milhões no Caribe.

    Curtir

  8. Cada vez mais militarizada a máquina policialesca, do implícito laboratório Paulista.

    São Paulo sempre na vanguarda da preservação de privílégios, estamentais.

    Os poucos Milicianos paulistas que criticam o poderio dos oficiais, são tão cegos quanto tapados, nem poderíamos pensar que é equivoco, pois a cupidez dos likes nas redes, na vassalagem em apoio ao “mito expulso do olímpo dos oficiais verde-oliva”, é propórcional a pescaria religiosa que fazem de adeptos fanatizados.

    Pra piorar o quadro, ainda gritam que Doria e o Oficialato da PM é comunista.

    Pra coisa ficar mais linda, ainda, os novos tiras, têm inconsciencia de classe inversamente proporcional, ao anseio do alpinismo social no tik tok e das redes socias, patrocinados por veias, musculos e muita tatuagem.

    Peladelo Malandro.

    Curtir

  9. “Associação de Juízes pelo Coronavírus”
    Fernando Brito 6/10/2021
    8:23 am

    O colunista da Folha para assuntos da Justiça, Frederico Vasconcellos, conta hoje a incrível história dos juízes que protestam contra a exigência de vacinação para que magistrados que não tomaram e não querem tomar a vacina contra a Covid-19 possam circular pelos fóruns do Judiciário paulista.

    “O grupo –cerca de 20 juízes, inclusive desembargadores– pediu ajuda à Apamagis (Associação Paulista de Magistrados). Eles entendem que o tribunal deveria respeitar a liberdade de cada magistrado.”

    Vejam isso, ilustrados leitores e leitoras: homens que dão ordens às quais todos são obrigados a cumprir, gostem ou não, acham ter o direito de negar as recomendações médico-científica porque, ora, porque não querem e se acham cheios de suas razões negacionistas.

    São, segundo o colunista, conhecidos como “juízes bolsonaristas”, portadores desta moléstia ideológica que assolou o judiciário e que, felizmente, estão hoje, tal como o Sars-Cov2, em decadência sanitária.

    Não é problema exclusivamente paulista, pois todos se recordam da decisão de um juiz carioca que tentou proibir a apresentação de certigficado de vacinação para que se pudesse frequentar espaços fechados coletivos.

    Vasconcelos reproduz o despacho de um juiz de de Franca (SP), que integrao grupo de inconformados com a exigência do TJSP em uma decisão em que concedeu liminar onde afirmava lockdown era inútil destacando que “não adotamos o regime comunista”.

    Faltou apenas falar no chip e no jacaré.

    Curtir

  10. Qual é o nome do major da ativa do 4 BTL da cidade de Bauru que foi preso dias atrás por pedofilia?

    Curtir

  11. Após décadas, parece que as melhores e mais mal remuneradas polícias do Brasil estão uníssonas no firme propósito de resgate das instituições.

    Não há como enfrentar esse desgoverno estadual, cuja agremiação política, há mais de duas décadas vilipendia as corporações, com risível remuneração aos seus integrantes e enorme defasagem de pessoal, neste que é, o mais populoso e rico Estado da Federação.

    Só uma atuação firme, com identidade de propósitos e união de todas as forças ativas e inativas vamos conseguir reverter esse degradante cenário em que nos encontramos.

    Parabéns às entidades de classe e ao Deputado Estadual Major Mecca pela iniciativa. Unidos, não sabemos sequer a força que temos.

    Do jeito que está não há a menor possibilidade de continuar.

    Curtir

  12. Já que aqui se posta só o mais do mesmo, vamos ao que interessa:- Esse tal de SPJ de registro de ocorrências que inventaram e empurraram goela abaixo de quem trabalha nos plantões é uma pérola, acredito que veio para ferrar de vez, pois é uma verdadeira porcaria, vive com mal funcionamento, isso quando funciona, veio de vez a pá de cal na PC; um simples biózinho de furto leva-se horas, senão dias para conseguir registrar e dá lhe reclamações; na minha unidade direciono as reclamações diretamente para a sala do delegado, que nem ta aí para o problema então aguente o rojão. Dá lhe calça apertada, puxas sacos e afins.

    Curtir

Os comentários estão desativados.