O Ministro A.M. , possivelmente, é o mais falso de todos os falsos juristas do Brasil 63

Ele não pratica o que escreveu; também, não sabe distinguir liberdade de crítica de mero banditismo. E foi chefe da Secretaria de Segurança que mais mata e mais arrecada propina no Brasil. E ficou calado!

  1. Realmente, o senhor A.M. não pratica nada daquilo que ele sempre escreveu em artigos, livros, orientações acadêmicas, etc; também, possivelmente, esqueceu a doutrina jurídica pregada nos bancos da FDUSP onde se formou. Uma coisa é certa, tornou-se um juiz perigoso e, além disso, coordena pesquisas acadêmicas orientadas à neutralização da figura presidencial no arcabouço jurídico brasileiro. Portanto, deverá ser expurgado do STF o mais rápido possível na próxima legislatura do senado, conforme, artigo 52, II da CF.

    No fundo, mais um eleitor togado do Lula.

    Curtir

  2. QUANTO À DECEPÇÃO EM QUE O MINISTRO ALEXANDRE DE MORAES SE TORNOU, CONCORDO PLENAMENTE, TANTO MAIS POR SEU VIÉS DITATORIAL, INFELIZMENTE GARANTIDO POR SEUS PARES, EM RAZÂO DO ACORDO VELADO DE QUE NESSE TIPO DE QUESTÃO “NÃO SE DEVE TIRAR A ESCADA DO COLEGA”. VÁ DE RETRO!!!

    Curtir

  3. É com grande satisfação e muito esperançosa que leio algo coeso neste espaço.

    Finalmente o condutor (pelo menos neste tema) não deixou aflorar seus instintos “esquerdopatas e jornazistas”

    Vejo uma luz no fim do túnel, parece que começou a enxergar o alto preço que se paga, defendendo os “escrotos” leia-se A. M.

    Meus mais sinceros Parabéns!!!
    Liberdade acima de tudo.

    Curtir

    • Rola propina até em Bíblia. Aproveita e faz arminha até 31/12, porque depois disso é cadeia para o seu presidente e a camarilha dele.

      Curtir

  4. Moraes libera o Telegram. E dá sinal verde às ‘fakenews’

    Fernando Brito
    20/03/2022
    7:26 pm

    Esqueça a possibilidade de que tenhamos eleições protegidas de disparos em massa de fake news.

    O recuo na decisão de Alexandre de Moraes ao permitir o acesso ao Telegram no Brasil depois de longas e deliberadas negativas de que o aplicativo de mensagens cumprisse ordens judiciais – sistematicamente desobedecidas – mostra que será quase impossível que o uso criminoso das redes sociais vá receber algum tratamento duro da justiça brasileira.

    Tudo cai na conta da “liberdade de expressão”, embora não esteja nem perto da liberdade de expressão não ser responsabilizado pelo que se diz e se faz.

    Vazaram-se informações judiciais a granel, quando se tratava de difundir que haveria comprometimento de Lula da Silva e Dilma Rousseff em falcatruas na Petrobras ou que havia práticas pedófilas nas escolas públicas.

    Este lixo invadiu as redes sem que os supostos mecanismos de “auto-regulação” tomassem qualquer providências.

    A Justiça acha que pode responder, com seus mecanismos lentos, a instantaneidade de redes liberadas à selvageria, que, dois meses depois, vão bloquear uma postagem dizendo que Chapeuzinho Vermelho estava fazendo bulling com o lobo?

    É esperar que “o mercado” controle livremente o processo eleitoral.

    Suspender uma plataforma que dá de ombros para tudo o que se diz nela – seja propaganda eleitoral, sejam crimes de estelionato, pedofilia ou tráfico de drogas e armas – garantindo o anonimato e a permanência das mensagens nada tem a ver com liberdade de expressão.

    Se o negócio das redes sociais é invulnerável, não vai sofrer prejuízos se não zelar pelo sua uso dentro da lei, porque vai gastar pessoal de moderação e perder clientes limitando as fakenews? Basta cumprir, e com grande retardo, o que a Justiça mandar e dizer: olhem como somos democráticos?

    É curioso notar que os, blogueiros, com infinitamente menos recursos, respondemos – e em multas pesadas – até pelos comentários que recebemos e sem apelação: são multas pecuniárias “na lata”, até mesmo pelo que não dissemos.

    A lei, claro, nunca foi para todos.

    Curtir

  5. Moraes libera o Telegram. E dá sinal verde às ‘fakenews’

    Fernando Brito
    20/03/2022
    7:26 pm

    Esqueça a possibilidade de que tenhamos eleições protegidas de disparos em massa de fake news.

    O recuo na decisão de Alexandre de Moraes ao permitir o acesso ao Telegram no Brasil depois de longas e deliberadas negativas de que o aplicativo de mensagens cumprisse ordens judiciais – sistematicamente desobedecidas – mostra que será quase impossível que o uso criminoso das redes sociais vá receber algum tratamento duro da justiça brasileira.

    Tudo cai na conta da “liberdade de expressão”, embora não esteja nem perto da liberdade de expressão não ser responsabilizado pelo que se diz e se faz.

    Vazaram-se informações judiciais a granel, quando se tratava de difundir que haveria comprometimento de Lula da Silva e Dilma Rousseff em falcatruas na Petrobras ou que havia práticas pedófilas nas escolas públicas.

    Este lixo invadiu as redes sem que os supostos mecanismos de “auto-regulação” tomassem qualquer providências.

    A Justiça acha que pode responder, com seus mecanismos lentos, a instantaneidade de redes liberadas à selvageria, que, dois meses depois, vão bloquear uma postagem dizendo que Chapeuzinho Vermelho estava fazendo bulling com o lobo?

    É esperar que “o mercado” controle livremente o processo eleitoral.

    Suspender uma plataforma que dá de ombros para tudo o que se diz nela – seja propaganda eleitoral, sejam crimes de estelionato, pedofilia ou tráfico de drogas e armas – garantindo o anonimato e a permanência das mensagens nada tem a ver com liberdade de expressão.

    Se o negócio das redes sociais é invulnerável, não vai sofrer prejuízos se não zelar pelo sua uso dentro da lei, porque vai gastar pessoal de moderação e perder clientes limitando as fakenews? Basta cumprir, e com grande retardo, o que a Justiça mandar e dizer: olhem como somos democráticos?

    É curioso notar que os, blogueiros, com infinitamente menos recursos, respondemos – e em multas pesadas – até pelos comentários que recebemos e sem apelação: são multas pecuniárias “na lata”, até mesmo pelo que não dissemos.

    A lei, claro, nunca foi para todos.

    Curtir

  6. Moraes libera o Telegram. E dá sinal verde às ‘fakenews’

    Fernando Brito
    20/03/2022
    7:26 pm

    Esqueça a possibilidade de que tenhamos eleições protegidas de disparos em massa de fake news.

    O recuo na decisão de Alexandre de Moraes ao permitir o acesso ao Telegram no Brasil depois de longas e deliberadas negativas de que o aplicativo de mensagens cumprisse ordens judiciais – sistematicamente desobedecidas – mostra que será quase impossível que o uso criminoso das redes sociais vá receber algum tratamento duro da justiça brasileira.

    Tudo cai na conta da “liberdade de expressão”, embora não esteja nem perto da liberdade de expressão não ser responsabilizado pelo que se diz e se faz.

    Vazaram-se informações judiciais a granel, quando se tratava de difundir que haveria comprometimento de Lula da Silva e Dilma Rousseff em falcatruas na Petrobras ou que havia práticas pedófilas nas escolas públicas.

    Este lixo invadiu as redes sem que os supostos mecanismos de “auto-regulação” tomassem qualquer providências.

    A Justiça acha que pode responder, com seus mecanismos lentos, a instantaneidade de redes liberadas à selvageria, que, dois meses depois, vão bloquear uma postagem dizendo que Chapeuzinho Vermelho estava fazendo bulling com o lobo?

    É esperar que “o mercado” controle livremente o processo eleitoral.

    Suspender uma plataforma que dá de ombros para tudo o que se diz nela – seja propaganda eleitoral, sejam crimes de estelionato, pedofilia ou tráfico de drogas e armas – garantindo o anonimato e a permanência das mensagens nada tem a ver com liberdade de expressão.

    Se o negócio das redes sociais é invulnerável, não vai sofrer prejuízos se não zelar pelo sua uso dentro da lei, porque vai gastar pessoal de moderação e perder clientes limitando as fakenews? Basta cumprir, e com grande retardo, o que a Justiça mandar e dizer: olhem como somos democráticos?

    É curioso notar que os, blogueiros, com infinitamente menos recursos, respondemos – e em multas pesadas – até pelos comentários que recebemos e sem apelação: são multas pecuniárias “na lata”, até mesmo pelo que não dissemos.

    A lei, claro, nunca foi para todos.

    Curtir

  7. Desculpe, mas olhando o contexto geral e no atual estado de coisas, ele está sendo absurdamente corajoso.
    Afinal, desde quando, para certos setores e pessoas, a “lei bonitinha” dá resultado?
    Sempre se de deu jeito de obter o “feanqueou a entrada em domicilio” (do zé-ninguém pé-de-rato), de obter confissão informal no calor do evento…
    Bastou ser mais duro com o Telegtam, que o app curvou-se.
    E menos perigosa uma “ditadura” de onze cabeças que podem divergir, do que a ditadura de um alienado bajulado e cheio de potenciais “capangas de farda”.
    P.S: mas não posso discordar de seu sentimento pessoal…

    Curtir

  8. O interesse da maioria (no caso os mais de duzentos milhões de brasileiros) se sobrepõe à uma minoria de extrema direita. Esta “seita” não tem o direito de espalhar mentiras (Fake News).
    Hitler quase dominou o mundo graças aos omissos.
    FORÇA XANDÃO

    Curtir

  9. STJ manda Deltan indenizar Lula por ‘Powerpoint”

    Fernando Brito

    Por maioria, contra apenas um voto – o da Ministra Isabel Gallotti – o Superior Tribunal de Justiça condenou o ex-produrador Deltan Dallagnoll a indeniza em R$ 75 mil, acrescido de juros de mora desde 2016, por ter exibido o famoso PowerPoint onde o ex-presidente Lula era apontado como o centro de uma organização criminosa, com acusações que sequer constavam da denúncia que estava sendo apresentada ao então juiz Sérgio Moro.

    P relator do caso, Luís Felipe Salomão, disse que “a espetacularização do episódio” por Deltan, “não é compatível nem com o que foi objeto da denúncia e nem parece compatível com a seriedade que se exige da apuração desses fatos” e propôs indenização de R$ 100 mil, mais correção, mora e honorários da defesa, em 20%. Mas, para compor com ministros que propunham menos, reduziu a pena pecuniária a R$ 75 mil, com os mesmos complementos.

    O único voto divergente, da Ministra Gallotti, discordou da ação contra Deltan, achando que ela devia ser discutida sobre o Estado, pelo fato de que ele atuava como procurador. Mas as maioria entendeu que, por se tratar de um ato personalíssimo: usar a ilustração ofensiva em uma entrevista, a responsabilidade era pessoal.

    Foi uma enorme vitória de Lula, que pode agora reagir a qualquer reexibição daquele material, porque já reconhecido judicialmente como gerador de dano moral.

    Curtir

  10. STJ manda Deltan indenizar Lula por ‘Powerpoint”

    Fernando Brito

    Por maioria, contra apenas um voto – o da Ministra Isabel Gallotti – o Superior Tribunal de Justiça condenou o ex-produrador Deltan Dallagnoll a indeniza em R$ 75 mil, acrescido de juros de mora desde 2016, por ter exibido o famoso PowerPoint onde o ex-presidente Lula era apontado como o centro de uma organização criminosa, com acusações que sequer constavam da denúncia que estava sendo apresentada ao então juiz Sérgio Moro.

    P relator do caso, Luís Felipe Salomão, disse que “a espetacularização do episódio” por Deltan, “não é compatível nem com o que foi objeto da denúncia e nem parece compatível com a seriedade que se exige da apuração desses fatos” e propôs indenização de R$ 100 mil, mais correção, mora e honorários da defesa, em 20%. Mas, para compor com ministros que propunham menos, reduziu a pena pecuniária a R$ 75 mil, com os mesmos complementos.

    O único voto divergente, da Ministra Gallotti, discordou da ação contra Deltan, achando que ela devia ser discutida sobre o Estado, pelo fato de que ele atuava como procurador. Mas as maioria entendeu que, por se tratar de um ato personalíssimo: usar a ilustração ofensiva em uma entrevista, a responsabilidade era pessoal.

    Foi uma enorme vitória de Lula, que pode agora reagir a qualquer reexibição daquele material, porque já reconhecido judicialmente como gerador de dano moral.

    Curtir

  11. STJ manda Deltan indenizar Lula por ‘Powerpoint”

    Fernando Brito
    22/03/2022 5:46 pm

    Por maioria, contra apenas um voto – o da Ministra Isabel Gallotti – o Superior Tribunal de Justiça condenou o ex-produrador Deltan Dallagnoll a indeniza em R$ 75 mil, acrescido de juros de mora desde 2016, por ter exibido o famoso PowerPoint onde o ex-presidente Lula era apontado como o centro de uma organização criminosa, com acusações que sequer constavam da denúncia que estava sendo apresentada ao então juiz Sérgio Moro.

    P relator do caso, Luís Felipe Salomão, disse que “a espetacularização do episódio” por Deltan, “não é compatível nem com o que foi objeto da denúncia e nem parece compatível com a seriedade que se exige da apuração desses fatos” e propôs indenização de R$ 100 mil, mais correção, mora e honorários da defesa, em 20%. Mas, para compor com ministros que propunham menos, reduziu a pena pecuniária a R$ 75 mil, com os mesmos complementos.

    O único voto divergente, da Ministra Gallotti, discordou da ação contra Deltan, achando que ela devia ser discutida sobre o Estado, pelo fato de que ele atuava como procurador. Mas as maioria entendeu que, por se tratar de um ato personalíssimo: usar a ilustração ofensiva em uma entrevista, a responsabilidade era pessoal.

    Foi uma enorme vitória de Lula, que pode agora reagir a qualquer reexibição daquele material, porque já reconhecido judicialmente como gerador de dano moral.

    Curtir

  12. STJ manda Deltan indenizar Lula por ‘Powerpoint”

    Fernando Brito
    22/03/2022 5:46 pm

    Por maioria, contra apenas um voto – o da Ministra Isabel Gallotti – o Superior Tribunal de Justiça condenou o ex-produrador Deltan Dallagnoll a indeniza em R$ 75 mil, acrescido de juros de mora desde 2016, por ter exibido o famoso PowerPoint onde o ex-presidente Lula era apontado como o centro de uma organização criminosa, com acusações que sequer constavam da denúncia que estava sendo apresentada ao então juiz Sérgio Moro.

    P relator do caso, Luís Felipe Salomão, disse que “a espetacularização do episódio” por Deltan, “não é compatível nem com o que foi objeto da denúncia e nem parece compatível com a seriedade que se exige da apuração desses fatos” e propôs indenização de R$ 100 mil, mais correção, mora e honorários da defesa, em 20%. Mas, para compor com ministros que propunham menos, reduziu a pena pecuniária a R$ 75 mil, com os mesmos complementos.

    O único voto divergente, da Ministra Gallotti, discordou da ação contra Deltan, achando que ela devia ser discutida sobre o Estado, pelo fato de que ele atuava como procurador. Mas as maioria entendeu que, por se tratar de um ato personalíssimo: usar a ilustração ofensiva em uma entrevista, a responsabilidade era pessoal.

    Foi uma enorme vitória de Lula, que pode agora reagir a qualquer reexibição daquele material, porque já reconhecido judicialmente como gerador de dano moral.

    Curtir

  13. Julga mediante seus interesses pessoais e de seus amigos. Não deveria estar no cargo!

    Curtir

    • Qual sua opinião sobre decisão do TSE, a pedido do PL, proibindo manifestação de opiniões durante o livre exercício da atividade artística durante o Lolapaloozza?

      Curtir

  14. Burro, Bolsonaro quer impedir apoio de artistas a Lula em shows

    Fernando Brito 26/03/2022 6:51 pm

    Fica-se se sabendo que a manifestação da cantora Pabllo Vittar ontem, no festival Loolapalooza, gritando “Fora Bolsonaro” e andando alguns segundos entre o público com um toalha com o rosto do ex-presidente Lula, assemelha-se, segundo os advogados do atual presidente, a um “showmício” e que, portanto, a organização do festival e os artistas devem ser punidos com uma “advertência” pela Justiça Eleitoral.

    Não acredita? Está lá no Estadão a patuscada bolsonarista, agora interpretada pelos advogados de seu novo (mais um) partido, o PL.

    Evidente que uma manifestação pontual de um artista, ao final de uma apresentação privada, na qual os assistentes foram pagando ingresso, não tem nada a ver com uma exibição de caráter eleitoral, contratada e paga por candidato para fazer afluir à praça pública gente e obter apoio a sua candidatura.

    A ação bolsonarista nem vai passar da porta do TSE, onde foi apresentada, porque mesmo no julgamento que ratificou a proibição dos “showmícios”, ainda que alegadamente sem cobrança de cachê pelos artistas, ficou claro que manifestações de cunho político de artistas, desde que feitas em apresentações organizadas por eles próprios ou terceiros não-candidatos não sofrem qualquer vedação.

    Mas vai conseguir despertar irritação entre a classe e uma onda de manifestações de solidariedade a Vittar, uma pessoa que, até por razões pessoais – ela e a família moraram num acampamento do MST – tem admiração pelo ex-presidente.

    Além do fato de transformar algo que foi visto apenas por alguns que estavam mais perto do palco de onde ela desceu, pegou a toalha com a foto e caminhou por alguns segundos em assunto nacional.

    Mas é isso: o bolsonarismo é, antes de tudo, uma burrice. E um pendor autoritário e censor, ao pedir uma “advertência” ao artistas, que não consegue se controlar.

    Curtir

    • Outdoor pode, toalha não pode

      Fernando Brito 7/03/2022 10:52 am

      Numa decisão insólita, absolutamente contrária à liberdade de expressão, o sr. Raul Araújo, ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral, deferiu o pedido dos bolsonaristas e proibiu que artistas, em suas exibições privadas, manifestem suas preferências política,s como fez ontem a cantora Pabllo Vittar, ontem, no Festival Loolapaloosa, em São Paulo.

      A cantora, por alguns segundos, carregou uma toalha com o retrato de Lula, depois de ter gritado, como outros “Fora Bolsonaro”.
      Araújo é o mesmo ministro que, em duas ocasiões, quando se impetraram ações contra outdoors de apoio a Jair Bolsonaro e com xingamentos a Lula, recusou os pedidos.

      Quer dizer: outdoor pago, pode; toalha espontânea, não pode sob pena de multa de R$ 50 mil.

      “Os artistas e cantores referidos que se apresentaram no evento musical em testilha, além de destilar comentários elogiosos ao possível candidato, pediram expressamente que a plateia presente exercesse o sufrágio em seu nome, vocalizando palavras de apoio e empunhando bandeira e adereço em referência ao pré-candidato de sua preferência”, diz o ministro no documento”, segundo a CNN.

      Ora, “palavras de apoio” e “empunhar adereço’ não podem ser considerados “um showmício”, é evidente.

      Nem é preciso dizer que, caso não seja revertida, vai ser afrontada por todos os que prezam a liberdade de manifestação.

      Curtir

  15. Outdoor pode, toalha não pode

    Fernando Brito 7/03/2022 10:52 am

    Numa decisão insólita, absolutamente contrária à liberdade de expressão, o sr. Raul Araújo, ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral, deferiu o pedido dos bolsonaristas e proibiu que artistas, em suas exibições privadas, manifestem suas preferências política,s como fez ontem a cantora Pabllo Vittar, ontem, no Festival Loolapaloosa, em São Paulo.

    A cantora, por alguns segundos, carregou uma toalha com o retrato de Lula, depois de ter gritado, como outros “Fora Bolsonaro”.
    Araújo é o mesmo ministro que, em duas ocasiões, quando se impetraram ações contra outdoors de apoio a Jair Bolsonaro e com xingamentos a Lula, recusou os pedidos.

    Quer dizer: outdoor pago, pode; toalha espontânea, não pode sob pena de multa de R$ 50 mil.

    “Os artistas e cantores referidos que se apresentaram no evento musical em testilha, além de destilar comentários elogiosos ao possível candidato, pediram expressamente que a plateia presente exercesse o sufrágio em seu nome, vocalizando palavras de apoio e empunhando bandeira e adereço em referência ao pré-candidato de sua preferência”, diz o ministro no documento”, segundo a CNN.

    Ora, “palavras de apoio” e “empunhar adereço’ não podem ser considerados “um showmício”, é evidente.

    Nem é preciso dizer que, caso não seja revertida, vai ser afrontada por todos os que prezam a liberdade de manifestação.

    Curtir

  16. CHUPA QUE É DE UVA…………BOLSONARO VAI PERDER AS ELEIÇOES PRO LULA…..O MAIOR PRESIDENTE DO BRASIL

    Curtir

  17. Primeira vez que concordo com o bozo: “não é Esquerda contra Direita, é o Bem contra o Mal”. Disse tudo !

    Curtir

    • Que é isso, companheiro?
      Em pleno 31/03 (aniversário do golpe 64) invocar o Símbolo Nacional???

      Curtir

  18. Após descumprir ordem, deputado Daniel Silveira recebe tornozeleira eletrônica e volta a ser monitorado
    Deputado foi à superintendência da PF, de onde saiu já com o dispositivo. Investigado por atos antidemocráticos, Silveira cumpriu ordem após Alexandre de Moraes ameaçar bloqueio de bens.

    Por Luiz Felipe Barbiéri, Wellington Hanna e Isabela Camargo, g1, TV Globo e GloboNews — Brasília

    31/03/2022 15h55 Atualizado em 22 minutos

    Deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) exibe tornozeleira eletrônica ao deixar prédio da PF em Brasília — Foto: Isabela Camargo/GloboNews
    Deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) exibe tornozeleira eletrônica ao deixar prédio da PF em Brasília — Foto: Isabela Camargo/GloboNews

    O deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) colocou tornozeleira eletrônica nesta quinta-feira (31). O parlamentar chegou à superintendência da Polícia Federal em Brasília pouco antes das 15h e deixou o prédio 50 minutos depois, já com o dispositivo.

    O parlamentar concordou com a instalação do equipamento de monitoramento após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinar, na quarta-feira (30), que o Banco Central bloqueasse as contas bancárias ligadas a Silveira para garantir o pagamento de uma multa diária de R$ 15 mil caso o deputado continuasse se recusando a ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

    Silveira é réu no Supremo por estimular atos antidemocráticos e ameaçar instituições, entre elas o STF. Ele chegou a ser preso por divulgar um vídeo com ameaças a ministros do Supremo, mas foi liberado em novembro do ano passado com a condição de não se comunicar com outros investigados e ficar fora das redes sociais.

    Moraes determinou no dia 25 que Silveira passasse a usar a tornozeleira eletrônica. A ordem do ministro do STF atendeu a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que apontou que, contrariando decisão judicial, o deputado havia participado de atos políticos e seguia praticando “comportamento delitivo contra o Estado Democrático de Direito, ameaçando e proferindo inúmeras ofensas” contra o Supremo e ministros da Corte.

    Daniel Silveira aceita usar tornozeleira eletrônica após STF impor bloqueio de bens
    Daniel Silveira aceita usar tornozeleira eletrônica após STF impor bloqueio de bens

    Antes de colocar a tornozeleira, Daniel Silvera esteve no Palácio do Planalto e, da primeira fila dos convidados, participou de cerimônia de troca de ministros do governo com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

    Recusa
    Em discurso no plenário nesta terça (29), Silveira afirmou que não aceitaria a decisão do ministro. Ele chegou a dormir no gabinete para evitar cumprir a decisão de Moraes, alegando que a polícia não pode agir dentro do Congresso Nacional.

    No entanto, Moraes autorizou a Polícia Federal e a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal a cumprirem a decisão dentro da Câmara dos Deputados, se necessário.

    Segundo o entendimento do ministro, a colocação da tornozeleira não atrapalha o exercício do mandato do parlamentar, por isso, a Câmara não precisaria ser comunicada para se posicionar sobre a determinação.

    Policiais federais e civis estiveram na Câmara para cumprir a ordem judicial de colocação de tornozeleira eletrônica no deputado nesta quarta, mas ele se recusou a assinar o termo de cumprimento da medida.

    Curtir

  19. Após descumprir ordem, deputado Daniel Silveira recebe tornozeleira eletrônica e volta a ser monitorado
    Deputado foi à superintendência da PF, de onde saiu já com o dispositivo. Investigado por atos antidemocráticos, Silveira cumpriu ordem após Alexandre de Moraes ameaçar bloqueio de bens.

    Por Luiz Felipe Barbiéri, Wellington Hanna e Isabela Camargo, g1, TV Globo e GloboNews — Brasília

    31/03/2022 15h55 Atualizado em 22 minutos

    Deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) exibe tornozeleira eletrônica ao deixar prédio da PF em Brasília — Foto: Isabela Camargo/GloboNews
    Deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) exibe tornozeleira eletrônica ao deixar prédio da PF em Brasília — Foto: Isabela Camargo/GloboNews

    O deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) colocou tornozeleira eletrônica nesta quinta-feira (31). O parlamentar chegou à superintendência da Polícia Federal em Brasília pouco antes das 15h e deixou o prédio 50 minutos depois, já com o dispositivo.

    O parlamentar concordou com a instalação do equipamento de monitoramento após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinar, na quarta-feira (30), que o Banco Central bloqueasse as contas bancárias ligadas a Silveira para garantir o pagamento de uma multa diária de R$ 15 mil caso o deputado continuasse se recusando a ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

    Silveira é réu no Supremo por estimular atos antidemocráticos e ameaçar instituições, entre elas o STF. Ele chegou a ser preso por divulgar um vídeo com ameaças a ministros do Supremo, mas foi liberado em novembro do ano passado com a condição de não se comunicar com outros investigados e ficar fora das redes sociais.

    Moraes determinou no dia 25 que Silveira passasse a usar a tornozeleira eletrônica. A ordem do ministro do STF atendeu a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que apontou que, contrariando decisão judicial, o deputado havia participado de atos políticos e seguia praticando “comportamento delitivo contra o Estado Democrático de Direito, ameaçando e proferindo inúmeras ofensas” contra o Supremo e ministros da Corte.

    Daniel Silveira aceita usar tornozeleira eletrônica após STF impor bloqueio de bens
    Daniel Silveira aceita usar tornozeleira eletrônica após STF impor bloqueio de bens

    Antes de colocar a tornozeleira, Daniel Silvera esteve no Palácio do Planalto e, da primeira fila dos convidados, participou de cerimônia de troca de ministros do governo com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

    Recusa
    Em discurso no plenário nesta terça (29), Silveira afirmou que não aceitaria a decisão do ministro. Ele chegou a dormir no gabinete para evitar cumprir a decisão de Moraes, alegando que a polícia não pode agir dentro do Congresso Nacional.

    No entanto, Moraes autorizou a Polícia Federal e a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal a cumprirem a decisão dentro da Câmara dos Deputados, se necessário.

    Segundo o entendimento do ministro, a colocação da tornozeleira não atrapalha o exercício do mandato do parlamentar, por isso, a Câmara não precisaria ser comunicada para se posicionar sobre a determinação.

    Policiais federais e civis estiveram na Câmara para cumprir a ordem judicial de colocação de tornozeleira eletrônica no deputado nesta quarta, mas ele se recusou a assinar o termo de cumprimento da medida.

    Curtir

  20. STF decide manter medidas contra Silveira; só Mendonça e Marques divergem Deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), na sede da Polícia Federal, em Brasília Imagem: Eduardo Militão/UOL Do UOL, em São Paulo e em Brasília 01/04/2022 13h39Atualizada em 02/04/2022 01h13 Por 9 votos a 2, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu manter a decisão do ministro Alexandre de Moraes de impor punições ao deputado federal bolsonarlsta Daniel Silveira (União Brasil-RJ) caso ele volte a recusar o uso da tornozeleira eletrônica. Apenas os ministros Nunes Marques e André Mendonça, ambos indicados à Corte pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), divergiram do colega. Seguiram Moraes o presidente do Supremo, … – Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2022/04/01/stf-maioria-caso-daniel-silveira.htm?cmpid=copiaecola

    Curtir

  21. Se me permitirem vou dar o meu pitaco!
    Em primeiro lugar qualquer pessoa que passou, mesmo que não tenha concluído o curso de direito, alguém que tenha assistido uma única aula, com absoluta certeza ouvi dos professores; ” A suprema corte do Brasil NÃO é uma corte técnica ela é politica! E isso é um fato! Simples assim.
    Poderia ficar aqui dando exemplos e mais exemplos disto….quem acredita no STF é porque não conhece o STF! Deve acreditar que o Lulladrão
    é a alma mais honesta deste pais! KKKKKKK
    O STF é um festival de vaidades, muito verniz, muito rapapé, muito frufu, muito ora veja……. mas dali só sai decisões para lá de questionáveis!
    Isso é fato! E a história está ai para provar isso!
    Simples exemplo; alguém por mais cega que seja, fica a dica kkkkkk, pode crer numa corte que leva 123 ( cento e vinte e três) anos, repito CENTO E VINTE E TRÊS ANOS para dar uma sentença final num processo! Pelo exemplo já acaba a discussão!
    Sem contar que não existe em nenhuma lei escrita, repito lei e não regulamento interno que deve se submeter a lei maior que é a CF, o “recurso” pedido de vista ad aeternum e que é usado sem a menor cerimônia pelos membros desta corte!
    Em segundo lugar o fato de alguém ter passado pela cadeira de secretário estadual de segurança, ainda mais do estado de São Paulo, não é e nunca foi, e pelo visto nunca será, referência de boa coisa, é só ver a quantidade de nulidades, inúteis, venais, trapaceiros, etc, etc, etc….que passaram por esta cadeira! Ou alguém irá discordar deste fato!
    E para finalizar tomando como minhas as palavras de um juiz italiano, quando da polêmica da extradição do assassino, agora confesso Cesare Battisti, que teve vida mansa no Brasil na gestão PTRALHA, disse esse juiz: “Ao que me consta juiz/ministro do STF do Brasil entende muito é de mulata, quanto ao dizer sobre direito entendemos nos”, neste caso o judiciário italiano.

    Curtir

  22. STF determina que Daniel Silveira seja investigado por desobediência à Justiça

    Apenas Nunes Marques e André Mendonça, indicados por Bolsonaro à Corte, discordaram das medidas impostas pelo minsitro Alexandre de Moraes

    Mariana Muniz
    01/04/2022 – 13:45 / Atualizado em 01/04/2022 – 21:31
    Daniel Silveira comparece a Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, para colocar a tornozeleira eletrônica exigida pelo ministro do STF Alexandre de Moraes Foto: Cristiano Mariz/O Globo
    Daniel Silveira comparece a Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, para colocar a tornozeleira eletrônica exigida pelo ministro do STF Alexandre de Moraes Foto: Cristiano Mariz/O Globo
    Newsletters
    PUBLICIDADE

    BRASÍLIA — Nove dos 11 integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) votaram nesta sexta-feira a favor da aplicação da medidas impostas pelo ministro Alexandre de Moraes ao deputado Daniel Silveira (UB-RJ). No mesmo julgamento, eles decidiram pela abertura de um inquérito para apurar a conduta do parlamentar, que resistiu a cumprir ordens judiciais do magistrado, como a instalação de uma tornozeleira eletrônica. Discordaram do entendimento da maioria apenas os ministros Nunes Marques e André Mendonça, ambos indicados à Corte pelo presidente Jair Bolsonaro, aliado de Silveira.

    Leia: Fachin diz que a Justiça Eleitoral está sob ataque, e a democracia, ameaçada

    Votaram de maneira favorável às medidas os ministros Edson Fachin, Cármen Lúcia, Dias Toffoli, Rosa Weber, Gilmar Mendes, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Ricardo Lewandowski, além de Alexandre de Moraes. A ministra Cármen Lúcia, que apresentou um voto escrito, disse que o quadro exposto na decisão de Moraes “evidencia o descaso do réu em relação às decisões proferidas” pelo STF.

    “Desde a substituição da prisão do réu por medidas cautelares diversas, ele vem reiteradamente descumprimento as determinações deste Supremo Tribunal”, afirmou.

    Leia: MDB e União Brasil terão de avalizar Doria, diz presidente do PSDB

    Ao abrir a divergência, Nunes Marques fez críticas à decisão do colega, e foi acompanhado por Mendonça.

    Indicado por Bolsonaro ao STF em 2020, Nunes Marques concordou o pedido da defesa do deputado bolsonarista e entendeu que as restrições impostas por Moraes, como a proibição de entrar nas redes sociais ou de frequentar eventos públicos, “se tornaram excessivas, porque estão a restringir o pleno exercício do mandato parlamentar, principalmente considerando que estamos em ano eleitoral e as eleições se avizinham, devendo o pleito ocorrer daqui a pouco mais de 6 meses”.

    “Como poderá o acusado fazer campanha e prestar contas a seu eleitor de forma plena com essas restrições? Encontrará ainda que involuntariamente em sua campanha com vários investigados nos inquéritos acima referidos e, se for privado de suas redes sociais, ficará em imensa desvantagem em relação aos outros candidatos seus eventuais concorrentes”, defendeu Nunes Marques, que apresentou um voto escrito.

    De acordo com Nunes Marques, “se o acusado não puder atualmente usar suas redes sociais para ouvir seu eleitor e prestar contas de seu mandato e, tampouco em futuro próximo, caso se candidate ao mesmo ou outro cargo, ficará em séria desvantagem, uma vez que é fato notório hoje a importância das redes sociais para essas duas atividades”.

    PUBLICIDADE

    O deputado recolocou a tornozeleira eletrônica, na Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal, na tarde desta quinta-feira. O deputado decidiu acolher a ordem depois que Moraes endureceu as condições e determinou multa diária de R$ 15 mil e bloqueio de suas contas bancárias. Silveira havia passado os dois dias anteriores dentro da Câmara dos Deputados para impedir que a PF pudesse cumprir a ordem judicial.

    DA ‘FUGA’ NA CÂMARA À RECOLOCAÇÃO DA TORNOZELEIRA, A SEMANA DE CRISE ENTRE SILVEIRA E O STF
    1 de 11

    O deputado Daniel Silveira caminha no plenário da Câmara dos Deputados, onde se refugiou para evitar que a PF cumprisse a ordem de Moraes Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo – 29/03/2022
    O deputado Daniel Silveira caminha no plenário da Câmara dos Deputados, onde se refugiou para evitar que a PF cumprisse a ordem de Moraes Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo – 29/03/2022
    Silveira usou a tribuna da Câmara para reagir contra determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF, para que voltasse a usar a tornozeleira Foto: Paulo Sergio / Câmara dos Deputados – 29/03/2022
    Silveira usou a tribuna da Câmara para reagir contra determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF, para que voltasse a usar a tornozeleira Foto: Paulo Sergio / Câmara dos Deputados – 29/03/2022
    Silveira circula livremente ao lado da deputada Aline Sleutjes no Plenário da Câmara Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    Silveira circula livremente ao lado da deputada Aline Sleutjes no Plenário da Câmara Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    Luiz Lima leva colchão para Daniel Silveira dormir no gabinete Foto: Reprodução
    Luiz Lima leva colchão para Daniel Silveira dormir no gabinete Foto: Reprodução
    Deputado Daniel Silveira no Plenário da Câmara após dormir em gabinete Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    Deputado Daniel Silveira no Plenário da Câmara após dormir em gabinete Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    PUBLICIDADE
    Silveira recebeu apoio de outros parlamentares da Casa Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    Silveira recebeu apoio de outros parlamentares da Casa Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    O deputado Daniel Silveira Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    O deputado Daniel Silveira Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    Daniel Silveira e Flávio Bolsonaro durante coletiva na Câmara dos Deputados, netsa quarta-feira Foto: CRISTIANO MARIZ / Agência O Globo
    Daniel Silveira e Flávio Bolsonaro durante coletiva na Câmara dos Deputados, netsa quarta-feira Foto: CRISTIANO MARIZ / Agência O Globo
    Daniel Silveira comparece à Superintendência da Polícia Federal em Brasília para recolocar a tornozeleira eletrônica exigida pelo ministro do STF Alexandre de Moraes Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    Daniel Silveira comparece à Superintendência da Polícia Federal em Brasília para recolocar a tornozeleira eletrônica exigida pelo ministro do STF Alexandre de Moraes Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    Daniel Silveira recoloca tornozeleira eletrônica na PF após ordem de Moraes, que determinou multa diária de R$ 15 mil e bloqueio das contas bancárias do parlamentar caso não cumprisse a ordem judicial Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    Daniel Silveira recoloca tornozeleira eletrônica na PF após ordem de Moraes, que determinou multa diária de R$ 15 mil e bloqueio das contas bancárias do parlamentar caso não cumprisse a ordem judicial Foto: Cristiano Mariz / Agência O Globo
    PUBLICIDADE
    Silveira durante solenidade de posse e despedida de ministros no Palácio do Planalto, nesta quinta Foto: CRISTIANO MARIZ / Agência O Globo
    Silveira durante solenidade de posse e despedida de ministros no Palácio do Planalto, nesta quinta Foto: CRISTIANO MARIZ / Agência O Globo
    Daniel Silveira chegou a ser preso em fevereiro do ano passado, após veicular vídeo com ataques aos ministros do STF, mas depois foi solto com o estabelecimento de medidas cautelares, como a de não manter contato com outros investigados por atos antidemocráticos e não participar de eventos públicos. Por ter descumprido algumas dessas cautelares, Moraes determinou a instalação de tornozeleira eletrônica no deputado. Ele é réu em uma ação penal no STF por ataques feitos aos ministros da Corte.

    De terça para quarta, Silveira passou a noite em seu gabinete para evitar cumprir a ordem de colocar tornozeleira eletrônica, determinada por Moraes na última sexta-feira. O ministro, no despacho desta quarta, classificou a decisão do parlamentar de “estranha e esdrúxula”, “onde o réu utiliza-se da Câmara dos Deputados para esconder-se da Polícia e da Justiça, ofendendo a própria dignidade do Parlamento, ao tratá-lo como covil de réus foragidos da Justiça”.

    Curtir

  23. Pesquisa Quest: “plebiscito” está cada vez mais claro

    Fernando Brito 07/04/2022 10:39 am

    A pesquisa Quaest – mais confiável, porque presencial e não telefônica – é a primeira a mostrar que, de fato, há uma recuperação eleitoral de Janir Bolsonaro, embora não a ponto de deixar Lula fora dos limites de uma vitória ainda em 1° turno, porque alcança 45% das intenções de voto, conta 43% da soma de todos os seus adversários, a maior parte de Jair Bolsonaro, que marca 31%

    Sem Moro, a semimorta “3ª via” baixa a um total de 12%: 6 para Ciro, 6 para a soma dos demais. Continua a ser “o rato que ruge”.

    Bolsonaro colhe algum efeito positivo pela concessão do “Auxílio Brasil”. Sua avaliação, entre os que ganham menos de 2 salários-mínimos cresce 7 pontos desde que começou seu pagamento, o que não impede que Lula siga liderando com muita folga neste segmento (56% a 24%).

    O grau de rejeição de Jair Bolsonaro, embora em queda, como na pesquisa Ipespe de ontem, permanece altíssimo (61%), da mesma forma com se mantém inalterado, em pata muito mais baixo, o de Lula (42%).

    Ambos têm o voto muito cristalizado (não mudariam o voto 74% dos que votam em Lula e 69% dos bolsonaristas, enquanto apenas 33% dos “nem Lula, nem Bolsonaro” admite mudar sua posição. Ou seja, dois terços deles podem ser atraídos pelo chamado “voto útil”.

    Nas simulações de 2° turno, percebe-se a tendência que, se acontecer esta “antecipação”, desta migração.

    Lula vai a 55%, crescendo 10 pontos em relação ao que teria no primeiro turno; Bolsonaro soma apenas mais 3%, indo a 34%. É sempre bom recordar que, como só os votos em candidato contam para a formação do percentual oficial, isto representaria 61,8% para Lula e 38,2% para Bolsonaro.

    E isso é aproximadamente (até ligeiramente maior) do que Lula teve em duas eleições com 2° turno, 2002 e 2006.

    Portanto, se o crescimento de Bolsonaro, que tem a máquina e tem as armas, deve fazer Lula redobrar tanto campanha quanto os cuidados, a marcha do processo eleitoral, a menos de seis meses das urnas, segue dentro do que poderia ser esperado.

    A pesquisa ( na íntegra, aqui) ouviu 2.000 pessoas presencialmente entre os 1 e 3 de abril. A a margem de erro é de 2 pontos percentuais e o registro foi realizado no Tribunal Superior Eleitoral sob o código BR-00372/2022.

    Curtir

  24. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Os esquerdopatas estão desesperados, o “Chefe da Gang” esta GAGÁ, ainda por cima juntou-se a outro “Zero a Esquerda” pra vice (Alckmin), o Gazela Saltitante desesperadamente falsificou a assinatura de uma Senadora, para criar nova “CPI da Fumaça” vai ter que se explicar

    Eles só dão tiro no pé, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Isso é muito bom, temos que enterrar de vez esses “Vermelhos Lesa-Pátria” Bolsonaro leva essa no primeiro turno, o bem sempre prevalecerá.

    Faço minhas as palavras do sábio Silvio Santos:

    COMUNISMO SÓ DEU CERTO NA CADEIA, TODOS MORAM IGUAIS, VESTEM-SE IGUAIS, COMEM IGUAIS E SÃO SUSTENTADOS PELO GOVERNO”

    Curtir

    • Tá certo! Faz carnê do Bau a preço de Shoptime e na hora que a “colega de trabalho” vai resgatar produto, a qualidade é 1,99… Sai pra lá, sai pra lá… Ah-Ah-Ahai, hi-hi!

      Curtir

  25. Essa eleição Jair Bolsonaro já levou novamente, falam em números (questionaveis) de “PESQUISAS” então manda o molusco ir pra rua, vai conhecer a verdadeira pesquisa!

    Não adianta a midia suja tentar enganar o povo como antes, hoje as informações chegam através das redes, há pouco tempo era praticamente só através da globolixo, que manipulava o povão e isso acabou.

    Lula é um descondenado solto, porém preso em sí, não pode sair até a esquina para tomar um café, para ir a praia tem que isolar a orla, só anda em jatinho particular, em voos normais nunca mais, somente se encontra com várias pessoas em locais reservados, em acampamentos de sem terra, em centrais sindicais ou conforme divulgado a poucos dias, foi visto numa festa particular rodeado apenas das viuvas da “Rouanet”

    PT já era, fim de papo.

    Curtir

  26. KKKKKKKKKKKKKKKKKaro, e daí?

    Fernando Brito 09/04/2022 12:20 pm

    No dia em que o Brasil voltou a registrar, depois de 28 anos, uma inflação no mês de março, o sujeito que ocupa a presidência da República produziu uma declaração que foi para a capa dos sites de notícias:

    “Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…“, escreveu ele, debochando da declaração de Lula e Geraldo Alckmin de que eram companheiros na missão de derrotá-lo em outubro.

    A carestia, que apavora os mais pobres todos os dias, essa não mereceu nem um comentário, nem uma providência exceto a política de catar moedas para distribuir, como “santinhos”, na cata de votos.

    Política econômica, nem pensar: estamos ao sabor dos ventos, da guerra, das commodities e do capital de aluguel que entra atrás dos juros e sairá assim que lucrar com a diferença de taxas.

    Espera-se, kkkkkkkkkkkkkk…, que isso aconteça depois de capturados os votos dos otários que gritam pelo “Mito”.

    Bolsonaro ri, na verdade, a idiotice socialmente espalhada por uma sociedade em que o ódio tomou o controle dos cérebros e boa parte da classe média o apoia exatamente pela estupidez e brutalidade que ele expressa e que ela própria acha, mesmo que uma parcela não o diga, a forma de “dar um jeito neste país”.

    São radicalmente “contra a corrupção” exceto, claro, a de lotear bilhões da verba pública com o Centrão, porque, afinal, Bolsonaro precisa “governar”, ainda que isso seja basicamente andar de motocicleta, comer pastel, sacolejar num cavalo ou vomitar ofensas e palavrões.

    Sua desconexão com a realidade parece infinita. A culpa pelos aumentos de preços e pela crise econômica é, quando não dos “comunistas” dos criptocomunista do “fica em casa”, ainda que tenhamos ficado tão pouco que nos morreram quase 700 mil pessoas.

    E daí?

    Curtir

  27. Senadora aponta fraude em assinatura de apoio à CPI do MEC; Randolfe diz que não há ‘evidência’

    Senadores cobram investigação do Senado para apurar o envio de um ofício em nome de Rose de Freitas (MDB-ES) em apoio à criação da CPI destinada a investigar irregularidades no MEC.
    Por Marcela Mattos, g1 — Brasília

    08/04/2022 14h39 Atualizado há um dia

    A senadora Rose de Freitas (MDB-ES) disse nesta quinta-feira (7) que um requerimento, enviado em nome dela com o apoio à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) destinada a investigar irregularidades no Ministério da Educação (MEC), é uma “fraude” e cobrou do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), uma apuração sobre o caso.

    A CPI do MEC atingiu nesta sexta-feira (8) a quantidade mínima de 27 assinaturas para a criação – e não contabiliza a assinatura da senadora. O regimento do Senado prevê que o requerimento de abertura da comissão deve ser assinado por, no mínimo, um terço dos 81 senadores. Até ser protocolada e lida, porém, os apoiamentos podem ser retirados, o que inviabilizaria a formação do colegiado.

    Valdo: Senadores governistas já admitem CPI do MEC
    Valdo: Senadores governistas já admitem CPI do MEC

    “Isso é uma fraude. Quem fez isso tem que ser expulso desta Casa, está se apropriando do meu crédito político-pessoal, da minha responsabilidade e da minha autonomia. Ela é intransferível. Ninguém no meu gabinete tem autorização para assinar nada, nem parabéns, porque faço questão de eu mesma exercer esse mandato e as minhas relações, sejam elas pessoais ou políticas”, disse a senadora durante sessão do plenário desta quinta-feira (7).

    Assinado em nome da senadora Rose de Freitas, um ofício datado de 4 de abril foi enviado à Secretaria-Geral da Mesa do Senado solicitando “a adição de minha assinatura” ao requerimento de criação da CPI.

    No entanto, um segundo documento, também marcado com a mesma data, pediu “a retirada de minha assinatura” ao mesmo requerimento.

    O autor do pedido de criação da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que “a senadora ou alguém autorizado por ela” inseriu a assinatura no sistema próprio do Senado, cuja tecnologia “garante a integridade e autenticidade” da manifestação.

    Randolfe oficializou um pedido para Pacheco investigar o caso. No ofício, ele ressalta que, no momento em que pediu a retirada da assinatura, Rose de Freitas não apontou para nenhuma suposta fraude e que não há “qualquer evidência” de que o problema aconteceu.

    “Ora, só requer a retirada de um apoio quem o oferecera legitimamente antes, de modo a nos causar perplexidade a alegação de que o primeiro requerimento resultaria de fraude. Tal alegação, para além de soar francamente inverossímil, não se faz acompanhar de qualquer evidência e, como orienta o melhor direito, quem alega uma falsidade deve comprová-la de modo circunstanciado”, disse o senador no ofício.

    O senador lembrou ainda que, durante a coleta de assinaturas para a CPI da Covid, a senadora assinou o apoio, depois sinalizou para um recuou e, ao fim, acabou assinando o requerimento de criação da comissão.

    No ofício, Randolfe ainda anexou ofício que mostra que o pedido de retirada da assinatura, apesar de ser datado em 4 de abril, foi recebido pelo comando do Senado dois dias depois, em 6 de abril.

    CPI do MEC
    De acordo com o requerimento apresentado por Randolfe Rodrigues, a CPI deverá ter 11 integrantes titulares e mesmo número de suplentes, 90 dias de prazo e limite de despesas de R$ 90 mil.

    O colegiado deverá investigar possíveis “irregularidades e crimes praticados na destinação das verbas públicas do Ministério da Educação e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE)”.

    No pedido de criação, Randolfe cita reportagens que revelaram que o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro teria priorizado amigos de dois pastores evangélicos, a pedido de Jair Bolsonaro, na destinação de verbas do MEC para construção de escolas e creches em vários municípios brasileiros.

    Em troca, os religiosos teriam cobrado propina de prefeitos, com pedidos de dinheiro e até em ouro.

    Após a publicação das reportagens, Milton Ribeiro pediu demissão do Ministério da Educação. Ele e os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, que estariam envolvidos no esquema, chegaram a ser convidados a prestar esclarecimentos na Comissão de Educação do Senado, mas não compareceram.

    Pressão políitica
    A criação de CPIs em ano eleitoral é vista com resistência por congressistas. Isso porque alguns parlamentares dizem que esse tipo de comissão, que costuma ter ampla cobertura da mídia, pode ser utilizado como palanque político.

    O senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse ao blog do jornalista Valdo Cruz que colegas no Senado relataram que estão sofrendo pressão do governo ou para retirar ou para não assinar o requerimento de criação da CPI.

    “Ouvi relato de senadores aqui que a equipe do presidente está fazendo ameaças de bloquear a liberação de verbas do Orçamento Secreto caso eles assinem o requerimento da CPI do MEC”, afirmou Renan Calheiros.

    Curtir

  28. SENADORES RETIRAM SUAS ASSINATURAS DA CPI DO MEC EM TROCA DE ENGORDAREM SEUS BOLSOS. VERGONHA !

    Curtir

  29. A Terra plana e o lado escuro da Lua

    Fernando Brito 10/04/2022 12:14 pm

    É surpresa para ninguém a retirada de duas assinaturas de senadores do Podemos – os ex-moristas Oriovisto Guimarães e Styvenson Valentim – do pedido de instalação de uma PI para apurar a corrupção no MEC.

    É que, como diz o chefe do Centrão, Ciro Nogueira, a corrupção, agora, “é virtual”.

    E, portanto, como disse Janio de Freitas, “não há polícia, não há Judiciário, não há Congresso, não há Ministério Público, não há lei que submeta Bolsonaro”.

    O país que arde na inflação, “está dando certo” com a “dobradinha centrão e militares” segundo o mesmo Nogueira.

    Vivemos já nem na Terra Plana, mas no lado escuro da Lua, de onde não se pode ver o que se passa aqui.

    Planos para o próximo governo? Deus, pátria e família, além de um presidente que alterna seus compromissos entre motociatas, cavalgadas e leitos hospitalares quando surgem notícias negativas.

    Desculpe o leitor dominical, mas desanima tentar analisar o nonsense que, paradoxalmente, faz sentido e deve continuar para algo entre 25 e 30% dos brasileiros.

    E ainda mais inacreditável que o bolsonarismo mais insano esteja nas faixas com maior renda e, incrível, com maior formação educacional.

    Como tem sido afirmado aqui, não estamos diante de uma eleição normal, mas de uma chance de voltarmos a um grau de civilidade e de racionalidade sem o qual nem mesmo a divergência política pode acontecer sem tornar-se guerra.

    Curtir

  30. Lula e Geraldo Alckmin!!!!!!!!!! Lé com Cré!!!!!!!!!!!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Se o coisa ruim oferecer união ao “molusco” (de novo) ele aceitará na hora, o PT não é mais curva de Rio, ele é curva dos ESGOTOS podres…….

    Curtir

  31. Povo do bem, mudem suas fontes de notícias, Globo, Uol, Yahoo, Folha, Veja, isto é, etc, etc. são fontes militantes que só propagam a desinformação.
    A Classe Artística “Sangue Suga” esta revoltada pois tornaram-se viuvas da Lei Rouanet, mudem para redes sociais sérias, verão o que de fato esta sendo feito e o que tem mudado positivamente no nosso país.
    Não fiquem a mercê de informações negativas da mídia esquerdopata, acordem, existe liberdade para pesquisas a vontade na web, procurem a realidade.
    Infelizmente os poderes (Senado, Câmara e STF) estão aparelhados, só se manifestam contra o Governo Federal, por outro lado a OAB se faz de morta frente aos abusos cometidos contra a constituição.
    Enfim contra tudo e contra todos (Assumiu o País em Frangalhos, 2 anos de Pandemia, gastos Bilionários com auxílios, sem nenhum apoio político) o Governo fez milagres, os números estão ai, só tem melhorado.

    Visite o site “privado” entregasdogoverno.com

    Curtir

  32. Povo do bem, mudem suas fontes de notícias, Globo, Uol, Yahoo, Folha, Veja, isto é, etc, etc. são fontes militantes que só propagam a desinformação.
    A Classe Artística “Sangue Suga” esta revoltada pois tornaram-se viuvas da Lei Rouanet, mudem para redes sociais sérias, verão o que de fato esta sendo feito e o que tem mudado positivamente no nosso país.
    Não fiquem a mercê de informações negativas da mídia esquerdopata, acordem, existe liberdade para pesquisas a vontade na web, procurem a realidade.
    Infelizmente os poderes (Senado, Câmara e STF) estão aparelhados, só se manifestam contra o Governo Federal, por outro lado a OAB se faz de morta frente aos abusos cometidos contra a constituição.
    Enfim contra tudo e contra todos (Assumiu o País em Frangalhos, 2 anos de Pandemia, gastos Bilionários com auxílios, sem nenhum apoio político) o Governo fez milagres, os números estão ai, só tem melhorado.

    Visite o site “privado” entregasdogoverno.com

    Curtir

  33. Escrevo o mesmo que aquela séria Jornalista gravou:
    Ladrões votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Traficantes votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Estupradores votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Pedófilos votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Integrantes do MST votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Aqueles ladrões que roubam seu celular e matam por isso, votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Aqueles que se manifestam nas ruas destruindo tudo, quebrando imagens bíblicas, enfiando a cruz no orifício anal votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Aqueles que participam da marcha da maconha, da legalização das várias drogas, do homossexualismo explícito votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Aqueles que rasgam e ateiam fogo na nossa bandeira votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Os integrantes das várias facções criminosas espalhadas pelo Brasil votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Corruptos votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Bandidos em geral votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Vagabundos votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Quem não faz nada a não ser mamar nos “bolsas família” da vida votam em quem, Bolsonaro ou Lula?
    Então conseguiram enxergar o perfil do tipo de pessoa que persegue nosso presidente diariamente???????
    Ou preciso DESENHAR
    Agora vocês que querem se unir a esses tipos de pessoas, fiquem a vontade, votem em Lula, pois eu sei muito bem o que quero para mim, para minha família e para o meu país!!!!!!!

    Curtir

    • Ta bonito no pedaço hein, colega! Pagando 8,00 na gasosa num país que tem petróleo…. 25,00 em meio kg de café num país que tem café… 50,00 no kg de bife no país da agropecuária e achando que tá tudo bem… parabéns! Tá com o bolso bonito, hein!!! Tá se matando no bico ? Kkk

      Curtir

  34. Não há lei para Bolsonaro

    Fernando Brito 11/04/2022 6:36 pm

    A Advocacia Geral da União, num completo desvio de finalidade da sua função de defender o Estado brasileiro, bem poderia trocar seu nome para “Advocacia Geral do Jair”, fazendo par com o Ministério “Impudico” Federal na tarefa de blindarem o atual Presidente da República de qualquer consequência de seus atos.

    Agora, pede o arquivamento da investigação sobre o patrocínio presidencial aos “pastores do MEC”, dizendo haver apenas uma “menção indevida” a Jair Bolsonaro no áudio em que o ex-ministro da Educação, Mílton Ribeiro, diz que atendê-los é um “pedido do Presidente”.

    Em outro front, no Congresso, cuida-se de fazer alguns acertos para que senadores retirem suas assinaturas de apoio a uma CPI do MEC, para apurar estes e outros fatos, em troca do que deixo ao leitor imaginar.

    A economia com que tratei esta natimorta CPI já era fruto da constatação de que, no Brasil de instituições corrompidas que há hoje, nada é capaz de furar a blindagem de impunidade que se construiu ao redor dele.

    Nem mesmo um possível crime de morte encomendada, como sugerem as gravações da família do ex-PM miliciano Adriano da Nóbrega anima promotores e procuradores a investigar.

    Nem aquela morte, nem as quase 700 mil outras que restaram da pandemia criminosamente “enfrentada” com Ivermectina, Cloroquina e outras prescrições charlatãs.

    Esqueçam qualquer possibilidade de que Jair Bolsonaro venha a ser responsabilizado por estas e quaisquer outras barbaridades.

    O sistema de Justiça no Brasil só voltará a existir com a sua saída do poder, isso se não for bem sucedido em continuar nele, mesmo derrotado eleitoralmente.

    Curtir

  35. Exército comprou 35 mil cxs de Viagra. Achei estranho. Pelo mal humor desses bolsomínions, achei que eles nem trepavam! Kkk

    Curtir

  36. ‘Me ajuda que te ajudo’ de pastores é ajuda em quê

    Fernando Brito 12/04/2022 9:40 pm

    O depoimento do presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Marcelo Ponte, à Controladoria Geral da União, divulgado agora há pouco, equivale a uma confissão de que o pastor Arílson Moura, que agia no MEC em parceria com o também pastor Gilmar Santos, segundo as palavras do ex-ministro Mílton Ribeiro por “um pedido especial” de Jair Bolsonaro é, literalmente, uma confissão de que havia mecanismos ilícitos na liberação – ou, pelo menos, na aprovação – de verbas da Educação.

    Dizer que ouvia de Arílson pedidos do tipo ‘Me ajuda que te ajudo‘, para alguém que comanda um orçamento de R$ 54 bilhões não é uma situação aceitável, até porque a pergunta imediata que cada um poderia dar ao outro. Não dá para se fazer de desentendido, é claro.

    Pior ainda, Ponte disse que ” relação [com os pastores] sempre foi burocrática e institucional”. Qual é a relação institucional que o FNDE tem ou poderia ter com pastores-empresários que não têm ligações com a educação pública? Muito menos uma relação burocrática, porque isso significaria terem expedientes administrativos no Fundo, o que não poderia existir, a menos que mantivessem contratos com o FNDE para implementação de projetos.

    Ponte, ao falar à CGU, também deixou claro que eram os pastores que organizavam os encontros de prefeitos no MEC, quando declarou que eram os pastores que o avisavam sobre quantos chefes de prefeituras estariam presentes, para que ele levasse um número de técnicos suficiente para orientá-los.

    O depoimento, ainda mais se cruzado com o que disse no Senado – “a função dos pastores era fazer orações” – complica ainda mais a situação de Ponte – ex-auxiliar de Ciro Nogueira – e, ao alegar que avisou Milton Ribeiro e Victor Godoy, que agora é o ministro interino, torna inexplicável o fato de que ambos continuaram a trazer Arilson e Gilmar para os eventos realizados dentro do MEC.

    Está evidente a razão dos esforços para impedir a CPI do MEC, com pressões para que senadores não deem e até retirem assinaturas. Como está flagrante o ridículo de proporem um “contra-CPI”, para “investigar” obras inacabadas do governo Dilma. As obras não acabaram, é óbvio, porque o processo de impeachment paralisou o governo desde a sua aceitação por Eduardo Cunha em 2 de dezembro de 2015 e Dilma foi afastada do cargo em 12 de maio de 2016, um ano e quatro meses depois do início do seu segundo mandato.

    Se alguém tem de explicar porque obras ficaram inacabadas é quem ocupou o governo nos seis anos que se passaram desde então.

    Curtir

  37. Forças Armadas compram 35 mil Viagras e 1 milhão de quilos de carne e peixe. Surge empreiteira amiga

    Curtir

  38. Conhecereis a verdade (daqui a 100 anos) e a verdade vos libertará. O ladrão criou o portal da transparência e o honesto criou o sigilo de 100 anos! Parabéns aos envolvidos !

    Curtir

Os comentários estão desativados.